Papo de Mãe
Papo de Mãe
» COMPORTAMENTO INFANTIL

As crianças não precisam ser corrigidas, elas precisam ver os pais se corrigindo

Mudar um comportamento criando um novo hábito pode ser doloroso para os pais. Mas assim como para criar músculo você sofre, mudar a mente não é diferente

Mariana Wechsler* Publicado em 01/04/2022, às 15h27

Pais são exemplos pros filhos
Pais são exemplos pros filhos

Não existe um fardo maior para a criança do que a vida não vivida dos pais. Nossa responsabilidade não é mostrar para os nossos filhos como abdicar de nossos sonhos, mas como mantê-los vivos até o ultimo dia de nossas vidas.

Na busca em criar filhos “perfeitos“ e emocionalmente fortes, não percebemos que o chamado da maternidade é nos tornarmos um modelo de como viver a vida, e não sobre encontrar ferramentas e maneiras adequadas para corrigir o comportamento da criança.

Sua criança só se permite se cuidar e ser feliz o tanto quanto ela vê você se permitindo. Como você a visualiza no futuro?

A mãe e o pai são um modelo que mostra aos filhos como viver. As crianças não precisam ser salvas, eles precisam ver e presenciar seus pais se salvando.

Mudar um comportamento e criar um hábito pode ser realmente doloroso. Mas assim como para criar músculo você sofre, mudar a mente não é diferente. Então prepare-se.

Conheci uma grande empresária que me contou sobre um momento emocional na vida dela que foi um verdadeiro ponto de inflexão, que moldou a trajetória de um comportamento sobre a frustração.

Assista a um Papo de pai no pós-parto

Vou chamá-la aqui de Sabrina e ela era filha de um vendedor. Todo dia seu pai saia cedo para trabalhar e muitas vezes voltava para casa tarde, após a pequena Sabrina dormir. 

Numa sexta-feira de verão, Sabrina pediu muito ao seu pai que retornasse cedo para casa, porque ela queria passear com ele. Sabrina passou o dia aguardando ansiosamente o momento em que seu pai havia prometido chegar.

No fim do dia, o jantar já havia passado, Sabrina foi para perto da janela na espera da grande chegada, mas o pai não chegou cedo. Sabrina foi dormir muito triste, sentia muita frustração. Quando seu pai chegou, ela estava já dormindo e ele acabou se esquecendo do combinado. 

Com o passar dos anos, Sabrina acabou alimentando esse sentimento em diversas situações similares. Muitas de suas relações acabavam em profunda frustração. Isso acontecia porque Sabrina acabou cultivando um hábito de se envolver em situações em que buscava sentir novamente a frustração. Não sentir confiança em pessoas que ela admirava se tornou uma expectativa.

No trabalho, na família e com os filhos, esse comportamento se repetia. Por um lado, esse sentimento a levou a se tornar uma grande empresária. Mas por outro, acabava sendo muito difícil para ela cultivar relacionamentos duradouros e criar momentos de alegria com os filhos.  

Foi encontrando esse Momento Emocional, esse Ponto de Inflexão (que eu chamo de M.E.P.I.) que Sabrina foi capaz de entender o seu hábito. A partir dessa (re)descoberta, ela criou condições para transformar e mudar a sua percepção sobre a frustração. 

Na filosofia, encontramos muitos pensadores que explicam sobre a linguagem e sobre as emoções. John Locke, por exemplo, explica que ao longo da vida nós formamos conceitos (significado das coisas) de acordo com nossas percepções. Em outras palavras, nós aprendemos e criamos significados a partir de como entendemos o mundo a nossa volta.

Veja também

Exemplos simples ajudam a entender isso: o conceito de SILÊNCIO para uns remete ao prazer de reencontros e conexão, para outros SILÊNCIO lembra sofrimento e encolhimento; CASAMENTO para muitos pode ser uma coisa positiva, muita festa e parceria, mas para outra parcela CASAMENTO também pode significar confusão, conflitos, medo, abuso psicológico ou físico, violência e outros significados bem complicados. 

Esse exercício de entender os seus próprios significados, entender as suas percepções sobre o mundo, vale para todas as coisas - como o que é ser pai, ser mãe e o que é ter uma família. 

