Papo de Mãe
Papo de Mãe

Seguridade aprova mediação familiar como alternativa para o juiz em processo de divórcio

Roberta Manreza Publicado em 11/11/2014, às 00h00 - Atualizado às 01h09

None
11 de novembro de 2014


Reportagem – Marcello Larcher /  Edição – Rachel Librelon

Agência Câmara Notícias

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou na última quarta-feira (5) o Projeto de Lei 428/11, do deputado Luiz Couto (PT-PB), que insere no Código Civil (Lei 10.406/02) a recomendação para que juízes incentivem a mediação familiar em casos de divórcio.

Por meio da mediação familiar, os casais têm a ajuda de uma terceira pessoa (um técnico neutro e qualificado), que pode ajudá-los a resolver seus conflitos e alcançar um acordo durável, levando em conta as necessidades de todos os membros da família, em especial as crianças.

Jandira Feghali: medida ja é adotada com sucesso na Europa desde 2003. / Foto: Antônio Augusto

Jandira Feghali: medida já é adotada com sucesso na Europa desde 2003.          Foto : Antônio Augusto / Câmara dos Deputados

A relatora da proposta, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), citou que a mediação já é adotada na Europa, e recomendou a aprovação do texto. “Importante ressaltar que, desde 2003, com a criação da Secretaria de Reforma do Judiciário, são feitos investimentos em projetos de mediação, com o objetivo de resolução de disputas”, disse.

Segundo o Instituto Português de Mediação Familiar, a mediação é uma alternativa à via litigiosa. O objetivo principal é que os pais, depois da separação, mantenham convívio intenso e frequente com seus filhos e não fiquem lesados no seu acordo de separação.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

DICA: Assista ao Papo de Mãe sobre Alienação Parental




ConflitosHomeNotícias