Papo de Mãe
Papo de Mãe
» GRAVIDEZ

Crescimento intrauterino: e quando há algum problema?

A ginecologista e obstetra Ligia Santos, colunista do Papo de Mãe, explica o que acontece quando há restrição do crescimento intrauterino

Mariana Kotscho* Publicado em 12/07/2021, às 18h16

Dra.Ligia Santos, colunista do Papo de
Dra.Ligia Santos, colunista do Papo de

A restrição de crescimento intrauterino é quando o bebê não cresce adequadamente dentro do útero: o bebê não cresce, a barriga não cresce. É um evento raro, mas muito grave. Será uma gestação de risco. Mesmo assim a gravidez vai se desenvolver, mas o risco é de um parto prematuro.

Mas como saber que o bebê não está crescendo?

Um dos principais exames do pré-natal para checar o crescimento do bebê é o ultrassom, mas outros exames são igualmente importantes. E são eles: medição da pressão da gestante (para saber se tem hipertensão), avaliar ganho de peso, ouvir o coração do bebê e fazer a medição da barriga. Dependendo do tamanho da barriga, o médico pode decidir por adiantar alguns exames de ultrassom.

A Dra.Ligia Santos, ginecologista e obstetra, colunista do Papo de Mãe, explica que a medição do tamanho da barriga da grávida é importante para avaliar o crescimento do útero e, assim, também do bebê: "Existem bebês que são pequenos, mas que não são restritos. São coisas diferentes. É preciso comparar com uma tabela que aponta o tamanho do feto em relação ao tempo gestacional".

É preciso saber a idade gestacional correta, avaliar o biotipo da mãe e do pai (se eles são pequenos, é esperado um bebê menor). O bebê que é apenas pequeno não apresenta outras alterações. Mas um bebê considerado  restrito pode apresentar algumas alterações como: alteração da produção de líquido aminiótico ou placenta envelhecida que não alimenta corretamente o bebê.

Veja também

A médica também chama a atenção para a avaliação do tempo da restrição de crescimento, se ela é mais precoce ou não. "Se ela acontece com menos de 24 semanas de gestação chama a atenção para malformações fetais", diz a médica. Quando a gestação está mais avançada, talvez tenha que atencipar o parto e daí é avaliado de pode ser ou não um parto normal.

O que provoca a restrição de crescimento?

A restrição de crescimento intrauterino pode ter diversas causas. Uma delas é a malformação congênita. Outras seriam infecções como tuberculose, sífilis, citomegalovirus, varicela. Não há estudos ainda sobre Covid-19 e restrição fetal.

Mães com hipertensão ou doenças autoimunes também podem provocar um bebê restrito, assim como intervalos curtos entre as gestações (menos de 2 anos) e mães adolescentes. 

"O mais importante é sempre começar o pré-natal o quanto antes", reforça a Dra. Ligia Santos.

Assista ao vídeo da Dra.Ligia Santos sobre crescimento intrauterino

*Mariana Kotscho é jornalista

ColunistasDra.Ligia SantosGravidez