Papo de Mãe
Papo de Mãe
» EDUCAÇÃO

Móveis que educam: conheça métodos que ajudam no desenvolvimento das crianças

Em entrevista, Paula Takahashi explica como seguir novas metodologias mudou a vida de seus filhos, além de explicar como elas são aplicadas nos móveis

Fernanda Fernandes* Publicado em 22/10/2021, às 15h59

A aplicação de diferentes metodologias pode partir tanto de instituições de ensino quanto da família - site Tanabata Kids
A aplicação de diferentes metodologias pode partir tanto de instituições de ensino quanto da família - site Tanabata Kids

As primeiras fases do desenvolvimento infantil são de muita importância e de grandes descobertas. Por isso, pensar em boas práticas educativas para o seu filho, faz toda a diferença.

Hoje existem vários métodos de ensino que fogem do que é conhecido como o “tradicional”. Entre eles estão: Metodologia Pikler, Método Montessori e Waldorf.

Desenvolvido pela médica húngara Emmi Pikler, o Método Pikler traz uma nova perspectiva para a educação de bebês e crianças pequenas, com até três anos. Focando em uma abordagem baseada no movimento livre e na autonomia do bebê.

O Método Montessori, criado pela pedagoga, médica e educadora italiana Maria Montessori, se baseia na atividade autodirigida, aprendizagem prática e brincadeira colaborativa.  

Já o Método Waldorf, também conhecido como Pedagogia Waldorf, foi desenvolvido por Rudolf Steiner e fundamenta as práticas educativas que desenvolvem o aluno de forma integral, associando assim habilidades corporais, cognitivas e emocionais.

A aplicação dessas metodologias pode partir tanto de instituições de ensino quanto da família. E além de estar presente na forma de se relacionar com as crianças, também pode ser influenciada e aplicada por meio dos móveis que estão ao redor dela.

Pensando em conhecer mais sobre as metodologias e entender como os móveis influenciam as crianças, o Papo de Mãe entrevistou Paula Takahashi, que cursou "Liberdade para os Bebês", sobre a abordagem Pikler; é fundadora e consultora pedagógica da empresa Tanabata Kids, e que está se formando em Pedagogia Waldorf.

Criação da Tanabata Kids

A empresa Tanabata Kids é uma marcenaria de móveis educativos que fabrica seguindo as diretrizes Montessori, R. Steiner e Pikler.

Ao perguntar para Paula o motivo pelo qual sua marcenaria decidiu seguir diretrizes pedagógicas em seus móveis, ela afirma que é por acreditarem que elas proporcionam uma infância feliz e saudável, que serão a base sólida para uma escolarização bem sucedida. 

Esse acreditar surgiu, principalmente, por ela e seu marido terem vivenciado em suas vidas os benefícios que elas trazem às crianças. 

Quando nossa filha mais velha estava com 4 anos de idade, começou a apresentar aspectos de nervosismo e ansiedade para ir à escola, pois, relatava ela, não conseguia escrever seu próprio nome em letra cursiva. Naquela época desconfiei que este processo de aprendizagem da escrita não estava sendo natural e saudável. Por isso, além de dialogar com a escola, comecei, então, a pesquisar e estudar outros métodos educacionais, em especial voltados para a primeira infância, e foi quando nos deparamos com o Método Montessori, com a Pedagogia Waldorf e com a Abordagem Pikler", afirma Paula.

Após o ocorrido, ela se encantou com as diretrizes, e começou a aplicá-las em sua casa com seu segundo filho, que estava com 1 ano de idade. Com firmeza ela diz que o ganho em autonomia, segurança e no desenvolvimento motor que ele apresentou era notável.

Nesse mesmo momento, a família se deparou com uma grande dificuldade: encontrar móveis e brinquedos apropriados para as crianças e com valores acessíveis. E foi assim que nasceu a Tanabata Kids.

Sugestão: assista ao Papo de Mãe sobre método Montessori

Qual o impacto dos móveis no desenvolvimento e na educação das crianças?

Paula diz que móveis e brinquedos apropriados para as crianças fazem toda a diferença. E com sabedoria comenta:

Os três desenvolvedores dessas correntes pedagógicas defendem que um ambiente adequado é fundamental para o bom desenvolvimento infantil. Ao observar as crianças pequenas, Maria Montessori percebeu, inclusive, que havia uma sensação de frustração devido ao mundo ser todo construído para adultos. Por isso, ela mesma pediu que carpinteiros fizessem mesas e cadeiras adequadas ao tamanho das crianças e que, ainda, fossem leves o suficiente, para que as próprias crianças pudessem movimentá-las".

