Papo de Mãe
Papo de Mãe

S.O.S. PAPO DE MÃE

pmadmin Publicado em 18/04/2011, às 00h00 - Atualizado às 02h17

18 de abril de 2011


Oi gente!Antes de darmos início às postagens da semana sobre PRIMEIROS SOCORROS, gostariamos de publicar algumas dúvidas de telespectadores que escreveram para a nossa coluna SOS PAPO DE MÃE. Confiram!
AUTISMOFernanda pergunta: Meu nome é Fernanda, tenho 31 anos. Meu filho Daniel tem 8 anos, e há cerca de um ano foi diagnosticado como portador de autismo. Engraçado que, apesar de sempre desconfiar, por causa de alguns de seus comportamentos, os médicos achavam que ele não tinha nada. Pois bem, a minha maior preocupação com ele é sobre a sua alimentação muito restrita e o uso do risperidona. Primeiro, quanto à alimentação, ele só quer comer massa, pizza, empada, etc… Muito raramente ele come batatas. Arroz e feijão ele vomita. Legumes de jeito nenhum. Não sei mais o que fazer. De um ano para cá ele engordou muito. Ressalto que ele, além de autista, é cardiopata, e não pode engordar. E quanto ao risperidona, é o melhor tratamento, ou devo buscar uma outra opinião médica?Priscila Spiandorello*, nutricionista, responde: Fernanda, quanto à alimentação dele, as crianças são realmente muito seletivas, mas não podemos deixá-las comer alimentos que não são saudáveis a elas. É preciso buscar orientação e ajuda. Preste atenção o porquê dessa necessidade de comer apenas estes alimentos. O glúten e a caseína causam uma sensação de prazer, gerando uma avidez por estes alimentos, que por sua vez causam hiperatividade, falta de concentração, irritabilidade, dificuldade na interação da comunicação e sociabilidade.Dr. Estevão Vadasz**, psiquiatra, responde: Fernanda, a risperidona é um excelente medicamento para pacientes agitados e, eventualmente, agressivos. Porém, um dos efeitos colaterais mais indesejados é o aumento do apetite e, consequentemente, do peso. Em casos mais graves, provoca a síndrome metabólica: aumento do colesterol, triglicérides, glicemia (risco de diabetes). A solução é introduzir um regime hipocalórico associado a atividades físicas.Márcio pergunta:Olá. Tenho um filho com autismo. Ele ainda não fala, só passou a comer com 2 anos e é muito nervoso. Às vezes se morde ou arranca os cabelos. Peço, encarecidamente, uma orientação, pois sou pai solteiro e ele é adotivo. Meu filho é uma criança muito amável comigo, mais tem grande dificuldade de se relacionar com outras crianças. Quando o levo em festas de aniversário, ele fica muito agitado, tenho tentado alguns medicamentos para acalmá-lo, porem ele tem reação contrária aos medicamentos. Costuma ficar muito nervoso e sem sono. Hoje ele só faz o medicamento de risperidona, mesmo assim, ele ainda é muito agitado.Dr. Estevão Vadasz**, psiquiatra, responde: Márcio, a Risperidona é um ótimo medicamento para tratar determinados sintomas. Muitos pacientes autistas não suportam aglomerações e ruídos (barulho) assim como contato com pessoas desconhecidas. Evitar mudanças bruscas de rotina e introduzir “novidades” aos poucos ajuda muito.Cícera Maria pergunta: Parabéns pelo programa! Pena que é raro se ver esses temas abordadosna TV, daí o desconhecimento das pessoas. Tenho também um “anjinho “de 21 anos que é Sindrome de down + autista e, portanto, partilho de todas as dores e alegrias das demais mães. Meu filho também desenvolveu na puberdade a síndrome do intestino irritável, que tem ocasionado muito sofrimento para ele. Pergunto ao doutor se isto é comum? Deus abençoe a todos e tudo azul!!!Dr. Estevão Vadasz**, psiquiatra, responde: Cícera, no H.C. tenho vários pacientes autistas com Síndrome de Down, mas a síndrome do cólon irritável não é comum em autistas. Procure um bom gastroenterologista.Clique aqui para conferir as postagens do programa sobre autismo.* Priscila Spiandorello, é nutricionista clínica funcional. Participou como especialista convidada do Papo de Mãe sobre AUTISMO exibido em 03.04.2011.** Dr. Estevão Vadasz é psiquiatra e coordenador do Ambulatório de Autismo do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo. Participou como especialista convidado do Papo de Mãe sobre AUTISMO exibido em 03.04.2011.
SAÚDE BUCALMárcia pergunta:Com que idade a criança pode usar aparelho? Minha filha tem 7anos e tem dois dentes na parte inferior na frente que estão para dentro.Dr. Christian Wehba***, dentista, responde: Cara Márcia, normalmente indicamos o uso de aparelho a partir dos 8 anos quando a criança apresenta uma dentição mista, ou seja, dentes de leite e definitivos juntos na boca. Esse é um bom momento para começarmos a corrigir os problemas de posicionamento bucal.Fábia pergunta: Olá, meu sobrinho tem sete anos e ainda não começaram a cair os dentes de leite. Isto é normal? Devo ficar abalando com a mão? Isto é normal?Dr. Christian Wehba***, dentista, responde:Fábia, os dentes de leite, ou decíduos, normalmente caem por volta dos 6 a 7 anos de idade. Não fique abalando os dentes de seu sobrinho com sua mão sem antes consultar o dentista e verificar se a saúde bucal de seu sobrinho está ok. Provavelmente devemos realizar radiografia da boca dele e ver a sequência dos dentes se estão de acordo com o esperado.Roberta pergunta: Minha filha está com duas “janelas” e nada dos dentes nascerem. Estou ficando preocupada. Quando o dente cai, será que é normal demorar tanto para nascer? Os outros nasceram mais rápido… até quanto tempo é normal um dente demorar a nascer?
Dr. Christian Wehba***, dentista, responde: Roberta, para responder sua pergunta precisamos de radiografias da boca de sua filha para ver o porque da demora.Clique aqui para conferir as postagens do programa sobre saúde bucal.***Dr. Christian Wehba é dentista com especialização em Periodontia e formação em Implantodontia. Participou como especialista convidado no Programa Papo de Mãe sobre SAÚDE BUCAL exibido em 20.03.2011A coluna SOS PAPO DE MÃE funciona assim: você escreve para a gente a sua dúvida relacionada ao assunto da semana e a gente encaminha ao especialista que participou do programa. Assim que obtivermos a resposta encaminhamos a você, e caso autorizados, publicamos no blog. A intenção desta publicação é ajudar outras pessoas que por acaso tenham as mesmas dúvidas. Caso você não queira ser identificado, basta avisar que manteremos o sigilo do seu nome e outros dados que possam identificá-lo. O nosso e-mail é papodemae@papodemae.com.br. Obrigada a todos pela participação e ajudem a divulgar o Papo de Mãe!!!