Papo de Mãe
Papo de Mãe
» SAÚDE MENTAL

Entenda a importância da assistente terapêutica em sala de aula

Algumas crianças precisam de uma atenção especial em sala de aula. Quando isso acontece entra o trabalho da assistente terapêutica

Juliana Chiquetto* Publicado em 01/03/2022, às 06h00

Uma atenção especiailizada na escola faz toda a diferença para crianças com necessidades especiais
Uma atenção especiailizada na escola faz toda a diferença para crianças com necessidades especiais

Muitos pais de crianças atípicas já conhecem a importância de uma assistente terapêutica, seja em casa ou na escola, mas muitos desconhecem o trabalho desta profissional, que tem um papel fundamental na vida dos pequenos.

A assistente terapêutica, carinhosamente chamada de AT, faz sessões nos lares das famílias de crianças atípicas oferecendo estratégias para questões de vida diária, de estudos, de alimentação e tantas outras questões. Na escola, o seu papel não é diferente.

Muitos professores ainda se assustam quando descobrem no começo do ano letivo que a criança estará com uma AT em sala. “Será que ela vai atrapalhar minha aula?” é uma das indagações que sempre ouvimos. Eu trabalho com crianças autistas há muito tempo, estive em diversas escolas e posso afirmar: o intuito da assistente terapêutica é sempre tentar diminuir o atraso no desenvolvimento e orientar os professores a como trabalhar com esses alunos.

Assista ao Papo de Mãe sobre autismo

O nosso objetivo é sempre que as crianças com atraso do desenvolvimento consigam acompanhar ou chegar próximo ao nível dos seus colegas de classe. Por isso, estamos sempre tentando promover a interação social da criança com os colegas e adultos da escola, identificando suas habilidades, oferecendo dicas físicas ou verbais quando for necessário — com o objetivo de facilitar o aprendizado e ajudando a lidar com comportamentos desafiadores, a perceber o momento em que os comportamentos inadequados podem surgir e a saber o momento certo de antecipar e redirecionar a criança para uma atividade que possa ser realizada no momento.

Brinco que somos a sombra da criança, ou seja, a AT sempre estará atrás do aluno para quando ele precisar de uma ajuda mais específica. Em nenhum momento a assistente terapêutica assume a função de professor ou assistente de sala.

Veja também

A AT estará em sala de aula para ajudar os educadores a como lidar da melhor forma possível com os alunos de inclusão. Além disso, somos uma ponte entre escola e clínica, isto é, podemos levar questões às nossas equipes multidisciplinares e, assim, conseguir melhores respostas para os momentos certos. Isso traz qualidade de vida para a criança e a todos os envolvidos.

*Juliana Chiquetto, Bióloga, Pedagoga e pós-graduanda em psicopedagogia e coordenadora da Clínica Arte Psico

.

ColunistasSaúde