Papo de Mãe
Papo de Mãe

Moda entre jovens, aparelhos falsos trazem riscos à saúde

pmadmin Publicado em 20/02/2014, às 00h00 - Atualizado em 22/10/2014, às 09h59

None
20 de fevereiro de 2014


Folha de S.Paulo
CLÁUDIA COLLUCCI
20.02.2014 

Aparelhos dentários falsos viraram uma moda perigosa entre os adolescentes. Com elásticos coloridos e trançados, são chamados de “diferenciados” e vendidos por camelôs nas ruas do centro de São Paulo e também por meio das redes sociais.

Reprodução/Facebook

Os dentistas alertam que o conjunto de peças coladas e unidas por um elástico ou fio provoca uma movimentação nos dentes. Isso pode causar, entre outras coisas, retração na gengiva e perda óssea e dos próprios dentes.

Nos últimos meses, o Crosp (Conselho Regional de Odontologia de São Paulo) iniciou uma cruzada para coibir o comércio ilegal, com várias blitze e apreensões de material falso e também vendido em lojas autorizadas.

Ontem, houve uma reunião com empresas do setor para que elas restrinjam a venda de produtos ortodônticos a profissionais. Um projeto de lei estadual também foi protocolado nesse sentido.

“Hoje se encontra de tudo na rua, material verdadeiro e falso. Estão usando até cerda colorida de vassoura”, afirma o presidente do Crosp, Claudio Yukio Miyake.

Em geral, quem instala os aparelhos são jovens sem nenhuma formação odontológica, que se autopromovem pelas redes sociais. Cobram em média R$ 120 para colocar e R$ 50 pela manutenção.

“Muito trampo hoje graças a Deus. Já já indo por aparelhos e fazer manutenção [sic]”, escreveu Phelipe, 18, em uma rede social. Acusado de exercício ilegal do profissão, ele está foragido desde o ano passado.

Segundo a polícia, ele atendia cerca de 50 pessoas em uma casa alugada em Diadema (SP). Mas não é o único. Ontem, a reportagem encontrou pelo menos dez páginas na internet anunciando colocação e manutenção de aparelhos “diferenciados”.

Na condição de anonimato, a Folha conversou com um jovem que teve o aparelho colocado por colegas “dentistas”. “As minas gostam. Todo mundo agora está usando aparelho colorido. Minha mãe ficou louca, quer que eu tire, mas nem a pau [sic]”, disse J.C., 16, que, mesmo sem precisar, mantém o aparelho com fios azuis.

Ele afirma que não se preocupa com a possibilidade de prejudicar os dentes. “Não fica muito apertado, não.”

Mas os dentistas enumeram vários problemas que essa moda pode trazer. “Há uma força no local que provoca uma movimentação dos dentes. Leva para posições erradas, causa perda óssea, reabsorção da raiz e até a perda do dente”, diz Miyake.

A ortodontista Nerli Juliano diz que a colocação errada das peças metálicas pode romper o nervo e fazer com que o dente saia do osso. Ela conta que, por conta da moda, tem atendido adolescentes que relutam em tirar o aparelho ‘verdadeiro’ da boca mesmo após o tratamento. “Uma menina não queria tirar alegando que o namorado gosta de meninas de aparelhos. É inacreditável.”

O periodontista Helio Sampaio Filho diz ainda que o uso de cola extraforte pode ter efeito tóxico para mucosa da boca, levando a lesões.”

Ele lembra que, sem orientação profissional, a higienização da boca pode ser negligenciada, o que provoca gengivites. “Ninguém sabe a origem desses materiais. Os jovens não têm ideia do perigo que mora em suas bocas.”




Saúde