Papo de Mãe
Papo de Mãe

Leitura compartilhada desde a gravidez

Os benefícios de ler em família são tantos que, para ficar mais claro, eu gosto de dividir em três grandes grupos: aspectos cognitivos, afetivos e sociais.

Roberta Manreza Publicado em 17/12/2020, às 00h00 - Atualizado às 15h39

None
17 de dezembro de 2020


Por que ler com bebês?

Foto Bruna Gomes (@folieensaio)

A maioria das mães quer que o filho leia para ir bem na escola – isso normalmente acontece, mas há outros pontos muito mais importantes desenvolvidos pela leitura compartilhada que pode começar desde a gravidez. Os benefícios de ler em família são tantos que, para ficar mais claro, eu gosto de dividir em três grandes grupos: aspectos cognitivos, afetivos e sociais.

Os aspectos cognitivos são os mais divulgados e os mais desejados pelos pais: melhora da atenção, concentração, memória, ampliação do vocabulário, raciocínio, criatividade, capacidade narrativa (que eu acho essencial na vida prática – imagina um advogado que não consegue contar uma boa história!?) e por fim, aumento na maior parte das inteligências estudadas são alguns podemos enumerar.

Sem dúvida, queremos que nossos filhos tenham essas habilidades e por consequência tenham sucesso em qualquer carreira que escolherem, mas eu ainda acredito que os demais grupos são ainda mais importantes.

O segundo grupo são os aspectos sociais: nomear sentimentos, criar uma rotina de sono, adquirir conhecimentos e principalmente desenvolver a empatia. A habilidade de se colocar no lugar do outro é desenvolvida de forma ainda mais forte através da literatura, pois é uma arte que nos coloca “da pele para dentro” do personagem enquanto as demais artes (como cinema ou teatro) nos colocam diante de uma outra pessoa. Eu acredito que a empatia precisa ser desenvolvida se quisermos construir um mundo mais pacífico e colaborativo, por isso acho esse aspecto muito relevante. Entretanto, o terceiro ponto pode ser ainda mais transformador.

O terceiro grupo é o que acho mais importante – os aspectos afetivos. O principal benefício de ler com seus filhos é o fortalecimento do vínculo, para papais de primeira viagem, isso pode não fazer muito sentido, mas cuidar de um bebê demanda muito! Logo que voltei da licença maternidade, eu dormia no sinal – dirigindo! Então, aquele momento de atenção, se torna difícil de encaixar na agenda e o cansaço fecha as portas para o diálogo.

O livro se torna um meio para instigar e potencializar a conversa, compartilhar conhecimento, memórias e mediar assuntos delicados. As famílias desejam perpetuar suas formas de ver o mundo e quando deixam esse papel a cargo da escola, perdem a oportunidade de deixar claro para os pequenos a posição da família. Então, ler junto e falar sobre a vida é uma oportunidade incrível. Assim mostramos nosso mundo aos pequenos e também podemos entrar no deles. As incríveis conversas iniciadas por um bom livro muitas vezes nos permitem entrar no universo da imaginação dos nossos pequenos, ingresso raro de conseguir por aí.

Para finalizar, ler com os bebês é importante para formar um leitor. Ninguém nasce leitor, torna-se leitor.

– Entendi que é importante, mas eu não tenho tempo, dinheiro e conhecimento para isso!

Por isso criamos nossa curadoria: para racionalizar seus recursos. Não adianta comprar todos os livros do mundo, assinar clubes de livro e passar o dia lendo historinhas enfadonhas. Você precisa ler os livros certos, livros que toquem tanto a família quanto o pequeno leitor, para a leitura ser mais do que um hábito, ser um prazer, um divertimento em família. A nossa curadoria propõe direcionar seu tempo e seu dinheiro ao que é realmente relevante, pois o mercado é vasto e nossos recursos limitados.

Normalmente, o que querem te vender nem sempre é o que você precisa. Os livros mais acessíveis via de regra são os piores, em livrarias de shopping e feirinhas promocionais, é raro encontrar livros incríveis. Mesmo em bons clubes literários, é complicado, pois eles não enviam aqueles livros essenciais (pois imaginam que muitas famílias já terão essas publicações e eles terão uma chuva de devoluções).

A nossa curadoria parte da experiência da criança e da família, é totalmente personalizada e eu mesma escolho pessoalmente cada título da seguinte forma: primeiro, família responde um questionário sobre livros, leituras e os gostos da criança e da família. Sou doutora em Letras pela UFRGS e estou montando um projeto de pós doutorado em literatura infantil, o meu propósito é que, mesmo em bibliotecas diminutas, as famílias tenham livros de qualidade evitando excesso de consumo e incentivando a leitura.

Por isso, procuro livros que a família e o pequeno vão curtir muito e por bastante tempo. (Pode parecer incrível, mas existem livros para bebê de qualidade – que encantam crianças e adultos por muito tempo). Eu envio o produto da curadoria para que possas adquirir os livros onde desejar ou pela Amazon através do link vinculado na apostila racionalizando frete e recursos.

Quer ter uma biblioteca exclusivamente pensada para sua família? Me envia um direct pelo Instagram, Facebook ou manda um whats (51) 999514873.

Por Seleste Michels, mãe, Dra. em Letras e curadora de literatura infantil. Monto bibliotecas concisas para famílias.


Uma grande biblioteca não é uma biblioteca grande.




ComportamentoDesenvolvimentoDestaquesDiversosDiversãoEducaçãoBebêHome0 a 2 anos3 a 8 anos9 a 12 anosAdolescenteCriançaGravidezPrimeira InfânciaPré-natalPós-partoSaúde