Papo de Mãe
Papo de Mãe
» DIA DOS AVÓS

Dia dos Avós: conheça o "Avosidade", o portal e podcast dos avós da era digital

Elisabete Junqueira, criadora "Avosidade", conta sobre o portal, que trata da relação entre avós, filhos e netos, e sua experiência como avó

Maria Cunha* Publicado em 26/07/2021, às 16h01

"Ser avô ou avó é muito mais do que ensinar e aprender e, ao aprender, você pode ensinar"(E.J.)
"Ser avô ou avó é muito mais do que ensinar e aprender e, ao aprender, você pode ensinar"(E.J.)

Seis anos atrás, exatamente no dia dos avós, Elisabete Junqueira lançou o portal “Avosidade”, dedicado aos avós da era digital, seus filhos e netos. Em entrevista ao Papo de Mãe, Elisabete falou da sua trajetória e também a importância da função dos avós.

Elisabete conta que é uma pessoa da área de comunicação corporativa e levou quase 40 anos tratando de assuntos, segundo ela, árduos e difíceis, voltados ao mundo dos negócios, até que nasceu seu primeiro neto, Matheus, que completou recentemente nove anos.

“Quando ele nasceu, eu percebi que as coisas tinham mudado muito e de forma bastante radical, as famílias e as necessidades eram outras e a dinâmica era muito diferente”.

Veja também

Então, a criadora do “Avosidade” levou dois anos pesquisando e descobriu que não tinha nenhum veículo que falasse de forma regular sobre a função de ser avó.

“Não tinha manual de avó, manual de mãe tem muitos, muitas publicações e programas, muita coisa na internet, e isso não é de hoje, é de sempre. Já as avós ficam sem seu manual para seguir nessa nova dinâmica”, explica Elisabete Junqueira.

Assim, no dia 26 de julho de 2015, depois de dois anos de muita pesquisa, foi lançado o “Avosidade”. Elisabete Junqueira reforça que além de tratar da relação entre avós e netos, o portal aborda também o relacionamento dos avós com seus filhos, porque não é possível ter netos sem os filhos no meio.

“A gente trata toda essa riqueza que essa relação traz, não só para as crianças, mas também para os avós. Essa caminhada tem sido muito bonita e, ao longo desse processo, nós fomos descobrindo que se o avô também não se conhecer como indivíduo, ele não conseguiria se posicionar nessa nova família, nessa nova dinâmica”.

Elisabete Junqueira ainda pontua que houve grandes mudanças na construção familiar, já que, hoje, uma família tem vários contornos.

“É uma família diferente do tempo em que eu era jovem, embora eu deva dizer que a geração dos avós, a geração dos baby boomers, que nasceu de 1945 até 1964, por aí, foi a geração que talvez mais tenha sido impactada por mudanças na sociedade, tudo nos aconteceu, sofremos todas as transformações, então não pensem, filhos e netos, que a gente não está acostumado com mudanças”. (Elisabete Junqueira)

A criadora do “Avosidade” lembra que é possível que tenhamos no nosso imaginário, uma vovozinha como a Dona Benta que, segundo ela, apesar de linda, deliciosa e maravilhosa, praticamente não existe mais.

“As vovós de hoje são vovós que foram à luta, foram trabalhar, foram criar seus filhos, e hoje, com essa carga fantástica de vida que elas carregaram, estão dando esse amor e esse aprendizado aos netos. É uma coisa muito diferente. Esse processo todo é um aprendizado coletivo. Ser avô é muito mais do que ensinar e aprender e, ao aprender, você pode ensinar”.
Elisabete e o neto Rafael
Elisabete e o neto Rafael

Elisabete ainda conta que, ao longo desses anos, foi conhecendo melhor os perfis do avô ou da vó atuais e procurando ensinar a eles, por meio de especialistas, como é que os avós devem ser, como se comportar, para evitar embaraços familiares e dar todo o amor aos netos.

A avó de Matheus também revela que, por meio do “Avosidade” fez muitos eventos, inclusive presenciais, sobre assuntos do universo dos avós.

“Nossos eventos são fantásticos, eles estão interrompidos, por hora, em função da pandemia, o que fez perder o olho no olho dos avós com os especialistas, até porque, sem a falsa proteção de uma rede social, a pessoa pode sentir o coração tocado e falar o que sente”, conta Elisabete Junqueira.

Além disso, em dezembro do ano passado, Elisabete lançou o canal de podcast do “Avosidade”, em que conta histórias com a linguagem de rádio.

“Está fazendo muito sucesso, porque nossos textos são bastante cuidadosos e feitos com o formato novo dos netos, mas o vigor jornalístico e de apuração dos avós, então, eles requerem um momento mais concentrado para que possam ser aproveitados. Os avós podem ouvir o podcast enquanto fazem suas atividades normais, caminhar, digirir ou demais tarefas domésticas”.

Elisabete Junqueira ainda conta que, daqui a 3 semanas, o portal vai ganhar uma grande modificação.

“Nós vamos ampliar as editorias e a participação de especialistas, mas é claro que essa intergeracionalidade é o nosso coração. Tudo isso pra fazer com que esse avô fique cada vez mais ‘up to date’, mais pronto pra essa jornada pessoal e essa jornada com os netos. Além disso, vai ser lançada uma editoria de debates, para trazer temas importantes para a sociedade e para os netos adultos”.

