Papo de Mãe
Papo de Mãe
» DIREITO DOS ESTUDANTES

Lideranças estudantis criticam proposta que acaba com a meia entrada

Fim da meia entrada prejudica estudantes, dizem entidades.

Raphael Preto Pereira* Publicado em 28/10/2021, às 18h08

Meia entrada pode deixar de existir
Meia entrada pode deixar de existir

Entidades representativas dos estudantes universitários e secundaristas  criticaram  a proposta do deputado estadual de São Paulo  Artur do Val (Patriota) que propõe o fim da meia entrada em eventos culturais e esportivos para estudantes  e idosos.

O projeto prevê que o desconto, que atualmente é obrigatório para estudantes, jovens e idosos, passe a ser estendido para todas as pessoas. O que na prática acaba com a meia entrada.

Assista ao Papo de Mãe sobre vestibular

Em suas redes sociais  o deputado comemorou a aprovação da medida: “Acabaremos com a distorção social que a meia-entrada causa e o impacto econômico negativo que ela gera no setor cultural." O projeto depende agora da sanção do executivo estadual.

Veja também

A UMES (União Municipal dos Estudantes Secundaristas) aponta que a medida gera retrocesso e também ressalta que, apesar da iniciativa de suspender a meia entrada ter abrangência apenas estadual, ela é extremamente prejudicial para a juventude brasileira: "A juventude que tanto sofre com a insegurança alimentar, o desemprego e a falta de perspectiva de futuro, agora corre o risco de nem ao menos ter acesso a seu direito da meia entrada." Escreveu a entidade em seu perfil numa rede social. 

A medida do deputado não deve ter efeito prático, já que a legislação da meia entrada também tem amparo federal. O desconto já é previsto no estatuto da juventude, norma federal aprovada em 2013, que garante a meia entrada para quem comprovar que está estudando. A legislação federal também beneficia pessoas de baixa renda que tenham entre 15 e 29 anos.

A entidade que representa os estudantes do ensino médio da capital paulista também qualificou o ato do deputado de apresentar a proposta como "preconceituoso" e afirma que a ideia visa "impedir que milhões de estudantes, em especial os de baixa renda, possam se desenvolver cultural e socialmente no nosso estado."

A UNE (União Nacional dos Estudantes) também se manifestou contra a medida e afirmou que "Lazer e cultura são nosso direito e os estudantes precisam da meia entrada para garanti-lo"

*Raphael Preto Pereira é jornalista

Adolescente