Papo de Mãe
Papo de Mãe
» DIA DA MULHER

O papel da mulher na guerra ucraniana e a questão humanitária para as mães de uma pessoa com deficiência

A colunista Thaissa Alvarenga fala sobre a guerra ucraniana e sua perspectiva, como mãe de uma pessoa com deficiência, do conflito

Thaissa Alvarenga* Publicado em 08/03/2022, às 18h07

Em uma guerra pelo poder, todos os princípios de empatia, respeito, amor ao próximo e dignidade são esquecidos. - Foto: Copyright F. Malavolta
Em uma guerra pelo poder, todos os princípios de empatia, respeito, amor ao próximo e dignidade são esquecidos. - Foto: Copyright F. Malavolta

É entristecedor olhar tudo que está acontecendo nessa guerra. Toda falta de respeito, falta de empatia e amor ao próximo pela busca por poder. O poder e a ganância de todos avançando sobre as pessoas, as famílias, sobre os seres humanos.

Mulheres sendo obrigadas a se separar de seus familiares em busca de locais mais seguros para suas famílias. No entanto, as mulheres, dificilmente são vítimas passivas. Elas lamentam, lutam contra o sofrimento e muitas se veem obrigadas a se reinventar, abandonando uma antiga identidade e forjando uma nova, formada pela guerra.

Trazendo para um olhar de mães que tem um filho com deficiência, filhos pequenos, e que contam com o apoio de seus companheiros e familiares, é ainda mais devastador.

Assista ao vídeo da colunista Stella Azulay sobre a guerra na Ucrânia

Vemos pessoas com deficiência sendo abandonadas, sendo usadas como escudo junto com idosos, isso é desumano.

A mulher tem um papel fundamental na sociedade, a mulher profissional, o papel da mulher mãe, aquela pessoa que está junto do marido e filhos.

Quando você olha uma guerra humanitária pelo poder, todos os princípios de empatia, respeito, amor ao próximo, dignidade são esquecidos. O que posso dizer neste Dia Internacional da Mulher é que olhar mais para esse sentimento tão lindo que é o da mãe, da mulher, que consegue numa pessoa só várias identidades: uma leoa lutadora e protetora ao mesmo tempo.

Veja também

Eu como mãe de três me sinto empoderada, eu como mãe empreendedora social acredito que temos que levantar uma bandeira neste dia para que a guerra acabe e que a força da mulher reverbere como um grande espelho, levantando a bandeira de paz.

thaissa
Thaissa Alvarenga e os filhos

*Thaissa Alvarenga é fundadora da ONG Nosso Olhar, do portal de conteúdo Chico e suas Marias e do canal do youtube Inclua Mundo.

ColunistasThaissa AlvarengaConflitosInclusão