Papo de Mãe
Papo de Mãe

MENTIRAS E FANTASIAS – Importância da literatura infantil para a saúde emocional das crianças

pmadmin Publicado em 01/11/2012, às 00h00 - Atualizado em 06/10/2014, às 11h14

None
1 de novembro de 2012


Por Ruth Souza e Roberta de Oliveira Ribeiro*

A criança se sente confortável vivendo no seu mundo imaginário, ao brincar vivencia a brincadeira e se sente na situação imaginada de forma tão real como se a estivesse vivendo. É natural e saudável a criança fantasiar. Até certa idade, por volta dos sete anos, não há barreiras na mente dela entre a realidade e a imaginação. Para ela tudo é real.

Uma vez que a criança tem a mente aberta e entende como real o que ela vivencia na realidade e na imaginação, é importantíssimo prestar atenção no que a criança lê, assiste, vê, pois, para ela, tudo aquilo vai ser real. Então, o monstro da história, o lobo mau, o vilão, o bichinho, o mocinho, a princesa e o herói são tão reais quanto os pais, os irmãos, os professores e os amigos. Por essa razão a literatura é tão importante na vida das crianças.

Os pais e responsáveis devem, portanto, escolher sempre livros e filmes que estimulem a criatividade, que tragam mensagens positivas, que tenham personagens bons e que ensinem valores às crianças. Desse modo, ela criará crenças positivas sobre a vida e sobre si mesma, crescendo com a autoestima fortalecida, com confiança, segurança e com a certeza de sua capacidade de se relacionar de forma amorosa e respeitosa com as outras pessoas.

Essas imaginações e fantasias, esse mundo em que ela vive, são determinantes para a toda a sua vida, pois vão moldar as crenças por meio das quais ela vai compreender, se relacionar e agir consigo, com as outras pessoas e com o mundo. Crianças expostas a livros, filmes, brinquedos, desenhos, novelas, com conteúdos de violência, de tristeza e de maldade, vão recriá-los em seus próprios mundos imaginários, recriando em sua imaginação histórias cujos contextos são similares.

Essas crianças vão crescer e reproduzir em sua adolescência e vida adulta esses comportamentos e sentimentos negativos das mais variadas formas. Por exemplo, podem se tornar pessoas inseguras, com dificuldade de se desenvolver plenamente, de se relacionar de forma amorosa e respeitosa com os outros, tender a comportamentos violentos, à tristeza, ao mau humor, à irritação, à impaciência.

Mas é importante que os pais saibam que além de adquirir livros, filmes e brinquedos com conteúdos positivos e que passem valores, é preciso interagir com a criança utilizando esses materiais de forma divertida e lúdica, conversando com elas sobre o que compreenderam das histórias, dos desenhos e filmes e como se sentiram. Isso vai estimular a reflexão nas crianças e nos adultos também.

Os pais não devem ter medo de ser diferentes das outras pessoas. Não importa se todos da escola têm o brinquedo “X” ou o livro “Y”. Se a história, as ilustrações ou o brinquedo remetem a conteúdos negativos, mesmo que esteja fazendo muito sucesso na mídia, por exemplo, melhor não dá-los às crianças.

Destacamos, também, que o exemplo dos pais na vida cotidiana é essencial para o desenvolvimento da criança. Não adianta exigir dela um comportamento que eles mesmos não têm.

Nossos livros ajudam, então, a família a estabelecer e fortalecer o diálogo, pois a ideia central de todo nosso trabalho é educar amorosamente. Ensinamos, por meio da literatura, como a criança pode usar a sua mente, a sua imaginação, para criar em seu próprio mundo imaginário situações com mais alegria, amor, confiança e segurança, criando, desse modo, um mundo melhor para si na infância, adolescência e vida adulta.

*Ruth Souza e Patrícia de Oliveira Ribeiro são autoras de diversos livros que ajudam a melhorar a autoestima das crianças. Estiveram presentes no programa sobre MENTIRAS E FANTASIAS, exibido em 28.10.12 (16h), com reprise em 03.11.12 (11h).




Comportamento3 a 8 anos