Papo de Mãe
Papo de Mãe

Entrevista com a Dra. Márcia Maria da Costa

pmadmin Publicado em 02/10/2009, às 00h00 - Atualizado às 01h40

2 de outubro de 2009


Oi pessoal!!!
Conforme prometido, segue a entrevista sobre parto humanizado da Dra. Márcia Maria da Costa, ginecologista e obstetra, coordenadora médica do Hospital São Luiz – Itaim (SP), concedida à repórter Rosângela Santos para o Papo de Mãe. RS: Como é tratada na rede privada esta questão do parto humanizado?
MMC: O parto inicialmente acontecia em casa. A gente fala que a mulher pode dar a luz com o médico e apesar do médico. Visto que a gente se preocupa com a segurança, tanto da mãe quanto do bebê, o ideal é que este procedimento ocorra dentro do ambiente hospitalar para dar assistência. A ideia é transformar o ambiente do hospital em um ambiente mais agradável e acolhedor. Não tanto instrumentalizado como há algum tempo atrás – quando a mãe chegava e colocavam ela num soro, deixavam num quarto isolado sem contato com ninguém do convívio dela e assustada, com medo, levando, muitas vezes, a desmotivar a escolha pelo parto normal. Então, os hospitais foram se adaptando. Na última década, surgiu um movimento mundial de resgate à humanização que, na minha opinião, nem é um termo tão adequado, mas sim o de propor uma filosofia mais acolhedora, um ambiente mais agradável, onde a mãe tivesse condições de se sentir bem durante o processo que é doloroso para ela. Precisa ter suporte para enfrentar este momento bonito e delicado com tranqüilidade. Essa escolha do parto deve acontecer durante a gestação. A mãe deve visitar a maternidade. Isso diminui o medo de chegar a um local desconhecido. Aquelas que tinham medo olham a sala, acham interessante, resolvem tentar o parto normal e levam, inclusive para o obstetra, a vontade do parto natural.

RS: E a participação do pai??
MMC: É muito interessante o pai participar de tudo isso porque, muitas vezes, ele é visto durante 9 meses como uma pessoa que fica meio de lado. De uns anos pra cá, o pai participa mais, vai às consultas, faz curso de gestantes, quer trocar a fralda. Quando o momento do parto se aproxima, a família tem uma troca bonita, e em cesárea nem sempre é possível.

RS: Gêmeos podem nascer de parto normal?
MMC: Sim. Depende da posição dos bebês.

RS: A mãe pode amamentar logo que o bebê nasce?
MMC: Pode, ainda na sala de parto. Isto é importante para o leite descer. E a mãe que teve parto normal pode ter mais facilidade de produzir leite.

RS: Tem mães que ficam chateadas porque querem fazer o parto normal e não conseguem…
MMC: A cesárea é importante porque surgiu para abordar casos graves em que, muitas vezes, o bebê acabava morrendo – ou a mãe morria. Então, realmente, tem a indicação em alguns casos. Por exemplo, quando a mulher vai tentar o normal e o bebê não desce. Daí não é possível ser normal e, neste momento, é importante estar em um hospital e ser levada pra sala de parto, tendo que lidar com a frustração. Existem pacientes que não querem cesárea de jeito nenhum. Mas, às vezes, infelizmente, não é possível insistir no parto normal.

RS: E a dor do parto?
MMC: Na hora que nasce o bebê a gente esquece tudo o que sofreu. Ou ninguém teria mais de um filho! São só alegrias. A dor é até pequena diante da alegria…
É isso aí! Assistiram ao programa sobre LIMITES de hoje??? Quem perdeu ainda tem a chance de ver no domingo (13h30), na segunda (12h30) e na terça (17h30). Mas, por aqui, o PARTO continua em pauta… Amanhã tem mais informações, não percam!Bjs, Clarissa