Papo de Mãe
Papo de Mãe
» NO FRIO

Inverno sem dores na coluna

O ortopedista e especialista em coluna, Rogério Vidal, dá dicas de como as pessoas podem se livrar das dores nas costas

Rogério Vidal de Lima* Publicado em 18/06/2021, às 00h00

Enrijecimento articular e piora da dor no inverno
Enrijecimento articular e piora da dor no inverno

No inverno, naturalmente, nos contraímos mais para sentir menos frio. Com isso,  assumimos uma postura de contração dos músculos dos braços, aumentamos a curvatura fisiológica da coluna dorsal (corcunda), interiorizamos a coluna e conseguimos desta maneira segurar o calor do corpo.  A circulação diminui, especialmente, na periferia para que o organismo possa preservar a temperatura por volta de 36,5°. 

Consequentemente, a circulação dos músculos também diminui e estes tendem a permanecer num estado contrátil por mais tempo, podendo piorar as dores de origem muscular decorrentes de "espasmos" e contraturas musculares, que são uma das dores mais incidentes no mundo. "A circulação nas articulações irá ter uma diminuição da produção de líquido sinovial levando ao enrijecimento articular e dor", acrescenta o Dr. Rogério Vidal, especialista em ortopedia de coluna em São Paulo.

A contração do corpo para enfrentar o frio, que deixa músculos e articulações mais rígidos, facilita as inflamações dos nervos. O resultado é uma piora do quadro geral dos pacientes que têm um histórico de problemas ortopédicos crônicos. São comuns o agravamento de artrites, artroses, dores articulares e um aumento na frequência das lombalgias, dores na parte inferior das costas. “No caso da lombalgia, ela ocorre porque o frio provoca a contração muscular e possibilita a neurite que é a inflamação dos nervos”, explica o Dr. Rogério. O médico esclarece algumas dúvidas frequentes e dá dicas importantes para enfrentar o problema nos dias mais frios do ano. 

Veja também: 

6 dúvidas sobre dores no inverno

  1. Os inchaços que ocorrem em partes do corpo, como as articulações, são um sinal de um problema ortopédico? Nem sempre, são mais significativos problemas reumatológicos, sendo importante a avaliação por parte de um especialista. 
  2. Como diminuir o inchaço? Vai depender da causa e é preciso atuar para eliminar a causa. Uma medida simples é fazer a posição de Trendelenburg: elevar as pernas em extensão para que a força da gravidade auxilie o retorno do líquido acumulado na região inflamada. Se houver um componente vascular, as meias elásticas são indicadas, dependendo da intensidade e frequência deste inchaço. Se o problema persistir procure o médico. 
  3. Tomar banho quente e sair de casa em seguida pode causar algum tipo de problema ortopédico? Nenhum. 
  4. Quando está frio temos uma tendência de diminuir o esforço físico e ficar parado muito tempo numa posição, isso pode causar algum tipo de problema? Sim, uma contratura muscular e articular de maior intensidade, gerando um círculo vicioso onde o imobilismo  gera mais imobilismo e dor e imobilismo, e assim por diante. 
  5. Que cuidados práticos podemos tomar mesmo diminuindo a carga de exercícios? Respeite seu limite de dor e de capacidade do organismo. Sempre faça um bom aquecimento antes e após qualquer atividade física. Não se esqueça de procurar ajuda de um profissional médico para ter um bom diagnóstico e obter os melhores resultados.   
  6. É certo usar compressas quentes ou frias para tratar a dor nas articulações? Sim, especialmente se houver um inchaço (edema) associado, indicamos este tipo de  “banho de contraste", ou seja, três minutos de calor, mais um minuto de frio, e um minuto alternando até completar trinta minutos, pois desta maneira conseguimos ativar a circulação, através da vasodilatação e vasoconstrição dos vasos  e consequentemente diminuir a dor e o edema . De uma maneira geral nas dores agudas com edema geralmente orientamos o frio ou contraste e nas dores crônicas, acima de três meses de duração, sem edema ou calor e se houver inchaço a compressa fria. O tempo terapêutico é de vinte a trinta minutos.    

*Rogério Vidal de Lima se graduou na Faculdade de Medicina do ABC, em 1989.Fez residência médica em Ortopedia e Traumatologia, no Hospital Ipiranga e especializou-se em Cirurgia da Coluna Vertebral, no Hospital das Clínicas de São Paulo. É membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, da Sociedade Brasileira de Coluna e também é membro da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos. Dr. Rogério Vidal foi um dos médicos precursores no país na utilização de sistemas de estabilização dinâmica da coluna e do método da cifoplastia no tratamento de fraturas da coluna causadas por osteoporose.É adepto das cirurgias minimamente invasivas para acoluna.

Facebook:  https://www.facebook.com/DrRogerioVidal/

Assista ao Papo de Mãe sobre problemas na coluna. 



DicasSaúdeVídeos