Ela diz que sua empresa reconhece e valoriza as enormes contribuições que essas três abordagens trouxeram para a educação, a partir de um olhar respeitoso diante das individualidades e do estágio de desenvolvimento de cada criança.

Mais que isso, elas trazem um olhar sensível e verdadeiro sobre a infância, chamando-nos atenção para a importância de zelarmos por esse período tão curto, mas tão significativo na vida de todo o ser humano.

Veja também:

Conheça as características dos móveis

Segundo Paula, essas três abordagens pedagógicas prezam por móveis que sejam adequados às proporções infantis, que proporcionem autonomia às crianças, que sejam seguros e que utilizem materiais mais naturais possíveis em sua produção, como a madeira.

Pensando nisso, ela explicou ao Papo de Mãe as características dos móveis seguindo as 3 diretrizes, além de ter dado exemplos. Confira as respostas abaixo:

Pikler

Criança brincando em uma gangorra
A gangorra permite a livre exploração e o desenvolvimento motor. Foto: site Tanabata Kids

A abordagem Pikler se debruça sobre a primeiríssima infância, que contempla do 0 aos 3 anos de idade. Nesse momento da vida, Emmi Pikler enfatiza que o primordial é o vínculo entre cuidador e bebê. Além disso, é o brincar livre que desenvolve a autonomia saudável das crianças.

Portanto, um ambiente adequado é aquele em que o bebê e a criança pequena possa explorar livremente com segurança. Com base nessas premissas, foram desenvolvidos, posteriormente, alguns móveis e brinquedos que permitem a livre exploração e o desenvolvimento motor, como: o circuito de obstáculos, o triângulo com barras e a gangorra.

Montessori

Cama cabana
É importante ter móveis e utensílios adequados ao tamanho das crianças - Foto: site Tanabata Kids

Maria Montessori, em suas amplas observações, notou que um ambiente tranquilo, pleno de beleza e ordenado refletem positivamente nas crianças. 

Além dessas características, o espaço deve proporcionar: autonomia, com móveis e utensílios adequados ao tamanho da criança e, ainda, similares aos reais; estímulos sensoriais, já que é através das experimentações que se constroem as conexões cerebrais permanentes; ordem e organização atrativas, com estantes ou prateleiras na altura da criança, em que se mantenham os livros e brinquedos (caixas e cestos são boas sugestões), evitando excessos; um espaço para colecionar objetos da natureza, criando um acervo próprio de “museu natural”; acesso a atividades artísticas, como lápis de cor, tinta e papéis (em atividades monitoradas).

Alguns exemplos de móveis que contemplem essas características são: a barra de apoio com espelho (para os bebês); cadeiras, mesas e estantes em madeira e em proporções infantis; escadinha para acessar pia e vaso sanitário e torre de aprendizagem, para o acesso às atividades na cozinha.

Waldorf

Utensílios de cozinha
Brinquedos que recriem um ambiente domiciliar são interessantes - Foto: site Tanabata Kids

A Pedagogia Waldorf preza pelo belo e pelo verdadeiro. Assim, os ambientes devem contemplar essas características, com móveis e objetos que sejam feitos de materiais naturais e brinquedos simples.

Como as crianças do primeiro setênio - primeiros sete anos de vida - compreendem o mundo e aprendem através da imitação, brinquedos que recriem um ambiente domiciliar e que representem trabalhos possíveis de serem imitados, como: o do carpinteiro, da costureira e do padeiro, auxiliam no processo de compreensão do que é ser “humano”.

No entanto, devem ser evitados os excessos e os brinquedos muito “prontos”, já que a simplicidade do mobiliário proporcionará a percepção das sutilezas do mundo e desenvolverá a imaginação.

Exemplos de brinquedos são os itens de cozinha (fogão e pia) e de oficina. De móvel indicamos o cavalete, que pode ser usado como estante e como espaço de brincar.

*Fernanda Fernandes é repórter do Papo de Mãe

Acompanhe o Papo de Mãe nas redes sociais:

Instagram: @papodemaeoficial l Twitter: @papodemae l Facebook

DesenvolvimentoEducaçãoBebêFamília