Papo de Mãe
Papo de Mãe

TRANSIÇÃO ESCOLA-FACULDADE – A difícil tarefa de escolher uma profissão

pmadmin Publicado em 26/04/2011, às 00h00 - Atualizado em 03/10/2014, às 20h07

None
26 de abril de 2011


É difícil mesmo!*Por Mariá Giuliese

Do jovem que está em vias de escolher a profissão ao jovem recém formado que precisa decidir aonde trabalhar, a dificuldade existe e as inúmeras opções confundem. Escolher os próprios caminhos é difícil mesmo. São muitos os fatores que precisam ser levados em consideração e diversas vezes gostaríamos de escolher mais de um caminho para trilhar simultaneamente. A sociedade em que vivemos estimula o consumo e o olhar para tudo o que está do lado de fora. É preciso parar de olhar apenas para fora e passar a olhar para dentro. As respostas estão dentro de cada um.

As primeiras escolhas na juventude, em geral, consistem na idealização do outro. Acreditamos em um relacionamento eterno, nos promissores planos de futuro e enxergamos o objeto escolhido como o reflexo da perfeição. As experiências trazem aprendizado e permitem que se descubra sobre si próprio e sobre a vida. Mas, o amadurecimento emocional que nos permite escolher bem, requer autoconhecimento, desenvolvimento de uma visão crítica e uma formação que estimule a reflexão. Ainda assim corremos o risco de nos deixar seduzir pela ilusão da perfeição, tanto nos relacionamentos pessoais quanto nos profissionais.

Pense sobre o que você quer para sua vida, observe se aquilo que você considera o mais adequado vai de encontro aos seus sentimentos mais íntimos. Não faz sentido, por exemplo, escolher estudar medicina veterinária apenas porque você gosta de animais, é preciso querer se dedicar a eles diariamente na saúde e na doença. O que faz a diferença é a capacidade de realizar escolhas conscientes.

Verifique quais são seus valores e crenças antes de escolher. Pesquise as faculdades e as empresas, veja se elas têm projetos sociais, campanhas ambientais etc, com os quais você se identifique. Confira suas percepções. Busque relações mais próximas com as pessoas. E faça o que você considera adequado ao seu caso.

Lembre-se que o preparo para o futuro começa com o início da atuação profissional. Este preparo é uma responsabilidade e é indelegável! Além disso, suas escolhas não devem ser pautadas pelo dinheiro, status e poder. Esses são conseqüência de um trabalho bem realizado! Suas escolhas devem estar pautadas em quem você é. Quanto mais elas estiverem alinhadas aos seus interesses e vocações e mais afinidade você tiver com seu trabalho, maiores as chances e as possibilidades de bons retornos.

Nenhuma escola ou empresa irá suprir todas as suas necessidades de crescimento, desenvolvimento, conhecimento etc. Você terá que prestar atenção aos seus interesses e vocações e procurar outros meios de atendê-los. Ou seja, não dependa apenas do que a escola ou a empresa podem te proporcionar! A empresa é mais uma escola que irá te preparar para andar sozinho com as próprias pernas. Chegará um momento em que isto será inevitável e você precisa estar preparado. Afinal, o Homem nasceu para ser livre e dono de seu próprio nariz.

*Mariá Giuliese é psicóloga e especialista em aconselhamento de carreira. Participou como convidada do Programa Papo de Mãe sobre TRANSIÇÃO ESCOLA-FACULDADE exibido em 24.04.2011.




EducaçãoEnsino SuperiorMercado de Trabalho