Papo de Mãe
Papo de Mãe

Dia Nacional da Saúde Bucal. Sem prevenção, crianças e até bebês ainda sofrem com cáries no Brasil

Roberta Manreza Publicado em 25/10/2016, às 00h00

None
25 de outubro de 2016


Por Dra Maria Paula Borghi*, cirurgiã dentista

dentista

Prevenção é o tratamento mais eficiente e barato 

Brasileiro tem muito mais acesso aos tratamentos odontológicos, mas, segundo o que dentistas observam na rotina de atendimento, as pessoas ainda não investem em prevenção e só frequentam consultórios quando possuem algum problema

Especialistas do setor afirmam que, apesar da melhora na saúde odontológica do brasileiro nos últimos anos, o cenário ainda é preocupante. Pesquisas do Ministério da Saúde apontam que no Brasil bebês de 18 a 36 meses já têm em média um dente cariado e que o problema também afeta de 60% a 90% das crianças em fase escolar. Quanto aos idosos, há 3 milhões de pessoas, entre 65 e 74 anos, que necessitam de prótese total ou pelo menos em um dos maxilares.

Embora atualmente existam políticas públicas voltadas para a saúde bucal e tratamentos gratuitos oferecidos por todo país, via universidades e Sistema Único de Saúde, de acordo com a Dra. Maria Paula Borghi, professora na área de dentística estética e especialista em DTM e dores orofaciais,  ainda faltam ações preventivas da população. O maior problema é que as pessoas têm o hábito de visitar o consultório só quando têm dor de dente ou quando um problema já está instalado.  “A prevenção é o melhor caminho para afastar as doenças bucais. Se as pessoas cuidarem da higiene desde a infância, terão dentes preservados por toda a vida”, explica. A seguir, confira um guia de prevenção para adotar já!

 Cuidados diários que não se deve abrir mão

Adquira um kit com escova, creme e fio dental. É recomendável substituir a escova a cada três meses ou quando as cerdas começarem a entortar;

  • Opte pelos produtos de higiene bucal com flúor e só use enxaguante bucal com indicação do seu dentista;
  • Economize no creme dental. A quantidade recomendada por escovação equivale a um grão de ervilha;
  • Escove os dentes e use o fio dental sempre após as refeições. É importante que a escovação seja delicada, não escove o dente com força;
  • Escove a língua todos os dias com a própria escova ou com limpadores de plástico indicados para essa função;
  • Redobre a atenção na higienização noturna para garantir que os dentes estejam sem resíduos de alimentos antes de dormir;

Não espere ter um problema para visitar o dentista

  • Mesmo sem dor, sangramento ou nenhum sinal anormal nos dentes, marque uma consulta.
  • Visite um profissional da saúde bucal pelo menos duas vezes por ano.

Aprenda a escolher a escova de dentes

Apesar de existirem muitas opções no mercado, a melhor escova é a mais simples.

Tamanho: Opte por um modelo com cabeça pequena, semelhante a escova infantil. Desta forma, será possível alcançar melhor os dentes molares, aqueles que ficam lá no fundo da boca;

Cerdas: devem ser macias, pois causam menos atrito e mantem a integridade do esmalte dos dentes. Essa opção é mais eficiente para remover a placa bacteriana e resíduos de alimentos;

Exceções: Pessoas que utilizam aparelhos ortodônticos, que possuem implantes dentais ou próteses odontológicas podem necessitar de escovas especiais, diferentes do modelo indicado acima. Assim como, em casos de pós-cirurgia oral e utilização de próteses removíveis, o uso de escovas adequadas pode ser necessário, consulte o formato ideal com o seu dentista.

Estimule as crianças a criarem bons hábitos

  • Os pequenos se espelham nos pais, então nada melhor do que dar um bom exemplo.  Na hora de escovar os dentes, convide seu filho para que ele adquira o habito de higienizar a boquinha;
  • Explique o porquê a escovação é importante;
  • Mostre para a criança que comer e ficar sem escovar os dentes vai estimular o aparecimento de bichinhos;
  • “Escove” os dentes dos brinquedos e ursinhos de pelúcia para se aproximar do universo lúdico do pequeno;
  • Crie o ambiente adequado no banheiro. Coloque um banquinho na altura da pia ou um copo de água para ajudar no bochecho;
  • Agende uma visita com um odontopediatra, especialista no atendimento infantil. Ele vai cuidar da saúde bucal do pequeno, mesmo se ainda for bebê.

*Dra. Maria Paula Borghi é cirurgiã dentista e professora na área de dentística estética. Atua nas principais áreas transformadoras de sorrisos (estética reparadora e orthodontia) e é especialista em DTM e dores orofaciais. contato@dicasdadentista.com.br




DestaquesDicasDiversosBebêFamíliaMãe / PaiHome3 a 8 anos9 a 12 anosCriançaSaúde