Papo de Mãe
Papo de Mãe
» SEXO

Como está sua libido? Tá faltando desejo sexual? Acontece, acredite!

A médica Ligia Santos traz um assunto que muitas vezes é tabu, mas que sempre aparece em seu consultório: a falta de desejo sexual

Ligia Santos* Publicado em 04/08/2021, às 07h00

Dra.Ligia Santos, colunista do Papo de Mãe
Dra.Ligia Santos, colunista do Papo de Mãe

Oi, pessoal! Tudo bem? Hoje a gente vai falar um pouquinho sobre falta de desejo sexual. Isso porque é uma das queixas que eu mais recebo no consultório e ela vem de mulheres de todos os tipos: com idades diferentes, seja tanto de mulheres mais jovens quanto de mais velhas, mulheres que têm um relacionamento estável longo, ou as que têm diversos parceiros e tentam encontrar mais motivação na questão sexual e mulheres com orientações sexuais diferentes.

Então não só as heterossexuais, mas também as homossexuais  se queixam eventualmente disso. A gente tem uma dificuldade muito grande, até eu tenho de explicar, que o que elas estão buscando não necessariamente vai encontrar no consultório, isso porque para uma boa parte dessas mulheres a grande motivação para ir à consulta na ginecologista, por esse motivo, é achar um remédio que possa melhorar isso, achar algum problema hormonal que possa justificar, e assim ficarem mais tranquilas em relação ao que estão sentindo.

O grande problema é que a gente vive em uma sociedade que ainda é muito machista, em que nós, mulheres, ainda temos muita dificuldade de se explorar, de se conhecer. Se a gente não se conhece, não se entende, não sabe o que nos dá prazer, ou o que não dá, se não fantasiamos ou pensamos em sexo, isso tudo atrapalha na hora de explicar pro outro aquilo que eu nem sei o que fazer.

Veja também

Se eu não me conheço, como é que eu vou explicar pro outro como eu funciono, o que eu gosto, o que eu não gosto, o que eu espero, o que falta? Às vezes até temos dificuldade para explicar o que falta. A libido feminina é muito complexa, a gente ainda tem muito pouca informação e muita dificuldade para entender como funciona a questão da libido. Isso porque até agora, praticamente, a questão de libido e sexualidade sempre foi muito focada no homem, e muitas vezes é assim que a gente aprende crescendo, a gente entende prazer, sexo e desejo com padrões muito masculinos.

Então hoje eu vou falar um pouquinho à respeito disso, não porque vou trazer respostas, ou não, então existem coisas que a gente consegue determinar, por exemplo, mulheres que estão em determinados períodos da vida podem sim ter problemas hormonais, e podem sim ter dificuldade para sentir prazer. No caso, eu estou falando das mulheres que estão na menopausa, porque existe uma diminuição natural da quantidade de hormônios. Além disso, mulheres na menopausa podem ter menos lubrificação vaginal e isso interfere na questão sexual, porque se eu tenho uma lubrificação inadequada, no ato de penetração o atrito pode ser doloroso e incômodo, gerando um ciclo vicioso: não gosto de ter relação porque dói, acabo ficando sem vontade, e se eu estou sem vontade acabo evitando a relação, e assim sucessivamente.

Uma outra categoria de mulheres que pode ter resposta orgânica para essa falta de libido são as mulheres que amamentam ou estão no pós-parto, isso porque a diminuição de hormônio e a produção de prolactina, um hormônio da amamentação, pode fazer com que essas mulheres tenham menor lubrificação, então a vagina fica mais seca e fica difícil de ter relação sexual. Então é importante, caso você esteja nesses períodos, que não tenha vergonha, utilize lubrificantes, ou hidratantes vaginais.

Há diversos tipos de produtos no mercado, tanto o hidratante, que você você vai utilizar no seu dia a dia, então você vai colocar duas ou três vezes por semana, e ele vai agir mantendo sua vagina lubrificada, quanto os lubrificantes, que em geral são utilizados só na hora do ato sexual.

Fora esses períodos específicos, é muito difícil de determinarmos porquê a mulher não está sentindo vontade de ter relação, isso porque não existe um padrão certo de nível hormonal, então existem mulheres que têm um nível de testosterona, o principal hormônio que a gente dosa para saber como está esta questão, que não é tão alto, mas elas têm um desejo muito bom, muito normal, e o contrário também, eu posso ter mulheres com níveis altos de testosterona com desejo muito baixo.

