Papo de Mãe
Papo de Mãe
» PUERPÉRIO

Vida instagramável: como eliminar os gatilhos emocionais que fazem as puérperas odiarem o próprio corpo?

A psicóloga Marinalva Callegario aponta quatro atitudes para bloquear os gatilhos emocionais que fazem as puérperas se sentirem mal com seus corpos

Redação Papo de Mãe Publicado em 01/09/2021, às 14h18

As redes sociais se tornaram um espaço da fuga da realidade e promovem uma comparação desleal
As redes sociais se tornaram um espaço da fuga da realidade e promovem uma comparação desleal

A mulher que nunca se comparou com o corpo de outra que atire a primeira pedra. Tudo piora quando a comparação é feita com um corpo considerado ‘em dia’ de outra mulher que, assim como você, deu à luz recentemente. A insatisfação é tão grande que o chão parece se abrir e a jornada de não aceitação aparenta ser eterna.

A psicóloga Marinalva Callegario alerta que a vida instagramável causa uma comparação desleal e pode trazer gatilhos e danos psicológicos para as mulheres.

 “A pandemia fez com que, cada vez mais, as pessoas usassem as redes sociais como um espaço de fuga da realidade. Um comportamento que impacta de forma nociva e perigosa a vida, o corpo, a mente e a energia de cada um. Isso pode gerar nas mães que acabaram de parir uma insatisfação cada vez maior, uma vez que percebem que suas vidas não são tão “perfeitas” como a vida de seus ídolos e influenciadores digitais,” explica Callegario.

Veja também

Assim, fica clara a importância de manter a saúde mental das puérperas , assunto que deve receber uma atenção especial. Para evitar gatilhos e preservar o bem-estar mental das mães e dos bebês, algumas dicas podem ser adotadas. A psicóloga Marinalva Callegario destaca as principais:

1. Nunca se abandone completamente

Na fase em que o bebê está recém-nascido e mais dependente, se a mãe não tomar cuidado, o cansaço e as noite mal dormidas podem fazer com que ela se desequilibre. É importante tirar, nem que seja, 10 ou 15 minutos do dia enquanto o bebê dorme para fazer algo que goste. Se alimentar de forma saudável também fará com que sua relação com corpo seja mais leve, sadia e de muito afeto e respeito com todas as etapas do seu processo.

2. Jamais se compare com outras mulheres

Fato é que a vida perfeita que muitas mães exibem nas redes sociais, no que a gente chama de ‘vida instagramável’, quase sempre não configura a realidade da maioria das mulheres. Portanto, comparar o seu corpo com de blogueiras fitness que acabaram de ter bebê é uma jornada de eterna insatisfação que desencadeia ansiedade e um estado mental que pode drenar as suas energias para cuidar do bebê. Então, faça uma limpa nas suas redes sociais e curta a sua própria jornada.  

3. Não seja centralizadora

Nunca hesite em pedir ajuda. Muitas mães acabam não tirando um tempo para si por achar que ninguém vai cuidar direito do bebê ou por uma autocobrança excessiva de ser uma mãe exemplar. Esses comportamentos são sabotadores que podem drenar a energia da mãe e deixá-la estressada, desanimada. Se você tem uma rede de apoio ou uma pessoa de confiança que pode te ajudar no maternar, aproveite para equilibrar as suas necessidades e estar sempre com a saúde mental em dia para dar o melhor de si para o seu bebê. 

4. Alimente sua mente de coisas positivas

Assistir conteúdos motivacionais e inspiradores, que elevem a consciência. Sem dúvida, será muito mais saudável mentalmente para as mamães do que ver foto de puérpera blogueira que acabou de parir e está com corpo perfeito. Não é verdade? Procure consumir conteúdos que te façam sentir bem e se conectar consigo mesma. Isso ajudará muito a manter o astral das mamães nas alturas.

Assista ao Papo de Mãe sobre redes sociais, depressão e suicídio

ComportamentoConflitosDicasPós-parto