Papo de Mãe
Papo de Mãe
» DIA DOS PAIS

Dia dos Pais: a descoberta da paternidade na adolescência

Em entrevista ao Papo de Mãe, o estudante Lucas Costa conta como é ser pai na adolescência e a importância do apoio da família nessa jornada

Maria Cunha* Publicado em 08/08/2021, às 10h29

A chegada de Théo foi um choque, mas seu pai não se arrepende
A chegada de Théo foi um choque, mas seu pai não se arrepende

Quando descobriu que seria pai, Lucas Costa tinha só 17 anos. Ele e a mãe de Théo, Milena, estavam juntos há 2 anos quando ela soube que estava grávida. A descoberta veio um dia antes do Dia do Pais, em 2019, e foi um choque, pois Milena já estava grávida de 5 meses.

De acordo com Lucas, o bebê não havia crescido muito e a mãe de Théo chegou a menstruar grávida. Então, foi só ao fazer um exame, que receberam a notícia da vinda do filho.  

“A primeira sensação foi medo, pânico. O que eu vou fazer da minha vida? Eu tenho um filho. Mas, enquanto está grávida só, você vai levando. Quando nasce, você percebe que é real mesmo, está acontecendo”.

Mas, para Lucas, a chave de tudo foi o apoio de sua família, que desde o início o tranquilizou e se mostrou disponível a ajudar.

“Eles diziam que estava tudo bem, que criança é uma benção e ficaram felizes. Então, de fato, pra mim foi bem tranquilo, teve aquele medo que é quando você paralisa, mas graças a minha família continuei, foi tudo bem e está tudo dando certo”.

Veja também

Hoje em dia, desde que Théo nasceu, Lucas conta que não mudou muita coisa em sua rotina. Embora não esteja mais em um relacionamento com a mãe do filho, ele afirma que cuidar de Théo continua sendo tranquilo.

“Eu tenho o apoio da minha família, que sempre está mandando leite, fralda. Minha mãe e meu pai brincam com ele”.

Além disso, Lucas, que havia trancado a faculdade de Economia, começou um novo capítulo em sua vida, a faculdade de Administração. Agora, o pai de Théo também vai trabalhar e comenta que conciliar tudo é uma responsabilidade muito grande, assim como pensar no futuro do filho e no que vai ser daqui pra frente.

“Mas, ao mesmo tempo, é bem legal, bem gostoso. Viver a experiência de ter um filho com essa idade me ajudou a dar um rumo melhor para a minha vida, criar responsabilidades, investir e pensar no futuro, além de só sair e curtir com os amigos. A minha experiência, talvez por causa das minhas condições e da família que eu tenho, está sendo bem leve e bem gostosa de viver. Se eu pudesse voltar no tempo e escolher, eu teria tido o Théo”. (Lucas Costa)

Ainda assim, o pai de Théo explica que não pode negar que acaba abrindo mão de comprar algumas coisas para comprar para o filho e de sair para alguns lugares para sair para outros com Théo. Mas, ele afirma que não é nada que se sente forçado a fazer ou que envolva sofrimento.

“Eu acho que, pela minha família, isso está sendo bem melhor e também pela visão que eu interpretei de tudo isso. A partir do momento em que você tem um filho, você pode pensar que ele arruinou a sua vida ou você pode interpretar de uma forma boa e gostosa, e aí o resto vai ser consequência”.

Lucas e Théo
Lucas e Théo

Em relação à Lucas e a mãe de Théo não estarem mais juntos, ele afirma que ambos estão lidando bem com essa situação.

Ele fica uma semana aqui e outra lá, a gente tem um relacionamento, de conversar sobre o Théo, até que bem adulto”.

O pai de Théo conclui ao reforçar que, hoje, a sua vida está completamente em ordem, o que inclui desde os cuidados de Théo, que hoje tem um 1 ano e 7 meses, a relação com a família e até a separação da mãe do filho.

Pai e filho se divertindo
Pai e filho juntos em um passeio 

*Maria Cunha é repórter do Papo de Mãe

Assista ao Papo de Mãe sobre a relação entre pais e filhos

Desafios / DilemasEntrevistasBebêPai/MãeJovemRelação com a Família