Papo de Mãe
Papo de Mãe

Entrevista com o cardiologista Dr. Anísio Pedrosa

pmadmin Publicado em 15/12/2010, às 00h00 - Atualizado às 12h56

15 de dezembro de 2010


Oi, gente! Como vocês já sabem, por aqui o papo nunca acaba. E hoje temos mais uma entrevista para vocês. Confiram a íntegra da entrevista que Pedrinho Tonelada – nosso repórter de peso –  fez com o médico cardiologista Dr. Anísio Pedrosa* sobre OBESIDADE.Pedrinho: Dr. Anísio, as pessoas falam muito de obesidade, mas o que realmente vem a ser obesidade?
Dr. Anísio Pedrosa
Dr. Anísio: Bem Pedro, a obesidade, na verdade, é uma doença jovem, é uma doença recente no mundo. E o que é considerado obesidade? É uma medida de peso acima de um ideal para uma pessoa. E como é que é calculada essa obesidade? Essa obesidade é calculada facilmente pela medida de Índice de Massa Corpórea, que nada mais é do que o peso da pessoa dividido pela altura ao quadrado. E existem algumas graduações dessa obesidade que podem ser de obesidade mais simples até uma obesidade mórbida, que é a dos pacientes com obesidade acentuada ou muito exagerada.Pedrinho: O que é obesidade mórbida?Dr. Anísio: Normalmente, a pessoa com sobrepeso é a pessoa que tem a medida de massa corpórea entre 25 e 30. Pessoas que têm de 30 a 40 são consideradas obesas. A obesidade mórbida é acima de 40. Pedrinho: O que leva a obesidade? Eu digo isso porque a gente tem pessoas que comem caminhão de comida e são verdadeiros palitos; o outro lá come três folhinhas de alface e é enorme, como é que o senhor explica isso? Dr. Anísio: A gente sabe que, na grande maioria das vezes, a pessoa que come muito e não faz atividade física tem uma grande chance de ficar obeso. Mas existem essas exceções que você está falando, uma pessoa que come muito e não pratica atividade, mas mesmo assim ainda consegue se manter magro. Isso é uma alteração genética que predispõe a pessoa, apesar de comer tudo que você está falando, em exagero, não engordar. Mas é muito raro. Não é a normalidade da população. Qualquer pessoa, a maioria de nós, se comer demais e não fizer atividade física vai entrar nessa escala de sobrepeso ou de obeso.Pedrinho: Filhos de pais obesos. A tendência é que eles fiquem obesos ou não tem nada a ver? Dr. Anísio: Tem a ver por causa da genética. A genética dos pais, como são obesos, se transmite para os filhos. Então, essa criança tem uma grande facilidade de se tornar obesa a partir do momento em que ela exagerar nos principais fatores que são a alimentação e falta de atividade física. Então, existe sim uma grande chance, podem haver exceções, mas é raro.Pedrinho: E aquela pessoa que entra no regime, começa a fazer uma dieta alimentar, mas chega num determinado estágio e ela para de emagrecer. Por que isso acontece?Dr. Anísio: Quando ela começa a reduzir o peso rapidamente significa que antes da dieta ela estava comendo exageradamente. Então, quando ela reduz a alimentação, ela começa a perder peso. Só que chega num ponto que para, provavelmente porque, ou não está fazendo atividade física, que ajudaria a continuar essa redução de peso, ou a genética dessa pessoa não vai deixá-la mudar deste peso. E aí ela é candidata a outras opções para tentar reduzir o peso, como remédio, cirurgia. Pedrinho: Dr. Anísio, as pessoas costumam dizer o seguinte “eu vou fazer regime, vou almoçar bem, não vou jantar e vou emagrecer”, é certo isto? Dr. Anísio: Não, Pedro. Essa de você retirar alimentação ou fazer uma refeição por dia, achando que você vai ingerir menos está totalmente errado, já foi comprovado que não dá certo. O que a gente tem que fazer em relação à dieta, é uma dieta equilibrada. Equilibrar a quantidade de carboidratos, proteínas, fibras para que o organismo absorva adequadamente todos eles e utilize todos eles ao mesmo tempo. Então, você tem que ter, pelo menos, de cinco a seis refeições por dia: três refeições maiores, que seriam café da manhã, almoço jantar, e nesses intervalos, entre o almoço e o jantar, alguma pequena refeição, com frutas ou algo mais leve, porque se você ficar muito tempo sem se alimentar, o seu organismo muda o metabolismo e começa a utilizar substâncias que são metabolizadas mais rápido e, ao mesmo tempo, ele guarda gordura, porque a gordura é a última a ser metabolizada. Então, você perde peso porque perde massa muscular, mas continua gordo do mesmo jeito. Pedrinho: Para emagrecer, doutor, é só fechar a boca e está tudo certo?Dr. Anísio: Não, você tem que fechar a boca, mas equilibrar as quantidades de ingestão de necessidades calóricas que você tem no dia. O ideal seria ver quanto você consome no dia a dia e ingerir aproximadamente aquilo ou um pouco acima daquilo do que você precisa, e queimar essas calorias com atividade física. Então, o certo é dieta adequada e uma atividade física que consiga equilibrar o que você está ingerindo e o que você está consumindo. É uma conta bem tranquila de se fazer, o problema é que a grande maioria das pessoas erra na quantidade que ingere e gasta menos. O dia a dia da nossa população atual, com o estresse que existe, com pouca atividade física, é que favorece que a gente acabe ingerindo mais do que se consome. Por isso que a população do Brasil e do mundo está, a grande parte, quase 40/50% com sobrepeso.



