Papo de Mãe
Papo de Mãe
» COVID-19

Mãe de 4 filhos relata desespero após um deles testar positivo para Covid

A publicitária Andréa Jacoto conta como foi isolar um dos trigêmeos em um apartamento pequeno com a família toda com medo de ser contaminada

Maria Cunha* Publicado em 01/06/2021, às 14h08

Andréa Jacoto e a família
Andréa Jacoto e a família - Arquivo de família

Andréa Jacoto, de 50 anos, é publicitária e mãe de 4 crianças: Larissa, 8, e os trigêmeos Anna, Alexandre e Filipe, de 6 anos. Recentemente, Andréa viveu uma situação curiosa, só um de seus filhos trigêmeos foi infectado pela Covid-19. 

A publicitária conta que ela e a família vinham tomando todos os cuidados com relação à Covid-19, mantendo as crianças isoladas e em aula on-line, durante todo o ano de 2020. Tanto ela, como o marido, em home office.

No final do ano passado, a família resolveu ir para uma praia e respirar um pouco de ar puro, porque já fazia muito tempo que eles estavam trancados no apartamento em que vivem, que não é grande. Na volta, Andréa, os filhos e o marido fizeram os 14 dias de isolamento, até que todos tivessem a certeza de estar bem e sem sintomas, para que pudessem voltar a fazer "o famoso drive-thru e ver as vovós. A gente vai de carro, todo mundo de máscara", conta Andréa Jacoto.

No começo do ano, em janeiro, a família passou a ter alguns sintomas. “Meu marido começou com vômito, depois dois dos meus filhos”, relata a publicitária. Na mesma hora, o convênio médico foi acionado para um teleatendimento e todos foram testados para Covid, embora os resultados tenham dado negativos. “Foi realmente uma virose que a gente teve lá no começo do ano. Isso já me acendeu um alerta pra qualquer sintoma, pra qualquer coisa que acontecesse, a gente estar correndo pra fazer os testes”, completa Andréa.

Os filhos da publicitária voltaram para as aulas presenciais na escola, com todos os cuidados. “A escola está colocando só seis ou sete alunos por sala, então está bem tranquilo. As crianças estão super amparadas”, explica Andréa Jacoto.

Entretanto, na terça-feira, dia 4 de abril, houve uma suspensão repentina das aulas. A escola mandou uma mensagem para as famílias comunicando que a mãe de um dos alunos, da turma dos pequenos, tinha testado positivo para Covid-19 e acharam melhor suspender as aulas por pelo menos duas semanas, para que todos analisassem se tinham sintomas. “Eu já sou meio exagerada, então eu já virei pro meu marido e falei: Vamos testar todo mundo de novo? A última vez que a gente testou tinha sido lá em janeiro, então acho que vale a pena”, relembra Andréa.

Apesar disso, todos estavam assintomáticos. “Foi mais precaução da minha parte, tanto que eu fui uma das únicas mães da turma que fez isso”, continua a publicitária. Andréa e o marido fizeram o teste de Covid-19 na quarta-feira, as crianças realizaram o exame no laboratório, na quinta-feira, porque não é possível fazer no drive-thru. “Eu estava super tranquila, todo mundo super bem, tendo as aulas on-line normalmente”, conta a publicitária.

Na sexta-feira, véspera do dia das mães, saíram os resultados e Filipe, um dos trigêmeos, testou positivo para a doença. “Eu quase desmaiei, eu surtei, literalmente. Os meus dois meninos têm histórico de problemas respiratórios, já ficaram internados no hospital, duas vezes, cada um e, na última vez, o Filipe ficou na UTI uma semana. Eu já estava muito desesperada com toda essa história, eu me desesperei na hora”, relata Andréa Jacoto.

Filipe, filho de Andréa, isolado com Covid-19

A publicitária conta que ligou correndo pra pediatra, perguntando se poderia ser um falso positivo, mas a médica afirmou que não existe falso positivo, existe falso negativo. “É como um teste de gravidez, se você compra o teste da farmácia e dá positivo, pode comprar o enxoval. Se dá negativo, pode ser um falso negativo”, explica Andréa.

Em razão disso, a pediatra orientou que todos os demais membros testassem, novamente, na segunda-feira, pra ver se alguém não tinha dado um falso negativo. Enquanto isso, Filipe já poderia ser isolado e colocar máscara, ter todos os seus objetos separados. Andréa conta que questionou como faria isso, pois são seis pessoas dentro de um apartamento, quatro crianças pequenas. “Então eu coloquei máscara nele correndo, eu coloquei máscara, meu marido colocou máscara e eu falei pras crianças ficarem na sala, enquanto a gente dava um jeito de organizar todo o ambiente”.

