Papo de Mãe
Papo de Mãe
» FINANÇAS EM FAMÍLIA

Menor de idade pode investir?

Paula Zogbi, analista de investimentos, dá as dicas para os melhores investimentos para menores de idade

Paula Zogbi* Publicado em 25/01/2022, às 11h44

Menores (e maiores) de idade podem investir sem medo
Menores (e maiores) de idade podem investir sem medo

Você sabia que crianças e adolescentes podem investir e planejar seu futuro financeiro antes dos 18 anos? Menor de idade pode investir sim.

Claro que com supervisão dos responsáveis. Mas é muito positivo começar a investir desde cedo. No mundo dos investimentos, quanto antes você começar, melhor. E se tiver a oportunidade de começar ainda menor de idade, melhor ainda.

Isso porque o tempo é um ótimo aliado à rentabilidade, graças aos juros sobre juros (ou juros compostos), ou seja, a incidência de juros sobre o valor investido e também sobre a rentabilidade já conquistada.

Mas, então, por que a maioria das crianças e adolescentes não investem? É simples. Porque os adultos também não guardam e investem dinheiro.

Assista ao Papo de Mãe sobre finanças em família

Segundo uma pesquisa feita pela gestora de recursos americana BlackRock, 37% dos brasileiros afirmam não investir por falta de conhecimento sobre o assunto, e 20% por medo de perder tudo – o que também pode ser falta de conhecimento sobre o assunto, já que existem investimentos mais seguros do que guardar o dinheiro embaixo do colchão.

Falta educação financeira para os brasileiros. Ela não faz parte da grade curricular nas escolas e não é um assunto difundido culturalmente. O resultado é uma população com pouco contato com o mercado financeiro e com medo de investir. E pior: com altos níveis de endividamento.

Mas investir não é nenhum bicho de sete cabeças. E pode ser sim para todo mundo, inclusive para crianças.

Essa é uma ótima fase para desenvolver esse pensamento, já que os pequenos vão aprender a controlar seus recursos ainda nessa idade – quando geralmente nossa capacidade de aprendizado é mais rápida. Assim, ele vai se familiarizar com o tema desde pequeno e, na fase adulta, o assunto não vai ser um tabu, vai ser algo natural.

Então, introduzir assuntos sobre economizar e investir é muito importante para a educação das crianças.

Com quantos anos pode investir no Tesouro Direto ou em aplicações de Renda Fixa?

Não importa a idade da criança, guardar dinheiro é sempre um bom começo para o futuro.

Também é bom saber que você não precisa dispor de grandes quantias financeiras, você pode começar a investir com valores a partir de R$ 100,00. Esse é um grande engano sobre investimentos: que só quem tem muito dinheiro pode investir. Errado. O segredo de investir não é o quanto você tem para investir, e sim o quanto você consegue poupar para investir da sua renda.

Por isso, é tão importante que você tome essa iniciativa o quanto antes.

Crianças de qualquer idade podem investir.

E na Bolsa de Valores?

Em setembro de 2020, havia mais de 12 mil pessoas com até 15 anos investindo na B3. Então: sim, os menores de idade podem investir em ações, claro, com a devida instrução e supervisão dos pais.

Vale lembrar que esses investimentos são de renda variável. Ou seja, o risco de investir é alto. Portanto, é preciso que a criança tenha supervisão e conhecimento sobre os investimentos.

Outro ponto importante, sempre, é a diversificação: não aplicar todo o dinheiro em um mesmo ativo. Assim, você dilui os riscos em mais de um ativo.

Dicas de investimentos para jovens

A educação financeira para crianças é um dos caminhos para um país com a população menos endividada e mais desenvolvido economicamente.

Caso você seja responsável por uma criança (ou seja uma), separamos algumas dicas para ajudar nesse começo de trajetória no mundo dos investimentos.

Estabeleça metas em um período de tempo determinado

Poupar é bom, mas é bom por quê? Porque você pode realizar os seus sonhos mais rápido. Sem metas, economizar e investir pode ficar meio confuso, principalmente nessa idade.

Então, a primeira dica é pensar em tudo o que você quer realizar neste ano. Comprar um videogame, computador novo, smartphone?

Descubra quanto precisa guardar e aplicar no mês para realizar esses objetivos.

Faça simulações

Imagine uma criança de 10 anos. Se ela poupar e investir R$ 500 por mês, rendendo 0,5% ao mês, quando ela completar 18 anos, terá R$ 48.000 acumulados mais a rentabilidade de R$ 13.413,44.

