Papo de Mãe
Papo de Mãe

ELETRICIDADE – Estatísticas Abracopel

pmadmin Publicado em 18/03/2014, às 00h00 - Atualizado em 03/10/2014, às 16h10

None
18 de março de 2014


Modificação na base de dados confirmou a suspeita: os números de acidentes de origem elétrica são bem maiores do que os divulgado nos anos anteriores  

A Abracopel – Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade, entidade nacional que, desde 2005, realiza um difícil trabalho de mudança de cultura da população brasileira sobre a segurança com a eletricidade divulgou a consolidação dos dados de acidentes com eletricidade ocorridos em 2013.

Além da estatística de acidentes, a entidade realiza diversas ações de conscientização, com apoio de várias empresas do setor elétrico, como eventos técnicos que acontecem em todo o país e que buscam atualizar os profissionais. São workshops, seminários e encontros que reúnem engenheiros, técnicos e eletricistas. A entidade também realiza, a cada dois anos, o ENADSE – Encontro Nacional de Atualização Docente em Segurança com a Eletricidade: um congresso nacional, único no gênero no Brasil, que reúne professores das áreas técnicas de eletricidade, segurança do trabalho e edificações. Ações sociais que procuram atingir a população em geral também fazem parte das atividades da ABRACOPEL, e são compostas pelo Prêmio Abracopel de Jornalismo – que busca incentivar os profissionais de mídia a pautarem matérias que alertem e conscientizem sobre os riscos com a eletricidade e o Concurso Nacional de Redação e Desenho que estimula crianças e adolescentes a pensar desde cedo sobre a eletricidade segura. Esta ação, em especial, personaliza a missão da entidade que é uma mudança de cultura em nosso país, e nada mais importante do que começar pela base.

Todas essas ações buscam cumprir o objetivo da Abracopel que é a diminuição dos acidentes com eletricidade. Todos os anos pessoas perdem suas vidas ou seus patrimônios em acidentes que poderiam ter sido facilmente evitados com poucas informações. São números que alertam e assustam, mas que ainda não provocam uma mudança de atitude.

A total ausência de dados oficiais sobre os acidentes de origem elétrica estimulou a Abracopel a realizar um levantamento estatístico. Desde 2007, a entidade usa a internet e os sistemas de alerta online para levantar estes dados. Através de palavras chaves como eletrocussão, choque elétrico e curto circuito, entre outros, toda e qualquer notícia que tenha sido noticiada na internet chega até a Abracopel que trabalha os dados estatisticamente, buscando informações como fatalidade, faixa etária, gênero, profissão, local e tipo do acidente. Estes dados se transformaram, ao longo dos anos, na única pesquisa do gênero no Brasil e fonte importantíssima para a criação de um cenário sobre o tema.

BASE DE DADOS AMPLIADA

Em 2013, a base de dados foi ampliada passando a computar informações transmitidas por meio de blogs e redes sociais, além dos portais de notícias. O resultado foi assustador: de uma média de 270 mortes por choque elétrico entre 2007 e 2012, chegou-se a 592 mortes em 2013 – quase duas mortes por choque elétrico por dia. Os choques elétricos que não resultaram em morte, mas que geraram sérias sequelas somaram 173. Assim, o total de acidentes envolvendo choque elétrico foi de 765 ocorrências. As ocorrências de curto circuito somaram 234, sendo que destes, 200 evoluíram para incêndios de diferentes proporções.  Assim, temos um total de1038 acidentes envolvendo eletricidade.

LOCAL

O número de acidentes na rede aérea ainda é grande, apesar das intensas campanhas que as concessionárias de energia elétrica têm feito visando não somente seus funcionários, terceirizados, mas também a população em geral; foram 170 ocorrências no total. Porém, o que constatamos na pesquisa é que mais de 70% dos acidentes desta natureza são causados por imprudência de profissionais da construção civil, que fazem suas obras sem os cuidados necessários, ou mesmo com “eletricistas autônomos” que interferem na rede ou próximo dela sem nenhum critério de segurança ou sem autorização da distribuidora de energia elétrica, muitas vezes como produto de roubo. Entretanto, o número que chama mais nossa atenção é do segundo colocado: 156 acidentes fatais envolvendo eletricidade dentro de casa.

