Papo de Mãe
Papo de Mãe

Dicas para evitar e tratar a obesidade infantil

pmadmin Publicado em 16/12/2010, às 00h00 - Atualizado às 14h25

None
16 de dezembro de 2010


Oi gente, olha que legal o que a Aline, nutricionista que esteve presente no Papo de Mãe deste último domingo, preparou para vocês. Ela reuniu 11 dicas muito simples e fáceis de serem seguidas. A gente sabe que todo cuidado é pouco na hora de alimentarmos nossos filhos. Por isto, prestem bem atenção nas dicas da Aline!!! Dicas para evitar e tratar a obesidade infantilPor Aline Fernanda Silva da Paz – nutricionista
1. LEITE MATERNO: Se for possível, o leite materno deve ser o único alimento oferecido aos bebês até o sexto mês de vida. A amamentação exclusiva evita o ganho de peso excessivo, diminuindo o risco de desenvolvimento da obesidade infantil;2. MAMADEIRA: Caso seja necessária a alimentação do bebê por mamadeira, não se deve acrescentar açúcar, achocolatados ou engrossantes ao leite;3. PAPINHAS: Quando o bebê começar a comer papinhas, acrescentar frutas, verduras e legumes variados para a criança se habituar com o gosto de cada um;4. RESISTÊNCIA AO ALIMENTO: Se a criança oferecer resistência a algum alimento, não se deve desistir na primeira tentativa. Mude a apresentação ou o modo de preparo e tente mais vezes;5. COMIDA CASEIRA: Alimentos industrializados como salgadinhos, macarrão instantâneo, sopas de pacote, lasanhas congeladas, hambúrguer, salsicha, linguiça e nuggets devem ser evitados. A comida preparada em casa, com temperos naturais deve ser priorizada;6. DISCIPLINA ALIMENTAR: A criança precisa ter horário e locais fixos para as refeições, mantendo uma disciplina alimentar. O ambiente deve ser tranquilo, a refeição deve ser realizada à mesa e não é recomendado que seja associada a outra atividade como assistir televisão;7. PARTICIPAÇÃO DA CRIANÇA: É importante que a criança reconheça os alimentos e tenha a possibilidade de tocá-los, cheirá-los, enfim ter contato com a alimentação que lhe é oferecida. Envolva a criança no preparo do alimento e deixe que ela participe ativamente do ato de alimentar-se;8. RECOMPENSAS: Os pais ou cuidadores não devem forçar caso a criança não queira comer, e não devem oferecer recompensas para que a criança coma determinado alimento;9. QUANTIDADE DE ALIMENTO: As mães devem ter em mente que o apetite da criança é diferente de um adulto. Muitas crianças se sentem satisfeitas com pouca comida. Forçá-las a comer mais pode induzir a criança a ganhar mais peso do que o necessário;10. APOIO FAMILIAR: Se a criança está fazendo tratamento para obesidade, toda a família deve ser incluída na reeducação alimentar. É muito difícil para a criança seguir o tratamento se a alimentação dela for preparada separadamente ou se todos da família comerem determinado alimento e ela não puder comer;11. RECONHECIMENTO: Todo e qualquer avanço que a criança apresente durante o tratamento deve ser reconhecido e valorizado. Isso faz com que ela se sinta motivada a continuar!