R$ 61.413,44 para quem recém está começando a vida não é nada mau, não é mesmo?

Mas como essa criança vai ganhar R$ 500 por mês? É aí que os pais entram. Se eles derem uma mesada mensal e ensinarem as crianças a poupar, elas terão um futuro financeiro brilhante.

Qual o melhor investimento para o futuro do meu filho?

Se estamos buscando aplicações seguras e com certa previsibilidade, os investimentos de renda fixa são mais indicados para este plano.

Como pais, sabemos que imprevistos acontecem, e falando de criança, ocorre o tempo todo! São remédios, hospitais, médicos especialistas caros, dentistas, matrículas de escolas, troca de coleção de roupas (porque eles crescem numa velocidade assustadora!). E por aí vai…

Por isso, é importante que tenhamos dinheiro disponível para emergências. Por isso, é interessante também escolher investimentos com alta liquidez, ou seja, que é possível resgatar com facilidade!

Então vamos começar com alguns produtos recomendados para os pequenos:

Tesouro Direto e renda fixa

O Tesouro Direto, além de ser o produto mais conservador e acessível do mercado, sendo possível realizar aplicações a partir de R$ 32,00, é também indicado para investimentos de longo prazo e para resgates antecipados.

Já na renda fixa de emissão privada, existem títulos com rentabilidades ainda mais atrativas. Aqueles que têm emissão bancária (CDB, LCI, LCA) possuem garantia do FGC e os de emissão de outros tipos de instituições, como Debêntures, CRI e CRA costumam render ainda mais, mas com risco maior.

Conheça um pouco mais dos tipos disponíveis:

Títulos indexados ao IPCA

São títulos que protegem da variação da inflação, remunerando com uma taxa acima do IPCA ano a ano, desde que você mantenha o dinheiro investido até o vencimento. São ótimos para investimentos a longo prazo (2024, 2035, 2050), ou seja, é indicado para planos como faculdade, carro, maioridade, etc.

Renda fixa prefixada

Indicados para investimentos de médio/longo prazo, esse investimento vale a pena quando as taxas de remuneração estão atrativas e se a perspectiva é de queda na taxa de juros. Com eles, você consegue ter total previsibilidade do quanto vai receber.

Tesouro Selic e fundos DI

Essa é a categoria mais indicada para quem deseja ter liquidez diária. Por sofrer menos com a marcação a mercado, você pode resgatar a qualquer momento sem perder a rentabilidade, pois a Selic não tem rentabilidade negativa.

Fundos de investimentos

Só que, quando temos o tempo a nosso favor, é justamente o melhor cenário para buscar rentabilidade correndo mais riscos. Os fundos de investimentos são ótimas alternativas de diversificação, e possuem modalidades de que investem em produtos seguros e com boas rentabilidades, como fundos de renda fixa e uma parte dos multimercados, e outras com maior risco e maiores possibilidades de retornos, como multimercados mais arrojados e fundos de ações.

Os valores de aplicações também são acessíveis, com cotas a partir de R$ 100,00 para multimercados diversificados, como os Fundos DNA.

Os fundos de investimento possuem diversos benefícios, onde alguns podem contar com resgate em D+0, ou seja, você resgata hoje e hoje mesmo o valor estará em sua conta.

É importante analisar antes do investimento o prazo de resgate.

Veja também

Conclusão

Para muitos, toda a juventude não tem muito propósito a não ser aproveitar ao máximo o presente. Mas a verdade é que a tranquilidade de ter um futuro financeiro saudável não tem preço.

Quanto antes vocês começarem a aplicar, melhor. Os juros compostos ganham muita força com o tempo, e você pode se beneficiar ainda mais da diversificação entre investimentos com mais risco e maior possibilidade de retornos.

paula
Paula Zogbi

*Paula Zogbi, analista de investimentos da Rico Investimentos
“Mostrar que o mundo dos investimentos pode ser leve e descomplicado”, essa é a missão que Paula Zogbi, analista da Rico Investimentos (XP Inc.), leva para vida. Formada pela USP, Paula é uma das principais criadoras de conteúdo da Rico. Comunicadora nata, ela trabalhou por 5 anos no InfoMoney. É especialista em investimentos, bolsa de valores, renda fixa e variável e analista CNPI pela Apimec. Entusiasta da entrada cada vez maior de mulheres no mundo das finanças, produz, junto com o time Rico, boletins diários com análises e insights de mercado.

ColunistasEducação