A criadora do “Avosidade” explica que o motivo disso é a o imaginário popularsempre pensar na avó com os netinhos, crianças pequenas, mas os avós hoje convivem com os netos adultos, por isso ela pontua que é importante saber tudo que aflige os jovens.

Elisabete Junqueira e a família
Elisabete Junqueira e a família

A importância dos avós

Elisabete conta que as lembranças mais tenras e afetivas da infância costumam ser da gentena companhia dos avós.

Outro fator é que, de acordo com Elisabete Junqueira, a maternidade e a paternidade são tarefas muito demandantes e todas as pessoas que têm filhos estão muito preocupadas em fazer a coisa da melhor forma possível, querendo que as tudo saia muito certo, então a tarefa de educar é muito difícil e isso deixa a pessoa estressada.

Já no caso dos avós, ela explica que eles já passaram por aquilo, eles já sabem que algumas fases podem ser conduzidas de uma forma mais serena e essa tranquilidade é a maturidade que traz.

“Às vezes com a birra de uma criança, uma mãe fica tão preocupada e tão nervosa, e o avô já viu aquilo várias vezes e sabe que se for conduzido desse jeito, a coisa se soluciona com muito mais facilidade”.

É importante dizer que a criança também tem nos avós um reforço pra todas essas questões e os pais têm que ter algo muito importante, a chamada rede de apoio.

“Tem um documentário fantástico sobre o início da vida que diz que pra você criar uma criança é necessário uma aldeia, todo indivíduo que cresce com o apoio de uma família, não só a família nuclear, pai e mãe, mas uma família estendida, cresce com mais possibilidades. Com os avós, ele já tem outro tipo de interação e por aí vai. Ele vai crescendo , desde que a relação seja boa, com pessoas que ele pode confiar e contar a vida toda”.

Elisabete Junqueira conta que há no “Avosidade” muitas histórias de netos adultos que tiveram de seus avós apoio incondicional nas escolhas na vida, escolhas profissionais, de ordem afetiva, de sexualidade, que os pais não puderam compreender e tiveram dificuldade de entender.

“Pros avós é muito gratificante ter a companhia dos netos, é uma outra relação. Também é legal apoiar os filhos na criação, desde que não haja interferência de como os pais querem educar, como os pais querem alimentar, que haja respeito dos avós pela escolha dos pais, todo mundo sai ganhando”, conclui a criadora do portal “Avosidade”, Elisabete Junqueira.

Mensagem aos avós

"Todos os dias são lindos quando a gente está com os netos, cuidem de si também, cuidem bastante dos seus sonhos, da sua saúde, se conheçam como indivíduo, porque a gente vai mudando ao longo da vida, então a gente também tem que se conhecer, conhecer nossos limites. Aproveitem essa fantástica relação com os netos, especialmente, aprendam com eles, os meus netos ainda são crianças pequenas, mas eu tenho aprendido muitíssimo com eles. É uma coisa muito legal. Quando a gente aprende, aí a gente pode ensinar, o caminho fica aberto para você conseguir passar os seus valores, as suas histórias, o que você acha bonito. Esse ninho fica completo, de dar e receber amor. Também quero desejar a todos um feliz dia dos avós e dizer que avô não é só avô biológico, tem avô do coração, tem tio avô, tem madrinha, tem tudo isso que faz esse papel. Essa relação da avosidade se dá muito mais pelo afeto e pelo amor do que por ser uma relação apenas de consanguinidade". (Elisabete Junqueira)

Assista à entrevista completa com Elisabete Junqueira

*Maria Cunha é repórter do Papo de Mãe

Homenagem aos avós

O Papo de Mãe homenageia todos os avós da nossa equipe e deseja a todos um feliz dia dos avós!

Vovó Mara e Vovô Ricardo, 5 netos - pais da apresentadora Mariana Kotscho

Mara Kotscho
Mara Kotscho
Ricardo Kotscho
Ricardo Kotscho

Vovó Maysa e Vovô Luiz, 4 netos - pais da apresentadora Roberta Manreza

Maysa Manreza
Maysa Manreza
Luiz Manreza e as netas
Luiz Manreza e as netas

Maria de Lurdes, Arlete, Virgílio e Mauro - avós da repórter e coordenadora de mídias Ana Beatriz Gonçalves

Maria de Lurdes, Arlete, Virgílio, Mauro e a neta Ana Beatriz
Maria de Lurdes, Arlete, Virgílio, Mauro e a neta Ana Beatriz

Fernando, João, Conceição e Antonia - avós da repórter Maria Cunha

Fernando e a neta Maria
Fernando e a neta Maria
João e a neta Maria
João e a neta Maria

Conceição, a neta Maria e Antonia
Conceição, a neta Maria e Antonia

Geraldo, Angelina, José Valter e Teresinha - avós da repórter Sabrina Legramandi

Geraldo, Angelina e a neta Sabrina
Geraldo, Angelina e a neta Sabrina
José Valter, Teresinha e a neta Sabrina
José Valter, Teresinha e a neta
Sabrina
CuidadoresEntrevistasAvósRelação com a Família