Papo de Mãe
Papo de Mãe
» MATERNIDADE E CARREIRA

Propósito de vida depois dos 50

A colunista Stella Azulay fala sobre o propósito de vida da mulher depois dos 50 anos, fase em que os filhos já cresceram e as mães repensam o futuro

Maria Cunha* Publicado em 08/10/2021, às 15h00

Stella Azulay é colunista do Papo de Mãe
Stella Azulay é colunista do Papo de Mãe

No último episódio de sua série sobre maternidade e carreira, Stella Azulay, diretora da escola de pais e adolescentes XD, fala sobre o propósito de vida da mulher depois dos 50.

De acordo com Stella, nessa fase, normalmente, os filhos já estão com a vida deles e precisam menos das mães, dando prioridade para os amigos e para os próprios programas. Com isso, ocorre uma transformação na relação pais e filhos.

A partir desse momento, as mães começam a pensar em seus propósitos de vida, mesmo que já tenham retomado suas carreiras. A própria escolha profissional, por exemplo, é também questionada.

“Existe um momento na vida da mulher em que ela fala: Eu vou viver para quê? Para quem? Como? E aí, eu acho que a gente tem que apelar pra algumas ferramentas, como grupos de mulheres que estão na mesma fase, começar a conversar e entender as mudanças que vem acontecendo com o corpo e com a mente, e entender também as mudanças externas que fogem ao nosso controle, novas necessidades, novos sentimentos. Os nossos hormônios aos 50 anos estão borbulhando”, explica Stella Azulay.

Assista ao vídeo da Stella Azulay sobre maternidade e carreira

A colunista do Papo de Mãe ainda completa ao revelar que, aos 50, as mulheres voltam a olhar para si mesmas com outros olhos. É uma fase de se gostar, de se amar, de ter um tempo de qualidade seu. Por isso, é um momento em que elas têm que refazer suas contas mentais do que precisam realizar e do que você precisa fazer por elas mesmas.

Qual é o meu propósito?

Stella Azulay conta que, às vezes, ocorre uma frustração, um pouco grande, nas mulheres em relação tanto a carreira quanto a maternidade, porque elas acabam se sentindo menos úteis para os filhos. Entretanto, isso não é real, somente uma sensação que a mulher acaba tendo, pois os filhos já cresceram, tem opinião própria, vida própria e muitos já estão ganhando seu dinheiro.

“Ela se sente menos útil, normalmente o relacionamento com parceiro também muda nessa fase, o nosso corpo muda, as coisas que a gente quer pra gente mudam, o parceiro ou parceira também está mudando e, de repente, aquele trabalho também já não se encaixa mais no seu novo propósito, porque quando a gente chegar aos 50 ou 50+, muda um pouquinho a nossa visão da vida, a gente sente que já está no meio do caminho”.

Veja também

Além disso, a colunista do Papo de Mãe ainda cita outras perguntas que as mulheres devem fazer para si mesmas:

  1. O que que eu estou fazendo pra ser feliz?
  2. O que que eu estou fazendo por mim?
  3. Como está minha saúde física?
  4. Como anda meu corpo?
  5. Como anda minha saúde mental?

Sem medo de mudar

Stella Azulay reforça, então, que as mudanças planejadas e boas, que trazem propósito para nossa vida, são muito bem-vindas e temos que ter a coragem de sentir e de dar os primeiros passos na direção dessa mudança, porque senão, a partir daí, vem um sentimento de frustração muito grande que acaba impactando nas outras áreas da vida.

“Vai impactar na sua área relacional em casa, seja com o cônjuge ou com os filhos, seja na sua relação familiar com parentes e vai impactar, se você estiver trabalhando, no seu trabalho atual também, começa a vir uma insatisfação que vai jogar a pessoa pra baixo”, conta Stella.

A partir disso, a colunista do Papo de Mãe pontua que é normal a mulher, a partir dos 50, querer dar uma volta de 360° em sua vida, o que não tem problema, pelo contrário, é importante rever, sentir e descobrir o seu principal propósito.

“Nós vamos ser mães dos nossos filhos pra sempre e para sempre temos que estar prontas para aconselhar, acolher e ser mentoras deles. Mas, também é o momento de uma realização pessoal importante acontecer e é preciso não ter medo ou vergonha de, de repente, empreender algo novo, totalmente diferente, parar tudo”.

O centro de tudo é a conversa

Segundo Stella Azulay, a base para encontrar o seu propósito aos 50 é conversar com as pessoas que convivem com você, para que isso não seja feito de uma maneira irresponsável ou de qualquer jeito, pois existem várias formas de traçarmos uma mudança na nossa vida.

“Se você está sentindo essa necessidade de encontrar um propósito, de reencontrar o seu propósito de vida a partir dos 50, eu digo pra vocês que é um momento mágico, importante, de confiança em si mesma e, de novo, se precisar de ajuda ou orientação, vá buscar porque vale a pena”, diz Stella.

Stella também explica que essa ajuda pode ser encontrada tanto com a contratação de um profissional para dar orientações, quanto com a participação em uma rede de apoio com mulheres que tem o mesmo perfil e que estão passando pelo mesmo momento e estão na mesma fase.

“É muito bacana escutar histórias de outras mulheres, compartilhar ideias. Hoje, existem muitos grupos nas redes sociais voltados para essa faixa etária e é muito legal, porque vai trazendo pra você aquele livro, mostra que você não está sozinha nesses pensamentos, nessa jornada, e acho que facilita bastante quando você compartilha as coisas que vem passando pela sua mente, ajuda a se entender, se aceitar, se amar e buscar um caminho que seja saudável pra você, porque um caminho saudável para você, é um caminho saudável pra todo mundo que te rodeia”.

A diretora da escola de pais e adolescentes XD, Stella Azulay, conclui ao desejar para as mulheres, aos 50 anos, muita coragem, foco, força, autoestima lá em cima e, reforça que, se necessário, não deixem de buscar ajuda pra enxergar com mais clareza quem são agora o que querem ser amanhã.

*Maria Cunha é repórter do Papo de Mãe

Stella AzulayComportamentoDesafios / DilemasTrabalho / Carreira