Entender quem você realmente é visualizar quem está por trás das máscaras que você aceitou da vida, essa é a chave para sua transformação como mãe e como pai. 

Perguntar para si Por Que? Para Que? Como? ajuda a entender o seu comportamento sobre as situações. Mas não será apenas isso que o ajudará a encontrar o seu M.E.P.I., aquele momento emocional que gerou um significado.

Nessa minha trajetória, eu desenvolvi uma forma para conseguir mudar qualquer situação desafiadora. E nada mais desafiador do que criar seres humanos, criar pessoas empáticas e empoderadas. 

São 4 pilares que eu sigo

1. é sempre comunicar-se positivamente, bem longe de uma positividade tóxica.

2. é ser dona das próprias decisões, dona do próprio destino.

3. É mapear os Hábitos que são nocivos à felicidade, e para transformar esses hábitos temos que ter um comprometimento firme com nós mesmas, diariamente; e

4. conseguir identificar os Momentos Emocionais, os Pontos de Inflexão, fatos do passado que marcaram fortemente e foram capazes de criar hábitos emocionais que se repetem em situações difíceis.

Ser capaz de encontrar o seu MEPI, o seu Momento Emocional esse Ponto de Inflexão, é libertador, pois o que te limita fica evidente e então mais fácil de ser transformado. 

Aplicar uma comunicação positiva, não-violenta e não-tóxica, é ser capaz de compreender os mecanismos que fazem o mundo evoluir. Que faz você evoluir. E mais ainda, você será capaz de controlar o seu destino. 

Se você conseguir manter esse pilar firme na sua vida, eu te garanto mais felicidade e mais harmonia na família e no trabalho. Tenha esse mantra ecoando no seu dia a dia: Eu escolho a felicidade, eu escolho ser feliz.

Olha no espelho e diga para você mesma isso: Eu escolho a felicidade, eu escolho ser feliz.

Você sabe como muitos atletas são medidos? Como se identifica se um atleta tem potencial para ganhar uma prova? É pelo tempo que o atleta se dedica, pelo número de horas que o atleta treinou repetidas vezes os mesmo movimentos, as mesmas estratégias, as mesmas técnicas. Uma após a outra, incansavelmente. Uma ginasta com 10.000 horas de solo é nível avançadíssimo, um jogador com 10.000 horas de treino e jogo em competição é de alta performance e de consciência do coletivo. 

E isso tem uma explicação. 

Se entender que a vida é energia, você entende que todos os seres vivos e substâncias possuem energia. Inclusive você. 

Se você liga uma lâmpada, você direcionou uma energia para a lâmpada, o que a fez acender. O atleta coloca toda a sua energia para aprimorar suas habilidades, e sua performance é diretamente relacionada a quanto tempo dedicou sua energia. Ainda que boa performance não signifique uma medalha de ouro, um atleta dedicado chega a ser emocionante de assistir. Porque energia contagia, inclusive para o mal. 

O mesmo ocorre com nossos relacionamentos e comportamentos. Se você direcionar a sua energia para alguma situação, se você dedicar o seu pensamento a um determinado assunto, você está alimentando um determinado comportamento. E é isso que terá como resultado. 

O VOCÊ que aparece para o mundo é a figura que você mesma imagina ser. É a figura que você coloca mais energia. Se você não sabe controlar aonde dedicar sua energia, pode ter certeza que você demonstra ser diferente para diferentes pessoas, você é uma no trabalho, outra pessoa com o marido ou com a esposa, outra pessoa com os filhos e por aí vai. Como sua dedicação (intenções) não está direcionada, está fora de controle, você está perdida dentro de você mesma. Isso causa angústia, ansiedade, tensão, depressão e muitos comportamentos nocivos ao seu desenvolvimento. 

Preste atenção agora

Para mudar um comportamento, você precisa romper bruscamente com o comportamento que não quer. Você precisa ser impiedosa consigo, você precisa determinar fortemente em não mais permitir que determinado comportamento apareça nos seus pensamentos, nas suas palavras e nas suas ações.

Passe a imaginar quem você quer ser, como quer se comportar, repita incansavelmente quem é essa pessoa que você quer ser. Escolha ser feliz. E como os atletas, com esse treino, você conseguirá moldar um novo comportamento.

Você tem coragem?