Como os dois meninos dormem juntos, a mãe tirou todas as coisas do quarto de Alexandre e levou pro quarto das filhas.“Peguei todas as roupas que eu consegui pegar e fui separando. Tudo na esperança de que não passasse. Eu falei pro Filipe: "Fica quietinho no quarto, de máscara, não põe a mão em nada, tudo que você quiser, você pede pra mamãe e pro papai, porque a gente vai ter que higienizar tudo. Você tá com Covid, a gente tem que tomar cuidado”.

Além disso, Andréa foi perguntando ao filho sobre possíveis sintomas e tirando temperatura e a saturação para ver como é que ele estava. O menino continuou tranquilo e sem nenhum sintoma.

A publicitária afirma ter passado uma noite horrível após a descoberta, já que não conseguia dormir e ficava pensando em diversas possibilidades. “Eu ia toda hora ver se ele estava com febre, toda hora media a saturação. Na verdade, ele passou um final de semana super tranquilo, não teve nada, isolado completamente”.

Leia também

Andréa Jacoto lembra que o monitoramento realizado por ela e pelo marido foi essencial para que não houvesse contato direto com Filipe. “As crianças têm muito aquela tendência de se abraçar, de se pegar. Os brinquedos, eles brincam com tudo junto, então a gente ficava naquele monitoramento desesperado pra não deixar ele pegar em nada e no que ele pegasse, a gente corria pra passar álcool em gel”.

Ela também pontua que só há um banheiro em sua casa, então já pegou um pano com álcool e falou pra todos que toda vez que fossem usar o banheiro, deveriam higienizar antes e depois. “Foi uma loucura. As crianças aceitaram super bem, levaram isso na brincadeira, na verdade. Acharam divertidíssimo estar com ele de máscara, trancado no quarto. Eles ficavam na porta dando tchau, conversando, limpando tudo e eu desesperada”.

A publicitária ainda lembra da dificuldade do dia das mães, porque Filipe acordou de manhã e já foi dar um beijo e um abraço na mãe. “Não poder fazer isso, eu fiquei super mal, super triste, é muito difícil”, diz Andréa Jacoto.

O alívio de Andréa foi que o filho não apresentou absolutamente nenhum sintoma ou desconforto. Na segunda-feita, a família voltou ao laboratório e repetiu o teste de todo mundo, todos continuaram negativos.

Andréa comunicou à escola, para que fosse passado pra Secretaria da Saúde.A publicitária também perguntou à médica como fariam agora para voltar, já que os outros filhos estão negativos e o diagnóstico de Filipe já tinha ocorrido há 10 dias. Ela conta que a médica explicou que normalmente, “a gente afasta a criança, ou o doente, 10 dias depois dos primeiros sintomas. Como o Filipe ficou assintomático durante todo o período, a gente vai contar 14 dias a partir da data do exame. Vamos isolar os 14 dias pra ter segurança de que, realmente, a Covid já passou”.

Ao questionar a necessidade de testar o filho que teve a doença novamente, a médica explicou que “não adianta você testar o Filipe novamente, se você testar vai aparecer a Covid, porque o PCR vai permanecer aparecendo até 90 dias depois do contágio. Então a prática é: conta os 14 dias e vida que segue. O que é certo, é você testar os demais pra voltar pra escola”.

Assim, após os dias de quarentena, isolados em casa, todos foram testados novamente e todo mundo negativo outra vez. “Foi uma coisa muito inexplicável, até o horário do resultado do exame, eu estava abraçando, eu estava beijando, meus filhos estavam brincando, e absolutamente ninguém pegou. Issomostra pra gente, realmente, que a doença é muito complicada, é uma incógnita, você pode ter uma pessoa com Covid do seu lado, sem nenhum sintoma e sem você saber. Esse é o ponto mais importante e o mais perigoso dessa doença, na verdade”, conclui Andréa Jacoto.

Confira a entrevista completa de Andréa ao Papo de Mãe

*Maria Cunha é repórter do Papo de Mãe. 

ConflitosDesafios / DilemasEntrevistasFamíliaIrmãosPandemiaPrimeira InfânciaReportagemSaúdeVídeos