Papo de Mãe
Papo de Mãe

Semana da Mulher: brasileiras não conhecem a Endometriose

pmadmin Publicado em 10/03/2014, às 00h00 - Atualizado em 19/09/2014, às 19h25

10 de março de 2014


Pesquisa feita com 10 mil mulheres mostra que mais da metade não sabe o que é e nem estão informadas sobre os principais sintomas da doença Uma pesquisa realizada este ano pela SBE, que conta com apoio do Grupo Bayer, aponta que a endometriose ainda é desconhecida para 53% das brasileiras. Foram entrevistadas 10 mil mulheres, com idade acima de 18 anos, em dez capitais do país: Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. 

Quando separados por cidades, os números são ainda mais preocupantes. Em São Paulo e Brasília, por exemplo, 52% das mulheres não sabem o que é a endometriose. Já em Porto Alegre e Manaus esse número sobe para 68% e 82%, respectivamente. Na contramão, em Recife, 72% das mulheres afirmam já ter ouvido falar sobre o assunto, seguido por Curitiba e Salvador (64%) e Rio de Janeiro (54%). Embora pouco conhecida, a doença afeta cerca de 176 milhões de mulheres no mundo, sendo seis milhões só no Brasil. Entre as entrevistadas, 55% disse apresentar algum sintoma da doença – 23% pelo menos um e 7% os cinco sintomas – dores abdominais severas e durante as relações sexuais, cólica menstrual intensa, alterações no hábito intestinal (diarreia ou prisão de ventre) e dificuldade para engravidar.  “Essa pesquisa reforça, de modo geral, que as mulheres ainda não estão bem informadas sobre a endometriose, o que acaba dificultando a detecção e tratamento da doença”, explica o Dr. Mauricio Abrão, especialista no assunto. A pesquisa ainda mostra que 82% das entrevistadas desconhecem qualquer tipo de tratamento oferecido pelas redes pública e particular de saúde e 34% delas acreditam que é possível melhorar o diagnóstico e tratamento da endometriose através de campanhas informativas. Além da falta de conhecimento sobre a doença por parte das mulheres, a carência de centros de atendimentos especializados dificulta ainda mais a busca por diagnóstico preciso e tratamento eficaz. Outra pesquisa, também realizada pela SBE com apoio do Grupo Bayer, com 956 médicos em 10  estados brasileiros*, revelou que embora 78% dos profissionais conheçam os principais sintomas e 82% deles saibam como identificar a endometriose, 67% dos médicos acreditam que os centros  disponíveis para tratamento da doença não são capazes de atender a demanda brasileira e 93% gostariam que houvesse mais centros de tratamento. Quando perguntados quais os maiores desafios para diagnóstico precoce da doença, 49% dos profissionais responderam falta de tratamento específico e dificuldade de acesso aos recursos e exames para diagnóstico preciso da doença. * A pesquisa com 956 médicos foi realizada em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, Manaus, Curitiba e Salvador.Fonte: Bayer HealthCareDICA: Reveja o Papo de Mãe sobre ENDOMETRIOSE.


Diversos