Zé Microondas e Pedrinho Tonelada



Pedrinho: Quais os riscos que uma pessoa obesa, no meu caso, no caso do meu colega Zé Microondas que vocês acabaram de ver, corre? Dr.Anísio: Esse que é o problema. Se fosse só a obesidade, você falaria que, visualmente, o problema seria nos ossos, nas articulações, mas não é só isso. Dentro do corpo começam a acontecer as complicações mais perigosas, mais danosas para o organismo. Aumenta o risco de problema cardiológico, aumenta o risco de infarto, aumenta o risco de dilatação do coração, de insuficiência cardíaca, de hipertensão, porque as artérias começam a ficar mais rígidas. Hipertensão, derrame cerebral ou isquemia cerebral, todas essas complicações são maiores no paciente e, principalmente, na obesidade da pessoa com mais de trinta, quarenta anos. Também o diabetes, que é uma das principais e piores doenças que a gente pode ter porque afeta todo organismo e pode levar a uma insuficiência renal, a uma eventual amputação de membros. Então, esse que é o risco maior e que a gente está lutando para ver se, reduzindo a obesidade, a gente consegue diminuir esses problemas de saúde pública.Pedrinho: Dr. Anísio, o que engorda mais: o açúcar ou a gordura?Dr. Anísio: A verdade é que qualquer um dos dois se ingerido em grande quantidade vai aumentar o peso da pessoa, porque você está ingerindo muita caloria e não está queimando. Mas, de verdade, o que é mais rápido para engordar é o açúcar, porque ele é rapidamente absorvido. E se você não está queimando rapidamente, a glicose vai ser depositada sob forma de gordura. Então, o pior problema é o açúcar. *Dr. Anísio Pedrosa é médico cirurgião cardiologista, membro do Instituto de Moléstias Cardiovasculares Oswaldo Cruz (IMOC) e participou do Programa Papo de Mãe sobre Obesidade, exibido em 12.12.2010, em entrevista exclusiva. ***ATENÇÃO PARA OS RECADINHOS!!!!

– Termina hoje a Promoção Natal Papo de Mãe é na Zazou. Mas ainda dá tempo de mandar a frase até às 23:59 de hoje!!! Clique aqui e saiba como participar.

– Vários telespectadores nos perguntaram sobre indicações de locais com trabalho semelhante ao Instituto Movere de São Paulo. Segundo o Dr. Osmar Monte, que também participou com especialista convidado do programa sobre obesidade,  muitas universidades, tanto as estaduais como as federais, costumam oferecer esse tipo de serviço. Fica a dica! 

– Amanhã, 16/12, encerraremos a enquete sobre quais os programas serão reprisados no mês de janeiro. Portanto, faça sua escolha votando ao lado (na coluna direita).

– E  no dia 18/12, em uma cerimônia especial, saberemos quem foi o blog vencedor do Prêmio Topblog 2010. Como todo mundo já sabe, nós estamos entre os 3 mais votados na categoria comunicação. E foi graças aos votos de todos vocês que conseguimos chegar até aqui. Agora, contamos com a torcida de todos pelo nosso blog! Valeu, pessoal!!!!