Papo de Mãe
Papo de Mãe
» CONQUISTAS

Como promover o desenvolvimento e a autonomia da criança de maneira saudável?

A psicóloga Yolanda Basílio dá dicas para que cada fase do desenvolvimento aconteça de forma natural e sem pressões dos pais

Yolanda Basílio* Publicado em 29/03/2022, às 11h18

"Não devemos, nunca, antecipar e acelerar processos que são internos e dependem de múltiplos fatores", Yolanda
"Não devemos, nunca, antecipar e acelerar processos que são internos e dependem de múltiplos fatores", Yolanda

Ao longo do desenvolvimento infantil, temos os marcos que são momentos específicos do crescimento e representam a conquista de algum movimento ou ação de forma independente. Esses marcos são um conjunto de habilidades que a criança alcança em determinada idade, por exemplo, reagir a sons mais altos, levar as mãos a boca, alcançar um brinquedo sozinho, reproduzir sons, sentar, andar, interagir com outras crianças, etc.

A fase mais importante do desenvolvimento infantil é durante a primeira infância (0 a 6 anos), pois nessa época seu cérebro está em profundo desenvolvimento, ocorrendo um número intenso de sinapses e, consequentemente, representando o período de maior aprendizagem.

Assista ao Papo de Mãe sobre estímulos para o primeiro ano de vida.

É natural que algumas famílias relacionem esses marcos a episódios de ansiedade das crianças, quando na verdade, não há relação comprovada entre si. Essas ações fazem parte do movimento natural e orgânico do corpo já que nessa fase há uma enorme aquisição de novos conhecimentos. Porém, é importante ressaltar que a forma como os adultos de referência lida com esses marcos e conquistas, esse sim, pode influenciar nas emoções e comportamentos das crianças, que ainda não possuem maturidade suficiente para lidar com expectativas e frustrações desnecessárias. 

Neste caso o principal papel dos pais é oferecer um ambiente seguro e preparado para cada fase do desenvolvimento. Aceitar e esperar o ritmo de cada bebê ou criança, estimulando a confiança, proporcionando vastas experiências e sempre buscando ampliar o repertório de objetos, músicas, passeios, sensações e atividades.

Não devemos, nunca, antecipar e acelerar processos que são internos e dependem de múltiplos fatores (cognitivos, emocionais, fisiológicos), como: começar a engatinhar, andar e desfralde, por exemplo.

Não existe uma fase específica para promover a autonomia das crianças. O ponto de atenção dos pais deve ser sempre observar as atitudes, convidá-lo para ser ativo nos momentos de cuidado e esperar o seu tempo de reação. Nós adultos estamos sempre com muita pressa e isso atrapalha o desenvolvimento da autonomia das crianças. Se organize e se programe com antecedência para dar tempo e espaço para o seu filho, desde pequeno, realizar com calma as ações que já pode realizar sozinho. 

Autonomia significa dar espaço e tempo para a criança realizar sozinha aquilo que ela já consegue fazer por si só. Ao deixarmos uma criança fazer “tudo” sozinha, muitas vezes, deixamos de lado os processos de maturação e acabamos forçando e esperando comportamentos e ações equivocados e incoerentes por parte da criança. Por isso, a importância de investirmos em observação, pois precisamos conhecer o nosso filho para saber, corretamente, o que podemos esperar dele.   

E muito cuidado! Incentivar a autonomia não é delegar qualquer tarefa para a criança, e sim, desde sempre, observar, confiar, encorajar e muitas vezes esperar! Não existe excesso de autonomia. Existe excesso de expectativas que muitas vezes não podem ser alcançadas e isso sim pode ser perigoso e prejudicial para ambos.

Quando uma criança cresce em um ambiente saudável, que promove corretamente a autonomia, ela normalmente se desenvolve como um cidadão mais consciente, mais responsável e tem a chance de desenvolver mais habilidades sociais ao longo de toda a vida.

Uma dica que eu sempre gosto de compartilhar é: leia e estude sobre o tema. Hoje há muitos artigos, livros e documentos importantes sobre a questão da autonomia infantil. Deixo aqui a dica de livro: "O Búfalo Que Só Queria Ficar Abraçado" (editora Carochinha). E, acima de tudo, saiba o que esperar do seu bebê ou criança, o convide para ser sempre ativo nos momentos de cuidado, tenha calma e paciência para esperar o seu tempo de resposta, converse, invista tempo em ensinamentos e observação.

livro
O Búfalo Que Só Queria Ficar Abraçado

Veja também: 

Não existe promoção da autonomia com desconfiança e insegurança. Se você está insegura com algo, dê dois passinhos para trás. Escute sua intuição! Para incentivar o desenvolvimento da autonomia, a criança precisa estar em um ambiente seguro e adequado para a sua faixa etária!

Somos exemplos para eles, portanto, cuidar de você e de um lugar acolhedor e seguro para viver já será meio caminho andado para uma autonomia positiva e saudável para seu filho! Acredite!

*Yolanda Basílio é psicóloga e diretora na @poppinsedu

DesenvolvimentoPrimeira InfânciaSaúde