Este dado mostra claramente que as instalações elétricas residenciais precisam ser revisadas com urgência, e que ações como o Programa Casa Segura são de extrema importância para esta redução. Outro dado que assusta ficou em  terceiro lugar na divisão por localidade dos acidentes, que são os acidentes na área rural, onde a cerca elétrica feita através de gambiarra aparece em várias ocorrências. Como podemos ver, a maioria dos acidentes poderia ser evitada com pequenos cuidados e conhecimento mínimo, o que fazemos diariamente com nossas ações.

POR FAIXA ETÁRIA

A faixa etária com maior incidência de morte por choque elétrico (recorrente em todas as regiões) se mantém entre os 21-30 anos com 171 mortes registradas. Mas, infelizmente, muitas crianças e adolescentes morrem devido a acidentes com eletricidade, na faixa etária entre 0-10 anos foram 45 mortes e na faixa etária entre 11-15 anos foram 37 mortes. Se estendermos um pouco mais, entre os 16-20 anos, serão mais 44 mortes, ou seja, crianças e adolescentes somam 126 mortes em 2013. Um número absurdo que poderia ser reduzido à zero por simples cuidados, por um pouco mais de informação.

Esses números vêm de encontro a um anseio da Abracopel em criar um Cadastro Nacional de Acidentes com Eletricidade. Uma proposta para a criação de um Projeto de Lei deste cadastro foi entregue em Brasília, no final de 2013, ao Deputado Federal Fernando Ferro (PT/PE). Estamos aguardando um posicionamento sobre esse assunto.

OCORRÊNCIA POR MÊS

Dezembro é o mês com maior incidência de acidentes com morte, seguido do mês de março. Entretanto há uma distribuição equânime de acidentes entre os meses (cerca de 50 mortes por mês), sendo o mês de agosto o que apresenta média de menor incidência na maioria dos estados.

PROFISSÃO

As mortes por choque elétrico apresentam destaque entre os profissionais do setor elétrico e daconstrução civil: foram 65 pedreiros/pintores, 71 eletricistas autônomos e 29 eletricistas profissionais/empresa, totalizando 165 profissionais que perderam a vida devido a um choque elétrico. Outro número de destaque fica para a categoria estudantes, que somaram 107 ocorrências, neste número está incluída a maioria das mortes de crianças e adolescentes em idade escolar.

Mas o número que mais se destaca é o da categoria outros, com um total de 230 ocorrências, neste número estão incluídos a maioria dos acidentes ocorridos dentro de casa com pessoas de profissões diversas como manicure, costureira, aposentados etc., o que reforça, novamente, a importância de se revisar as instalações elétricas dentro de casa e nos ambientes comerciais de pequeno porte.

O CENÁRIO

Mesmo com dados tão assustadores sabemos que estes números representam ainda uma parcela do total de acidentes ocorridos com origem na eletricidade. O cenário real é muito mais assustador e, infelizmente, muito pouco divulgado pela mídia. Só um exemplo: inúmeras pessoas vêm a óbito devido a uma parada cardíaca causada por um choque elétrico, porém a causa da morte será oficializada como parada cardíaca e não choque elétrico. Somente neste exemplo já teríamos um aumento expressivo no número de mortes.

AJUDE A ABRACOPEL

A Abracopel tem conseguido muitas vitórias nestes 9 anos de vida, porém ainda está longe de efetivamente atingir seus objetivos.  As empresas do setor elétrico são grandes parceiras, patrocinando a maioria das ações. Ambas, entidade e empresas possuem um objetivo comum de fomentar um mercado certificado, com produtos normalizados e profissionais capacitados.

Porém, as ações sociais, tão importantes para o público em geral ainda carecem de apoio e são realizadas ‘na raça’. As empresas, de um modo geral, não se interessam em apoiar ações tão importantes como o Prêmio de Jornalismo e o Concurso de Redação e Desenho, as ações acontecem, mas teriam um resultado infinitamente maior se tivessem uma repercussão nacional.

Neste sentido, pedimos: ajudem a Abracopel! Divulguem nossas ações entre seus pares, amigos e familiares. Acessem nosso portal – www.abracopel.org.br – e conheçam as ações mais de perto e divulguem. Estamos no facebook (/abracopel) e no twitter (@abracopel).

Venham conosco e nos ajudem a transformar o Brasil em um país mais seguro!

Fonte: Boletim Abracopel

DICA: Papo de Mãe sobre Eletricidade




DicasSaúde