Papo de Mãe
Papo de Mãe
» ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Por que 99% das crianças não consomem a quantidade recomendada de fibras?

A importância das fibras na alimentação das crianças e como colocar este alimento no cardápio dos pequenos

Carolina Falcoski* Publicado em 31/08/2021, às 07h00

As fibras precisam fazer parte da nossa alimentação
As fibras precisam fazer parte da nossa alimentação
Oferecido por:


As fibras já são bem conhecidas por quem procura ter uma alimentação saudável, ou por quem preza por bons hábitos alimentares da criançada. Afinal, as fibras são grandes aliadas do bom funcionamento do intestino, além de tantos outros benefícios.

Mas um dado alarmante sobre o consumo de fibras dos brasileirinhos chama atenção: a pesquisa KNHS 2020 (Kids Nutrition and Health Study), desenvolvida pelo Nestlé Nutrition Institute em 2019, demonstrou que 99% das crianças não consomem a quantidade diária recomendada de fibras. 

E por que isso está acontecendo?

Essa pesquisa mostrou que menos da metade das crianças do estudo consome frutas, verduras e legumes regularmente. E ainda tem outro dado preocupante: as crianças que consomem alimentos destes grupos, o consomem em quantidades muito pequenas – ou seja, insuficientes para que as fibras façam seu trabalho no organismo!

Veja também

Outro resultado que o estudo trouxe foi que apenas 34% das crianças entre 4 e 9 anos, e 28% das crianças acima de 9 anos consumiram feijão (ou outra leguminosa) no jantar. Conforme vamos falar mais adiante, o feijão é uma excelente fonte de fibras, além de ser um alimento super popular no Brasil!

Bom, considerando que esses grupos de alimentos são algumas das principais fontes de fibras da alimentação, dá para entender de onde vem esse baixo consumo, não é?

E o que isso pode causar?

Antes de tudo, é bom lembrar que consumir poucas frutas, verduras, legumes, leguminosas e cereais integrais (outra ótima fonte de fibras) também vai fazer, muito provavelmente, com que a criança consuma vitaminas e minerais essenciais em quantidades insuficientes para seu crescimento e desenvolvimento.

Em relação às fibras, sabe-se que quem inclui poucas delas nas refeições pode acabar tendo problemas de intestino preso (constipação), além de uma saciedade menor (ou seja, a criança come, e em pouco tempo, já está faminta de novo!). Ruim né?! Além disso, é legal você saber também que crianças que consomem a quantidade adequada de fibras por dia apresentam uma flora intestinal mais equilibrada (o que ainda pode refletir na imunidade!) e um melhor aproveitamento dos nutrientes ingeridos.

O que fazer para que elas consumam + fibras no dia a dia?

O indicado é que, ao longo do dia, a criançada (de 3 a 8 anos de idade) consuma, aproximadamente, 25g de fibras. Mas como garantir essa quantidade na prática?

Veja abaixo alguns exemplos de alimentos com suas respectivas quantidades de fibras:

  • 1 concha de feijão (75g): 13,8g de fibras
  • 1 fatia de pão integral (25g): 1,7g de fibras
  • 1 colher (sopa) aveia em flocos (15g): 1,4g de fibras
  • 1 banana nanica (86g): 1,7g de fibras
  • 1 colher (sopa) de cenoura crua ralada (12g): 0,4g

Outra dica valiosa é que existem hoje várias versões integrais de alimentos que normalmente são consumidos na versão refinada, como arroz, macarrão, bolos e biscoitos. Que tal fazer essa troca inteligente e adicionar fibras utilizando alimentos já adorados pela sua criança?

Ah, outro ponto bacana de lembrar: além dos grupos de alimentos que já comentamos aqui, outra forma prática e simples de acrescentar fibras no dia a dia é pelo consumo de alimentos fortificados. Para se certificar de que contém fibras, lembre-se de ler o rótulo com bastante atenção rótulo, combinado? 

Agora que você já sabe sobre a importância das fibras e como inserir na alimentação das crianças, é colocar em prática e assim ajudar para um crescimento ainda mais saudável!

E por fim, mas não menos importante: lembre-se que para construir hábitos alimentares mais saudáveis para a criançada, é preciso que toda a família embarque nessa mudança! Então aproveite essas dicas para melhorar sua alimentação também, e dê o exemplo de que uma alimentação saudável pode – e deve! – ser muito prazerosa!

Referências bibliográficas

Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia. Manual de Alimentação: orientações para alimentação do lactente ao adolescente, na escola, na gestante, na prevenção de doenças e segurança alimentar / Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento Científico de Nutrologia. – 4ª. ed. - São Paulo: SBP, 2018. 172 p.

carolina
Carolina Falcoski

*Carolina Falcoski, gerente da área de Nutrição, Saúde e Bem-Estar da Nestlé

**O Programa Nestlé por Crianças Mais Saudáveis é uma iniciativa global da Nestlé, que assumiu o compromisso de ajudar 50 milhões de crianças a serem mais saudáveis até 2030 no mundo todo. Desde 1999 foram beneficiadas mais de 3 milhões de crianças no Brasil. 

Com o lema “muda que elas mudam”, a partir de uma plataforma de conteúdo, o programa estimula famílias a adotarem hábitos mais saudáveis e ainda promove um prêmio nacional que ajuda a transformar a realidade de 10 escolas públicas por ano com reformas e mentorias pedagógicas.

Conheça mais no site do programa.

Nestlé por crianças mais saudáveis