Papo de Mãe
Papo de Mãe
» DESENVOLVIMENTO

Puberdade: quando esta fase começa?

Em entrevista ao Papo de Mãe, a Dra. Eloísa Souza esclarece dúvidas sobre a puberdade e o início dessa fase de transição

Maria Cunha* Publicado em 08/06/2021, às 10h17

A puberdade marca a entrada na adolescência
A puberdade marca a entrada na adolescência

A puberdade é um período de grandes mudanças. O tema ainda gera dúvidas entre adolescentes e seus pais, que questionam a rapidez da mudança dos filhos. Em razão disso, a pediatra e hebiatra Dra. Eloísa Souza conversou com o Papo de Mãe e esclareceu diversas questões sobre essa fase de transições.

De acordo com a Dra. Eloísa Souza, a primeira coisa que deve ser definida é o que é puberdade, ou seja, o aparecimento dos caracteres sexuais secundários nas crianças. A pediatra explica que o processo ocorre, naturalmente, nas meninas, a partir dos 8 anos e termina por volta dos 13 e 14. Já nos meninos, a puberdade se inicia aos 9 anos até por volta dos 14 e 15. “É uma faixa etária bem ampla”, Dra. Eloísa Souza comenta.

Desse modo, a pediatra e hebiatra explica que o que acontece antes disso, pode ser chamado de precoce. Dra. Eloísa Souza afirma que é importante saber que cada criança tem o seu “start”, seu início, não tem um padrão. “Não é possível dizer que todo mundo vai começar a ter mama ou vai ter um aumento de testículo a partir dos 10 anos”.

Além disso, a Dra. Eloísa Souza relata a importância de se considerar as características familiares. “Quando começa esse processo, a gente pergunta quando é que a mãe ‘ficou mocinha’, quando é que as coisas começaram a mudar naquela família. É um dado importante que às vezes não se leva em consideração”.

Veja também

Os sinais da puberdade

[Colocar ALT]
A médica Eloísa Souza, no Programa Papo de Mãe

A médica explica que o início da puberdade pode ser percebido nas primeiras manifestações que vão diferenciar meninos e meninas. “Nos meninos, geralmente são mais discretas as manifestações, são mais iniciais, como uma mudança da característica da pele, acnes, um pelinho que aparece. Na menina, a primeira manifestação é a do broto mamário, a mais visível”.

Dra. Eloísa Souza completa ao dizer que, quando isso acontece, há um período de até dois anos para acontecer a menstruação. “Isso é uma coisa que assusta muito a família, apareceu a mama já acha que vai menstruar logo, mas não necessariamente."

A angústia das famílias

Outra questão importante que a médica comenta está relacionada à angústia das famílias. A Dra. Eloísa Souza explica que muitas mães acreditam que, se a filha já está com mamas, significa que, quando ela menstruar, irá parar de crescer imediatamente. “Não necessariamente, tem um tempo pra que as coisas se manifestem, como eu disse, muito relacionado à genética de cada família”, explica a pediatra e hebiatra.

O crescimento rápido também é outro fator percebido pelas famílias. A Dra. Eloísa Souza explica que, na puberdade, há uma aceleração da velocidade de crescimento. “A criança cresce muito mais depressa. Se ela vinha crescendo 0,5 ou 1 cm por mês, dali a pouquinho dobra essa velocidade de crescimento. É o estirão de crescimento que acontece na puberdade”.

A médica ainda ressalta que as famílias não devem se enganar, pois, às vezes, é comum que alguns sintomas que são naturais da criança apareçam antes, como a produção de alguns hormônios que levam a alteração de glândulas sudoríparas. “É aquela criança que começa com um cheirinho no braço. Isso ainda não é a puberdade, significa que as glândulas adrenais já estão entrando em produção. É só o primeiro alerta de que a criança está crescendo, entrando no processo de crescimento normal, que pode acontecer a partir dos 6 anos”, diz a Dra. Eloísa Souza.

A puberdade precoce

Fenômeno que vem sendo muito discutido, segundo a Dra. Eloísa Souza existem algumas situações que favorecem a puberdade precoce. “Ao ficar em casa, em confinamento, há uma predisposição ao aumento de peso e do estresse. É como se o peso da criança ligasse o botão da puberdade. Não necessariamente será precoce, mas aos 9 anos ela vai ter mais desenvolvimento do que aquela criança mais magrinha. A desnutrição, por exemplo, leva ao atraso da puberdade”.

Ela completa ao dizer que os estímulos visuais também tem influência, ficar assistindo muita novela com cenas amorosas, a criança vai se interessando e isso pode se tornar um gatilho”, explica a pediatra e hebiatra.

Outra questão abordada pela Dra. Eloísa Souza e que deve ser revista é a quantidade de hormônios que tem sido colocada nos alimentos e que pode estar influenciando no crescimento das crianças. Ela explica que a alimentação com carnes, por exemplo, pode ter uma sobrecarga de hormônios. “A questão da secreção hormonal é multifatorial”.

A médica também explica que é comum o susto das famílias com uma possível puberdade precoce, já que grande parte dos pais não nota que o tempo passou. “A criança faz 8 ou 9 anos e, de repente, os pais percebem que a filha tem peitos ou o filho está falando mais grosso. É muito rápido, isso também tem a ver com a dificuldade de autopercepção dos pais, que não notam que o filho cresceu”.

Dra. Eloísa Souza finaliza com uma curiosidade: As mães, principalmente, têm depressão quando começam a detectar algumas manifestações que a criança está mais velha. “É difícil assumir que você também está mais velha. No consultório, muitas mães me perguntam: você tem certeza que [a puberdade] já está começando? Está tudo bem? Não é antes da hora? Não é precoce?”.

A resposta da pediatra é que não, na maioria das vezes, tudo está correndo da maneira correta e esperada. "É preciso entender isso", conclui a pediatra e hebiatra Dra. Eloísa Souza.

Assista ao Papo de Mãe sobre primeira menstruação

Assista ao Papo de Mãe sobre meninos na puberdade

*Maria Cunha é repórter do Papo de Mãe

AlimentaçãoComportamentoDesenvolvimentoEntrevistasPandemiaSaúde