Papo de Mãe
Papo de Mãe
» ALIMENTAÇÃO

Obesidade: uma pandemia contemporânea

Colunista do Papo de Mãe faz um apelo sobre os riscos o sobrepeso e obesidade, e explica porque se alimentar de maneira saudável é um ganho para a família toda

Ariela Doctors* Publicado em 30/12/2020, às 00h00 - Atualizado em 05/01/2021, às 08h08

Receita de granola saúdavel por Ariela Doctors - (Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução)
Receita de granola saúdavel por Ariela Doctors - (Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução)

De maneira sorrateira e silenciosa, a obesidade vem se instalando em todas as camadas da nossa sociedade. Que fenômeno será esse? Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), mais da metade da população brasileira está sobrepeso e a obesidade já atinge 20% das pessoas adultas.

Entre as crianças, estima-se que 7,3% menores de cinco anos estão acima do peso, sendo as meninas as mais afetadas, 7,7%. ​Exatamente por isso, pela primeira vez, as crianças começaram a apresentar doenças que antes eram comuns aos adultos, como diabetes tipo 2, problemas cardiovasculares e depressão.

Veja também:

A obesidade e o sobrepeso são assuntos complexos. Por trás deles estão escondidas várias questões importantes da nossa sociedade.

Por um lado, estar sobrepeso, ter um filho ou uma filha obesa, nos enche de culpa. Será que estamos comendo demais, não estamos nos exercitando o suficiente, comemos muito doce, muita massa, etc, etc?

Aí você pode dizer… puxa, mas eu estou estressada/o, muito trabalho, muitas obrigações, não dou atenção aos meus filhos… comer é meu único prazer (e o deles)!

Seguir por esta estrada pode ser bastante perigoso e piorar nossa situação. Engordamos, nossa ansiedade aumenta, ficamos deprimidos, nossa saúde piora, podemos adquirir doenças crônicas… (Estimativas Globais de Saúde divulgadas pela OMS indicam que 7 entre as 10 principais causas de óbitos em 2019 estão relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis – DCNTs).

Então, quer dizer que a “cura” é nossa responsabilidade?

Bem, por um lado sim, mas precisamos conhecer outros lados dessa mesma moeda.
Você já parou para pensar que existem outras causas para obesidade e o sobrepeso que estão fora de nós?

Vivemos num Sistema Agroalimentar bastante simplista e com uma indústria publicitária bastante perversa. Monoculturas de poucos alimentos dominam nossos cardápios diários. Nossas dietas são, na maioria das vezes, muito monótonas! 

Comemos essencialmente cinco alimentos: trigo, batata, açúcar, milho e soja. Ah! E carne, é claro. As crianças, atualmente, conhecem vários nomes de marcas de alimentos e bolachas e mal reconhecem as frutas, legumes e verduras!

Além disso, as empresas “donas dos alimentos” são multinacionais super poderosas, que investem muito pesado em anúncios incríveis, embalagens coloridas e super atraentes que maquiam comidas de mentira, produtos ruins, relativamente baratos e que engordam! Com o apelo de que são práticas para o nosso dia a dia, super saborosas e nutritivas, escondem muito sal, muito açúcar e gorduras, além de aromatizantes, acidulantes e outras substâncias que não fazem bem para nossa saúde e bem-estar.

E, vejam, tudo isso ainda alimenta um preconceito muito grande em relação aos corpos obesos. A “gordofobia” é outra sociopatia que esconde essas e outras questões dos nossos modos de vida da atualidade.

Além de nos conscientizarmos disso tudo, precisamos conhecer mais da nossa biodiversidade! A criatividade precisa chegar às nossas mesas! O alimento fresco, a comida de verdade nos apontam o caminho para uma melhor qualidade de vida e um corpo mais sadio para nós e nossas filhas e filhos.

Minha dica de hoje é o documentário “Muito Além do Peso”, dirigido por Estela Renner, que trata sobre essa pandemia de obesidade infantil que, acredite, estamos vivendo atualmente. O filme apresenta uma série de entrevistas com médicos, especialistas, pais, profissionais da educação e autoridades governamentais que avaliam as consequências do sobrepeso nas crianças.

E, como sempre, cozinhe com seus filhos e filhas! Aí vai mais uma receita para sua coleção familiar!

Receita Granola – faz 2 potes grandes

Dois potes de granolaMenino com um prato de granolaMenina segurando um pote de granola

A granola é riquíssima em nutrientes. Suas fibras ajudam na prevenção do câncer de intestino, porque inibem a multiplicação das bactérias ruins, que produzem substâncias tóxicas e potencialmente cancerígenas. Além de ser deliciosa e as crianças adoram! Fonte de muita energia para elas gastarem com brincadeiras e esportes!

Ingredientes (você pode substituir algum ingrediente que não gosta por outro, ou simplesmente não acrescentar!)

  • 3 xícaras de chá de aveia em flocos
  • 1 xícara de chá de amêndoas com ou sem casca
  • 1 xícara de chá de coco em flocos
  • 1⁄2 xícara de chá de germe de trigo
  • 1⁄2 xícara de chá de trigo sarraceno
  • 1 colher de sopa de gergelim
  • 1 colher de sopa de semente de girassol
  • 6 colheres de sopa de mel ou melado de cada
  • 1⁄2 xícara de chá de açúcar mascavo
  • 1⁄4 de xícara de chá de óleo de milho
  • 1 xícara de uvas-passa ou banana-passa ou de qualquer berry-passa
  • 2 colheres de sopa de água

Como preparar

  1. Numa vasilha grande, misture a aveia, as amêndoas, o coco, o gergelim, as sementes de girassol e o trigo sarraceno;
  2. Em outra vasilha menor, misture o mel, o açúcar, a água e o óleo;
  3. Misture o conteúdo das duas vasilhas;
  4. Leve a granola em uma assadeira ao forno pré-aquecido;
  5. Asse por 45 minutos, mexendo a cada 15 minutos (um adulto) ou até dourarpor igual;
  6. Retire da assadeira, deixe esfriar e acrescente a banana-passa picada ouuva-passa;
  7. Coma com iogurte ou frutas! E pode guardar num pote fechadohermeticamente para comer por vários dias;

Dica: não descuide da granola no forno, pois ela queima com muita facilidade!

Granola

*Ariela Doctors é mãe, comunicadora, chef de cozinha e educadora

Assista à pediatra Renata Rodrigues Aniceto, da Liga da Cozinha Afetiva, falando sobre obesidade infantil na pandemia:

Ariela DoctorsCriançaSaúde