Papo de Mãe
Papo de Mãe

Filhos Únicos: uma opção da vida moderna

pmadmin Publicado em 10/11/2009, às 00h00 - Atualizado em 11/11/2009, às 00h11

10 de novembro de 2009


Olá a todos!Como todos sabem, o tema desta semana no Papo de Mãe foi filhos únicos. Aqui no blog, trouxemos algumas entrevistas com especialistas para que vocês pudessem ter um pouco mais de informação, além daquelas que foram ao ar. Conforme a Roberta comentou no programa, as taxas de fecundidade nunca estiveram tão baixas pelo mundo. Isto acontece porque os casais de hoje pensam em dar mais atenção e melhores recursos a um único filho. E o Brasil não foge dessa tendência mundial. O índice de fecundidade da mulher brasileira caiu de 6,2 para apenas 1,9 filhos nos últimos cinqüenta anos. Já na China, existem oitenta milhões de filhos únicos. São os chamados “pequenos imperadores”. Lá, desde os anos setenta, ficou proibido por lei ter mais de um filho para impedir o aumento da população. A lei é polêmica e tem sido responsabilizada pelo aumento de abortos, principalmente de fetos do sexo feminino, por causa da tradição chinesa de priorizar o filho homem. Ainda bem que aqui no Brasil temos a liberdade de escolha! E é graças a esta liberdade que podemos optar por ter um, dois ou mais filhos – ou até mesmo nenhum! O importante é que a família possa, conscientemente, fazer sua própria escolha e ter o número de filhos de acordo com a sua vontade e/ou possibilidade. Agora, todo mundo concorda que quando se fala em filho único, a primeira imagem que vem à cabeça é de uma criança mimada e birrenta, não é verdade? Felizmente, a realidade não é mais esta. No programa, pudemos observar como a opção pelo filho único tem sido cada vez mais consciente, assim como a educação dada pelos pais. A psicanalista Sílvia Lobo foi muito feliz em todas as suas colocações, principalmente quando alertou sobre a importância de separar a idéia de filho único de filho mimado ou traumatizado. O cuidado, o carinho e o afeto são essenciais ao desenvolvimento sadio de uma criança, mas não é porque ela recebe todos estes sentimentos de um grande número de pessoas com exclusividade – no caso pais, tios, avós, etc – que ela se tornará um adulto prejudicado. É preciso desmistificar a idéia de que ser filho único implique, necessariamente, em prejuízo. Os motivos que levam os pais a optarem por apenas um filho podem ser vários. Não cabe a nenhum de nós qualquer julgamento. Cada um tem a sua realidade e sabe bem o que é melhor para si. Porém, alguns conselhos a pais de filhos únicos podem ser de extrema importância. Pequenos cuidados na educação podem fazer uma grande diferença no futuro! O primeiro ponto que devemos prestar atenção, no caso de um filho único, é que esta criança terá como um dos primeiros desafios o fato de ter que lidar com a solidão. Crescer sem irmãos, ou sem outras crianças por perto, pode fazer com que este filho se torne precoce e isto não é nada bom. Por outro lado, este fato pode ser perfeitamente minimizado pelos pais se eles incentivarem seu filho a conviver com outras crianças, sejam primos, vizinhos, amigos ou colegas. Isto vai trazer experiência de vida, fazendo com que este filho aprenda a se relacionar com pessoas da mesma idade. Uma das maiores queixas de um filho único é a grande expectativa que os pais criam em torno dele. Muitas vezes, o filho chega a ser idealizado.  Mas os pais não devem e não podem fazer do seu filho uma projeção de si próprios, nem depositar expectativas ou cobranças excessivas em cima dele. É preciso lembrar que um filho – seja único ou não – é um ser humano em formação, portanto sujeito a erros e acertos. Por este motivo, os pais devem respeitá-lo na sua individualidade,  procurando ajudá-lo a enfrentar suas questões, mas sem resolvê-las por ele. A educação e as atitudes dos pais devem ser muito bem pensadas e o bom senso deve sempre prevalecer. Os filhos (em geral) devem estar conscientes de que o mundo lá fora não é o mesmo que encontram dentro de casa. Portanto, cabe a nós (pais) educarmos nossos filhos para fazer deles homens e mulheres de bem, que saibam lutar por seus ideais, sem desrespeitar o direito e o espaço do próximo. É isso aí, gente. Espero que tenham curtido o programa!!Nesta quinta-feira (12), às 18h30, o assunto é  SÍNDROME DE DOWN. No estúdio, mães contam como é educar e conviver com crianças com a síndrome. O programa também irá mostrar algumas iniciativas, organizações e associações que auxiliam pais e famílias a lidar com portadores. Além disto, a inserção no mercado de trabalho, a sociabilidade e o aumento da expectativa de vida proporcionado pelos avanços da medicina também são alguns dos temas discutidos. Não percam!!! —
DICA DE HOJE: No dia 14 de novembro acontecerá a Campanha Saúde da Mulher, no auditório do Museu de Arte Moderna (MAM), em São Paulo. O evento é GRATUITO e tem como objetivo conscientizar a mulher quanto à importância dos exames preventivos de rotina e dos cuidados consigo mesma. Durante um dia inteiro, serão realizadas palestras e debates com a participação de convidados especiais e do público sobre assuntos diretamente relacionados com saúde da mulher e qualidade de vida, planejamento familiar, prevenção de DSTs e Câncer de Mama, gestação, nutrição da mulher e do bebê, a beleza e os limites da vaidade, valorização da mulher, saúde sexual e reprodutiva para jovens e adultos e prevenção e combate à AIDS. O evento prevê ainda atividades práticas como técnicas de respiração e relaxamento para gerenciamento do stress e combate da ansiedade, meditação e automaquiagem. A programação completa, inscrições e informações você encontra no site  www.laboratoriodamulher.com.br ou pelos telefones (11) 3889-9792 e (11) 2306-9700. Em tempo: Pessoal, ainda estamos a procura de alguém que tenha um carrinho de gêmeos para doar. Por favor, se alguém tiver, entre em contato com ivyfarias@gmail.com. Obrigada!!
Beijos, Clarissa