Papo de Mãe
Papo de Mãe
» SEGURANÇA INFANTIL

Segurança do bebê: 4 dicas que fazem a diferença na prevenção de acidentes

Erika Tonelli, do Instituto Bem Cuidar, traz dicas de prevenção de acidentes fundamentais para garantir a segurança infantil mesmo antes do nascimento

Erika Tonelli* Publicado em 17/03/2022, às 08h48

Antes mesmo de o bebê nascer já é preciso cuidar da prevenção de acidentes
Antes mesmo de o bebê nascer já é preciso cuidar da prevenção de acidentes

Você sabia que os cuidados com a segurança e proteção das crianças começam na gestação? É justamente neste período especial e de celebração da vida, enquanto cuida com todo o carinho dos preparativos para a chegada do bebê, que os pais têm a oportunidade de fazer escolhas que podem minimizar os riscos de acidentes e evitar lesões graves em 90% dos casos.

Mas, antes de compartilhar algumas orientações que fazem a diferença, vale explicar a importância da prevenção de acidentes com bebês, principalmente os menores de um ano. Uma análise do Datasus, do Ministério da Saúde, mostrou que os acidentes nesta faixa etária são mais letais e sete em cada dez óbitos ocorrem por sufocação. Em relação às internações por causas acidentais, a maioria (46,6%) é em razão de queda.

Isto acontece porque nessa fase que vai até os 3 anos, conhecida como Primeiríssima Infância, a criança é mais frágil, sensível, possui pouca experiência e capacidade para reconhecer riscos e sair de situações perigosas, por isso depende dos cuidados e atenção constantes de um adulto.

Assista ao Papo de Mãe sobre prevenção de acidentes com bebês

Para quem está vivenciando esse momento da preparação do quartinho e do enxoval, sonhando com o bebê em casa, confira algumas orientações importantes:

  1. Para o quarto do bebê: escolha um berço certificado pelo Inmetro e que siga as normas de segurança da ABNT. Ele não deve ficar próximo de janelas e não utilize protetor de berço. Também não deixe bichos de pelúcia, travesseiros, cobertores e outros objetos macios dentro dele. Um dos tipos de sufocação que mais tira a vida de bebês é a obstrução de vias áreas por objetos macios em camas e berços.
  2. Atenção com o enxoval: evite comprar roupinhas com cordões, que podem se enrolar em volta do pescoço, e atente-se para peças que possuem botões ou enfeites que podem se soltar ou serem arrancados e engolidos pela criança. Esse tipo de obstrução das vias áreas com objetos pequenos, líquido ou alimento também é bem perigosa.
  3. Para a saída da maternidade: providencie a instalação do bebê-conforto e siga o manual de instruções, pois ele deve ser utilizado desde o nascimento. Escolha um modelo com selo do Inmetro ou certificação europeia ou norte-americana. Vale reforçar que o uso de sistemas de retenção para crianças pode reduzir em 60% o número de mortes.
  4. Dentro de casa: é surpreendente como os bebês crescem rápido e antes do que você imagina eles estarão se arrastando ou engatinhando pela casa. Por isso, se puder antecipar alguns cuidados, melhor! Instale portões no topo e na base de escadas. Janelas, sacadas e mezaninos devem ter grades ou redes de proteção. Também projeta as tomadas com tampa, fita isolante ou um móvel; e evite cortinas e persiana com cordas, porque oferecem o risco de estrangulamento.

No mais, uma dica para a hora da compra: escolha produtos certificados com selo do INMETRO e siga as recomendações da ABNT. Também sempre leve em conta as indicações da faixa etária para os brinquedos e acessórios.

Veja também

Para mais dicas, baixe gratuitamente o e-book Cuidados com o Bebê, desenvolvido especialmente para ajudar pais, responsáveis e cuidadores na prevenção de acidentes na Primeira Infância e garantir entornos seguros e protetores.

*Erika Tonelli é coordenadora geral do Instituto Bem Cuidar, unidade meio da Aldeias Infantis SOS para gestão do conhecimento.

ColunistasErika Tonelli