Papo de Mãe
Papo de Mãe

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO: RELATO

pmadmin Publicado em 15/07/2011, às 00h00 - Atualizado em 19/09/2014, às 19h45

15 de julho de 2011


“No início deste ano, meu filho, de 4 anos e meio, mudou de turma na escola. Permaneceu na mesma escola, mudando apenas de turma e de professora e seus amiguinhos do ano anterior continuavam lá. Porém, com a outra professora, apenas ele daquela antiga turma não permaneceu na turma. Também ocorreram mudanças referente à rotina deles na escola: do Infantil I, foi para o Infantil II – uma nova fase, onde o tempo de brincadeiras diminuiu e aumentou o tempo de atividades pedagógicas em sala de aula.Pois bem, meu filho começou a apresentar um comportamento muito diferente do habitual, ficou agressivo com os colegas, respondia mal à professora, não queria obedecer e nem respeitar as regras. Todos os dias a professora me ligava para reclamar, e eu surpresa não podia acreditar! Até parecia que ela não estava falando do meu filho e sim de outra criança…Eu e meu marido juntos começamos em casa uma jornada de muito diálogo com ele, procuramos saber dele o que estava acontecendo, e ele me dizia que não queria aqueles amigos, que queria ficar com os outros (os antigos), que ele queria mudar de turma, que não queria aquela professora, queria a professora antiga, e que não queria mais ir para aquela escola, que ele não brincava mais, quando brincava era muito pouco tempo… Enfim, foi muito difícil, porque estávamos acostumados com um menino dócil, educado, que adorava ir para a escola. No início, me senti perdida. Por algumas vezes, coloquei alguns “castigos”, porque quando ia falar com ele, ele não aceitava, então tirei algumas coisas de que ele gostava para que ele pudesse me ouvir. Foi um trabalho de formiguinha, eu, o pai e a escola, com muita conversa tentamos mostrar para ele o que ele estava ganhando com a mudança, que era necessária e para o seu bem. Foram dias e dias de conversa, um após o outro. Dias muito cansativos porque todo dia era a mesma coisa. Sofri muito nesse período, porque a gente sempre se culpa. Até que um dia, conversando com a coordenadora pedagógica da escola, ela me tranquilizou dizendo que é assim mesmo, que cada criança reage de um jeito às mudanças, que eu tivesse paciência que iria passar…Então, percebi que não era só com o meu filho. Mas se a maneira do meu filho reagir foi essa, pensei em dar a ele todo o suporte para superar esta fase. Foi o que fizemos. Conversamos muito com ele, sempre com muito carinho e amor, tentamos fazer com que ele se sentisse seguro e pronto para mudar. E o resultado foi positivo.Hoje, ele recuperou a vontade de ir para a escola, aprendeu a gostar da professora e dos novos amigos, sem esquecer-se dos antigos. Está aprendendo que para tudo tem uma hora (hora de brincar, hora de estudar, hora de lanchar), e que quem decide é a professora e não ele, e que como um bom menino, ele deve obedecer, porque ela está lá para ensinar e ele para aprender. E que isso tudo será para o seu bem, porque nós o amamos muito, e queremos que ele seja muito feliz! Abraços, mamãe Mari.”


Diversos