Papo de Mãe
Papo de Mãe
» YOGA E AUTISMO

Yoga que transforma e acalma

No abril azul, mês de conscientização do autismo, especialista fala dos benefícios da yoga para crianças autistas

Fabíolla Mano Marques de Oliveira* Publicado em 03/04/2022, às 14h34

Yoga é bom para crianças com autismo
Yoga é bom para crianças com autismo

Você já deve ter ouvido que a Yoga, um exercício milenar, traz vários benefícios para quem a pratica, não é mesmo? Quem já fez ou faz pode comprovar que ela não melhora apenas o físico como traz paz, tranquilidade e foco. Aulas específicas para crianças e adultos já estão disponíveis em diversas escolas pelo Brasil, mas porque não oferecê-las para crianças neurodivergentes?

Essa é uma pergunta que não saía da minha cabeça. Sou pedagoga, psicomotricista e estudante de educação física. Estar à frente em uma sala de aula foi um dos primeiros desafios da minha carreira. Apaixonada por crianças, a vocação de ensinar sempre foi mais forte. Com a prática e o tempo de carreira, conheci meu primeiro aluno autista. Foi um grande desafio para mim e para a escola. A maneira que encontrei de ajudá-lo foi estudando. Para isso, fiz uma pós em psicomotricidade, ciência que integra cognitivo, afetivo e motor. Com as ferramentas em mãos, consegui ajudá-lo. E o que era para apenas uma criança, se ampliou e virou minha nova profissão: terapeuta psicomotricista.

Assista ao Papo de Mãe sobre yoga

Ao mesmo tempo que me dedicava ao atendimento de crianças com espectro autista, também praticava Yoga, uma ferramenta importante de autocuidado e de autoconhecimento. Os benefícios me fascinaram e voltei para a escola! Me tornei também professora de yoga de adultos e crianças. E com muito estudo e conhecimento, comecei a levar essa prática milenar para os meus pacientes autistas.

Os pais precisam entender que na Yoga, como em qualquer outra atividade física, são liberadas substâncias como dopamina e serotonina. E com a sua prática lúdica, as crianças se exercitam brincando e descobrindo seu corpo, entendendo o movimento e suas possibilidades em si e no outro. Para que o trabalho com as crianças com TEA seja efetivo, é preciso conhecer o olhar e sentir a necessidade de cada um. Não existe fórmula mágica.

Veja também

Por isso, utilizo em minhas aulas um trabalho integrado com várias vertentes do Yoga. Utilizo a Hatha para fortalecer o equilíbrio físico e mental, a Tantra para trabalhar a conexão, a Nidra para relaxamento e a Raja para ensinar a meditação. Além dessas ferramentas, é preciso que o professor crie um vínculo relacional com a criança para “acessar” pontos fortes do seu desenvolvimento.

E o que pude observar com a prática frequente de yoga por crianças com TEA? Meus alunos de "coração azul” mostraram que com o exercício ficaram mais focados, tranquilos e melhoraram muito a flexibilidade do corpo.

Este é um exercício para lá de especial! Se você já pensou em levar seu filho com TEA ou não para praticá-lo, meu conselho é: vá. Tenho certeza que os resultados vão surpreendê-los.

*Fabíolla Mano Marques de Oliveira é pedagoga, psicomotricista e professora de Yoga da Clínica ARTE PSICO

ColunistasCriança