Papo de Mãe
Papo de Mãe

O momento de ser mãe

Este recurso está sendo cada vez mais buscado por mulheres que desejam prolongar a fertilidade.

Roberta Manreza Publicado em 31/01/2021, às 00h00 - Atualizado em 01/02/2021, às 19h30

None
31 de janeiro de 2021


Aumenta o número de mulheres em busca do congelamento de óvulos. Saiba passo a passo

Por Dr. Alfonso Araújo Massaguer

É cada vez maior o número de mulheres que têm escolhido engravidar após os 35 anos de idade. Seja por que estão em busca de maior estabilidade financeira, por outras prioridades, ou por simplesmente acharem que não é o melhor momento para engravidar. Essa tendência vem se confirmando a cada ano, e o congelamento de óvulos tem se tornado cada dia mais popular.

Este recurso está sendo cada vez mais buscado por mulheres que desejam prolongar a fertilidade. Existem disponíveis várias técnicas de congelamento, uma das mais eficazes é a vitrificação, que tem uma taxa de sucesso de 95% no descongelamento.

Entretanto, para que o congelamento de óvulos seja realmente uma boa opção para a extensão da fertilidade, é necessário tomar alguns cuidados, que explico ao longo deste artigo.

O congelamento de óvulos é um procedimento adotado por mulheres que querem estender sua fertilidade por mais tempo. O ideal é que isto ocorra antes dos 35 anos de idade da mulher, isso porque, até esse período as mulheres ainda têm boas taxas de fertilidade. Já aos 40 anos de idade, o percentual de sucesso é de 60%.

O processo de congelamento de óvulos envolve algumas etapas. Para começar a paciente precisa fazer uma indução de ovulação, que dura, mais ou menos, 10 dias, e consiste na ingestão de medicamentos que irão estimular o crescimento de folículos.

No 12° dia de tratamento, a mulher é sedada para que os óvulos possam ser coletados. Este procedimento é feito com uma agulha especial que fica acoplada a um ultrassom.Após a coleta, os óvulos são encaminhados para o laboratório e ficam em processo de maturação até serem selecionados.Só então ocorre o congelamento em nitrogênio líquido a -196°C, onde ficam armazenados até que a paciente decida engravidar.

O custo desse procedimento depende muito da clínica onde a paciente fará o processo. Geralmente, as despesas do procedimento giram em torno de R$ 10 mil a R$ 18 mil e compreendem desde a medicação, até a coleta de óvulos. Contudo, o que muita gente não sabe é que, além dos custos do procedimento em si, também terão custos com a manutenção do material coletado. Essas despesas chegam a cerca de R$ 1,2 mil por ano. E também é preciso levar em conta todos os processos que envolvem o pós congelamento, como o descongelamento e a fertilização, por exemplo.

O procedimento é indicado para casos de extensão da fertilidade, em casos de tratamento contra o câncer ou outras razões que podem ocasionar a infertilidade permanente. O procedimento é uma segurança para mulheres que querem engravidar futuramente, independente da motivação. Procure uma clínica especializada para saber mais sobre o procedimento.

*Dr. Alfonso Araújo Massaguer – CRM 97.335 

www.mae.med.br

É Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Ginecologista e Obstetra pelo Hospital das Clínicas e Especialista em Reprodução Humana pelo Instituto Universitário Dexeus – Barcelona. Dr. Alfonso é diretor clínico da MAE (Medicina de Atendimento Especializado) especializada em reprodução assistida.

https://www.instagram.com/maemedicina/

Veja também:

Você sabe como anda sua fertilidade?

A gravidez depois dos 40 anos

Quero ser pai, mas fiz vasectomia, e agora?




DestaquesDicasDiversosHomeGravidezTentando Engravidar