Papo de Mãe
Papo de Mãe

Por que criança tem medo de salada?

Roberta Manreza Publicado em 09/11/2014, às 00h00 - Atualizado em 10/11/2014, às 19h38

None
9 de novembro de 2014


Fernanda de Luca*

Há três anos decidi que era hora de dar uma pausa no trabalho “maluco” de jornalista do hard news, ter mais tempo para ficar com os filhos e, literalmente, colocar a casa em ordem. A minha casa!

Passei as meninas para estudar no horário da manhã, juntei os 3 na mesma escola (meu filho estudava em outro colégio período semi-integral) e comecei a almoçar todos os dias com eles. Até meu marido passou a vir almoçar em casa, já que por aqui nunca existiu essa rotina de reunir a família à mesa nesse horário. E é bem bacana, viu? A molecada chega cheia de novidades da escola, querendo contar tudo, todo mundo junto e com todos os detalhes, ligados no 220!

O maior problema dos meus filhos era a salada, o tão temido verde na refeição. Se vissem uma única salsinha no meio da comida, parecia que tinha descido um ET e pousado com o disco voador no prato deles:

 – Mãaaae, o que é isso verde??? Tira daqui!!!  ( Isso fora a cara de espanto e nojinho, né?)

Foi aí que eu baixei uma lei: todo dia vai ter salada no almoço! Que revolução a minha!!! E por incrível que pareça, foi mais fácil do que eu pensei convencê-los a comer. Claro que teve um pouco de chantagem, algumas trocas, enfim, coisas de mãe, né? (Será que vou virar alvo dos psicólogos de plantão que não recomendam tal atitude: “Come uma folha de alface e um pouco de beterraba que eu deixo chocolate de sobremesa”?)

Sei que a conversa é o melhor caminho, sempre! Mas um pouco de persuasão também ajuda, vai? Uma amiga minha nutricionista, diz que para convencer uma criança a comer novos alimentos tem uma palavra que deve ser extinta do vocabulário: EXPERIMENTAR. Achei estranho, mas os argumentos são válidos, quer saber?! Segundo a nutricionista, experimentar parece algo arriscado, não inspira confiança na criança e ela já fica com os dois pés atrás, pronta para dizer: “Não gostei”.

Então qual o jeito certo? Você tem que seduzir o seu filho. Isso mesmo, coma você o alimento com vontade, diga o quanto é gostoso, deixe que ele desperte interesse e curiosidade. Com isso, a chance do seu pequeno aceitar um novo item no cardápio é muito maior! Ah, os especialistas também dizem que é preciso provar pelo menos 10 vezes o mesmo alimento antes de ter certeza de que não gostou.

Outra dica bacana é levar as crianças à feira ou ao supermercado e deixar que elas peguem e ajudem a escolher as frutas, verduras e legumes que serão levados para casa. Se ela for para a cozinha e ainda ajudar a lavar, cortar e montar uma bela salada, essas chances aumentam ainda mais!!!

SALADA1

Enfim, voltando às minhas crias, não vou me gabar dizendo que meus filhos são os melhores comedores de salada do mundo, até porque estão longe disso! No entanto, eles se tornaram amigos do verde e todos os seus tons…

O Igor ama pepino! É capaz de comer um inteiro, todos os dias, no almoço. O que eu descobri? Ele não gosta do pepino cortado em rodelas, mas sim, em fatias laterais e mais grossas para pegar com a mão e molhar no tempero. Ele também é fã de brócolis e adora aspargos! Arroz com cenoura, ele ama!!!

A Georgia e a Isadora comem alface super bem, pelo menos 2 folhas no prato. Tem ainda meio ovo cozido, azeitonas, um pouco de cenoura, às vezes (com insistência e pequena chantagem) beterraba e até repolho!!!

O importante é que eles comem a tal da salada, até porque o tempo vai passar, eles vão crescer, os regimes da vida vão surgir e quando menos perceberem, terão se tornado adultos devoradores de verde! Quase herbívoros… rsrsrs

O mais legal em tudo isso acho que foi a minha presença, afinal almoço sem a nossa supervisão direta vira cardápio fixo de nuggets, salsicha e macarrão, tô certa ou tô errada?

Agora eu não consigo mais almoçar todos os dias com eles. Voltei ao trabalho, aqui no Papo de Mãe! Obaaaaa!!! Gente já estou há 1 ano e meio com vocês!!! Mas 2 ou 3 vezes na semana eu ainda garanto o almoço em família! O interessante é que a rotina da salada já foi instituída, deixou de ser uma ameaça e virou algo natural. Minha casa está mais organizada, o prato da criançada muito mais colorido, e eu com sensação de dever cumprido!

DICA: Assista ao Papo de Mãe sobre Alimentação

*Fernanda de Luca é mãe, jornalista, produtora, repórter do Programa Papo de Mãe e colunista do Portal Papo de Mãe.




Diversos