Papo de Mãe
Papo de Mãe

Foto viral de amamentação causa polêmica no Camboja: Policial foi obrigada a pedir desculpas 

Os depoimentos das mães mostram o quanto para elas, assim como para grande parte das mulheres, amamentar é natural.

Roberta Manreza Publicado em 15/03/2021, às 00h00 - Atualizado às 09h55

None
15 de março de 2021


O poder (oculto?) da amamentação. Como uma mãe amamentando em público mexe com milhões de pessoas.

Por Dr.  Moises Chencinski*

Não. Não é mais um texto para falar do leite materno como alimento.

Não. Não é mais um texto para enaltecer os anticorpos presentes no leite materno.

Não. Não é mais um texto para falar de vínculo.

Esse é um texto para reflexão sobre como uma mãe amamentando em público mexe com milhões de pessoas, com instituições, com governos, com tabus, com preconceitos, com julgamentos. Vamos aos fatos.

12/03 – Foto viral de amamentação causa polêmica no Camboja, alimenta apelos para ação pelos direitos das mulheres

Sithong Sokha fotografada amamentando/ Facebook

A foto mostra uma mãe, policial, amamentando de uniforme. Até aí… Masssssss seus superiores a forçaram a fazer “um pedido público de desculpas por manchar a reputação das mulheres cambojanas e da força policial”, gerando um grande debate, em um país conservador.

Manifestaram-se 39 grupos da sociedade civil, com um comunicado contra a atitude da polícia local; o Ministério de Assuntos da Mulher com uma carta aberta; uma alta funcionária do Ministério do Interior, também com uma carta aberta, dizendo que estava “extremamente consternada” com o tratamento dado à mãe.

“Você deve elogiá-la e incentivá-la e buscar maneiras de garantir que mulheres policiais como ela tenham oportunidades adequadas para cuidar de seus filhos”, escreveu ela ao chefe de polícia que agiu contra a policial.

Desde sempre, muitas fotos de mulheres amamentando em intervalos de práticas esportivas, em desfiles, pelo mundo também se tornaram virais.

Hoquei, maratona, futebol, basquete, desfiles de moda, na Assembleia…

África, Europa, Ásia, América do Sul, do Norte, Oceania, Brasil…

E os comentários, em sua imensa maioria (sim, há pessoas que criticaram muito a postura dessas mães), foram incríveis, de apoio, de admiração pela coragem, pelo exemplo, pela beleza, em fotos de pessoas, vamos considerar como, não-famosas (pelo menos até a foto ser divulgada).

“Não posso acreditar que estou acordando [e vendo] as manchetes sobre mim e a minha filha por fazer algo que faço todos os dias”, comentou a mãe”.

“Eu amamento ela sempre antes de começar a partida. Naquele momento nós duas precisávamos. Foi mútuo. Tínhamos terminado de ter uma conversa técnica, estávamos nos aquecendo para começar o jogo de novo e eu disse ao treinador que precisava de um tempo. É tudo muito natural”.

“Eu senti meu leite descendo e pingando enquanto jogava e, nos intervalos, tirei parte da roupa para alimentar meu bebê de oito semanas. Ser mãe é absolutamente incrível e estou tão feliz que pude fazer algo que eu realmente amo ao mesmo tempo em que supria todas as necessidades do meu bebê”.

“Ela mamou ali. E dormiu. todas as mulheres que são mães e amamentam ou amamentaram sabem que esse gesto é natural e espontâneo! Porém, um dos fotógrafos da Assembleia (eles não creditam as fotos) teve a felicidade de bater a foto”, contou, em 2016, a então deputada estadual Manuela D’Ávila. 

Manuela D’Ávila amamentando em sessão da Assembleia do Rio Grande do Sul/ Facebook

Os depoimentos das mães mostram o quanto para elas, assim como para grande parte das mulheres, amamentar é natural. Eles mostram o empoderamento da mulher sobre seu corpo, seus atos, suas opções, nesse caso, AMAMENTAR.

Daí a pergunta. Qual o poder (oculto?) da amamentação, um ato da evolução na vida da mulher, que move emoções e causa debates acalorados.

Uma mulher pode ou não se casar.

Uma mulher, casada ou não, pode decidir ter filhos ou não.

Uma mulher que tenha filhos pode decidir amamentar ou não.

Uma mulher pode o que ela quiser.

Ou pelo menos deveria poder. De forma natural.

Sem julgamentos. Sem críticas. Sem precisar de apoio ou ser referendada.

Quanto à amamentação? Sim. É poderosa. E vai além de sermos mamíferos. Vai além de nutrir ou proteger através do leite materno.

É fundamental, NORMALIZAR A AMAMENTAÇÃO, nem que para isso seja necessário ou útil VIRALIZAR.

VIRALIZAR PARA NORMALIZAR. Quanta ambiguidade. Quanto poder.

Oculto? Mesmo?

*Dr.  Moises Chencinski , pediatra e homeopata.

Presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade de Pediatria de São Paulo (2016 / 2019 – 2019 / 2021).
Membro do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (2016 / 2019 – 2019 / 2021).
Autor dos livros HOMEOPATIA mais simples que parece, GERAR E NASCER um canto de amor e aconchego, É MAMÍFERO QUE FALA, NÉ? e Dicionário Amamentês-Português
Editor do Blog Pediatra Orienta da Sociedade de Pediatria de São Paulo.
Criador do Movimento Eu Apoio leite Materno.

Veja também:

Aleitamento materno protege bebês contra COVID-19

Você conhece algum “Consultório Amigo da Amamentação”?

Amamentação pode proteger contra dor crônica após cesariana




Amamentação / AlimentaçãoColunistasMoises ChencinskiCuidadoresDesafios / DilemasDesenvolvimentoDestaquesDicasDireitos da mulherDiversosBebêMãe / PaiHomeNotícias0 a 2 anosGravidezPrimeira InfânciaPós-partoSaúdeTrabalho / Carreira