O processo de romper um comportamento é doloroso. Sabe por quê? Porque você tem a sensação que aquele comportamento é você. Mas acredite, não é. Eu acredito em você. O que você quer mudar não pertence ao seu EU, só esta lá. 

Se você chegou até aqui para saber como mudar o comportamento de uma criança, de como compreender o comportamento de um filho ou de uma criança que você cuida, você pode estar se perguntando agora porque estou falando disso. Pois é. Vou te contar outro segredo.

Para mudar o comportamento do seu filho, você precisa mudar o seu. Pode ser difícil para você ouvir isso, e você precisa ter coragem para ouvir, entender e aceitar. Será um processo que pode ser longo, não desista, fique tranquila, fique tranquilo. O mais importante é a sua decisão diária de ser uma pessoa melhor, de ser uma pessoa feliz. 

Mudar um comportamento criando um novo hábito pode ser realmente doloroso. Mas assim como para criar músculo você sofre, mudar a mente não é diferente. Então prepare-se. 

Quando você estiver pronta, você vai perceber que nunca pode parar de estar alerta sobre si mesma. Que a vida é dinâmica, e por isso temos que estar sempre prontos e disponíveis para mudar. Para criar uma nova forma. Cada vez que você criar um novo comportamento, uma nova versão de si mesma, você começa a se acomodar e deixa de perceber o seu entorno, as pessoas a sua volta. Nunca se acomode, não alimente esse hábito. 

Quando você cria afirmações e as repete diariamente buscando colocar em prática na sua vida, tudo muda e você atrai o que quer. Esse é o grande segredo da vida, essa é a verdadeira Lei de Causa e Efeito, ou como também é conhecida, a Lei da Atração. Crie afirmações claras, tão evidentes que não resta dúvida; visualize você nessa afirmação; e realmente sinta essa afirmação. 

Eu quero ser uma boa mãe, quero ser um bom pai, uma companheira com empatia. Não comece fazendo uma negação como por exemplo, não quero gritar mais com meu filho. Faça afirmações positivas, como: Quero entender o meu filho, quero entender suas emoções, quero ser uma mãe ou um pai que entende o porquê que meu filho faz manha. Visualize-se nessa cena, se veja querendo entender o seu filho, se veja buscando entender o porque das emoções do seu filho. E realmente sinta isso, sinta na sua alma. 

Sentir intensamente é energia. E energia é magnética. Se você conseguir fazer isso, pode ter certeza que você transformará o comportamento do seu filho, mas principalmente o seu comportamento. A nossa vida, nossos relacionamentos, não são diferentes do que todo o universo. O Universo é energia, toda energia tem uma frequência transmissível, ela vibra. A intensidade com que você determinar a sua afirmação, e determinar significa visualizar e sentir, será igualmente proporcional ao seu resultado. Assim como os atletas que falamos. 

Isso gente, vale para tudo na vida

No Budismo há um ensinamento que em resumo diz: Se você quer transformar a sua vida e transformar quem você se apresenta ao mundo, você precisa colocar em prática uma clara percepção sobre suas emoções. Você precisa compreender o porquê, o para que e o como você percebe o mundo. E é por isso que eu medito, pego alguns minutos do meu dia e me dedico a dois pensamentos: o primeiro em manter a minha mente aberta, silenciando os diversos EUs que debatem entre si dentro de mim; e segundo, passo a pensar em quem eu quero ser. 

Seja expert em comunicação positiva. Mantenha esse pilar tão sólido que nenhuma surpresa da vida vai te abalar.

Espero você aqui nessa jornada. 

Seja sempre sua melhor amiga, seja fantástica.

mariana w
Mariana Wechsler e os filhos

*Mariana Wechsler, Educadora Parental, especialista em educação respeitosa, budista há mais de 34 anos e formada em Comunicação. Mãe de Lara, Anne e Gael. Escreve sobre parentalidade consciente, sobre os desafios da vida com pitadas de ensinamentos budistas e suas experiências morando fora do Brasil longe de sua rede de apoio. Acredita que as mães precisam aprender a se cuidar e se abraçar, além de receberem apoio e carinho. Sempre diz: “Seja Fantástica! Seja sempre a sua melhor amiga”.

ColunistasMariana Wechsler