Assista ao vídeo em que a Dra.Ligia Santos fala sobre libido e mostra gráficos sobre resposta sexual masculina e feminina

Há gráficos que mostram o ciclo de resposta sexual. No ciclo clássico, bem linear, eu fico com desejo sexual, esse desejo vai gerar uma excitação que tende a ser progressiva, essa excitação vai chegar em um ponto de um platô e aí mantendo minha excitação vai chegar em um ponto máximo, que é um ponto de não retorno, em que eu vou ter o orgasmo, e aí eu relaxo. Esse modelo foi utilizado para explicar a questão do ciclo sexual por muito tempo, mas ele é um modelo que não se encaixa muito bem no modelo feminino. Ele tem muito a ver com a forma como os homens respondem sexualmente. O homem é muito visual, então ele olha alguma coisa que desperta desejo, então aquele dia que você está com uma camisola diferente, que você faz um jeitinho diferente, já chama a atenção deles, e aí eles utilizam a mente, o negócio vai andando, até que eles conseguem sentir excitação e gozar.

Para mulher, o modelo é um pouquinho diferente. O primeiro, masculino, era linear, o feminino, é mais circular. É um modelo que explica melhor a libido feminina. O gráfico mostra quadradinhos quem falam à respeito de coisas que são importantes e que interferem na libido feminina. Então existe a questão do estímulo emocional, a questão da satisfação no relacionamento, a questão do estímulo sexual. Muitas vezes o que acontece é que queremos fazer  - o sistema do primeiro gráfico funcionar no nosso corpo, e aí acaba não dando certo. Muitas vezes, o desejo sexual da mulher vai acontecer depois de um estímulo, então às vezes a gente não está com vontade nenhuma de ter relação sexual, em que você está super bem vendo seu filme e comendo sua pipoca, e aí de repente meu parceiro ou parceira chega e começa a estimular.

Cada mulher sabe o jeito que gosta de ser estimulada, e se esse estímulo é feito de maneira mais adequada, muitas vezes essa vontade vai vir, não porque eu olhei meu parceiro que estava lindo ou minha parceira que estava cheirosa, mas porque fui estimulada de uma forma que me agradou.

Outra coisa que é importante e que eu sempre falo, se você não pensa em sexo, nunca vai dar vontade, então é importante que você mantenha fantasias, que vão entrar como um aditivo nessa questão toda, porque é a partir da fantasia que você vai poder imaginar coisas que vão poder ser colocadas em prática na hora que você vai ter relação, e manter esse ato sexual interessante.

Além disso, outras questões são importantes: como está o relacionamento, pois não adianta nada eu estar sem vontade nenhuma de ter relação e meu parceiro também não fazer nada, nenhum esforço para que essa vontade venha, ou estar em um relacionamento abusivo, ou um relacionamento de longa data que caiu na rotina, em que você já sabe o jeito que ele começa, o jeito que ele termina, então não tem novidade, não traz nada de novo.

Então tudo isso tem que ser colocado como questões psicológicas também, existem mulheres que têm conflitos, muitas vezes de criação, religiosos etc, que também precisam ser trabalhados para que essa mulher possa ter uma vida sexual mais satisfatória.

Quando a gente pensa em falta de libido, é errado pensar que se eu tomar um remédio, isso vai melhorar, eu preciso de uma avaliação melhor, é necessário avaliar como está o relacionamento, verificar se essa falta de libido está relacionada a só o parceiro, à fase da vida que eu estou. Muitas vezes a gente não está numa fase legal, em que você tá trabalhando muito, cheia de preocupação, com "N" problemas na família, então é óbvio que você pode não ter vontade de ter uma relação sexual, enfim, é multifatorial, tem muita coisa que pode estar interferindo.

Eventualmente, caso você tenha dificuldade com isso, é importante procurar um médico para poder verificar essas questões que eu falei, pode ser que você tenha um problema hormonal, e tomar um pouquinho de hormônio possa te ajudar. Pode ser que você tenha que procurar um psicólogo, não tenha preconceito em relação a isso, terapia também é tratamento médico e também precisa ser valorizada, feita com profissionais capacitados, e não tenha medo de dividir isso com a pessoa que está com você.

A relação sexual não necessariamente precisa terminar em orgasmo para ser satisfatória, a satisfação é muito pessoal, então existem mulheres que não sentem orgasmo, mas elas gostam tanto do ato, da pessoa, de fazer aquilo, que para elas está bom. É necessário que você também reflita sobre aquilo que é importante para você e divida com o seu parceiro. Cada uma vai ter uma forma de fazer isso, pode ser sentada conversando, pode ser sugerindo coisas diferentes, abrindo o jogo, cada uma dá um jeito e a gente consegue sempre achar um ponto para o negócio andar.

O que vale é que você divida isso com seu parceiro ou com sua parceira, e diga "olha, eu não estou com vontade, vamos tentar algo diferente? Vamos ver? Será que a gente precisa de terapia de casal? Como que a gente pode fazer?". Eu sei que existem casos em que o parceiro não é muito receptivo, o que é muito difícil de acontecer, assim como tem casos em que a própria pessoa de repente para e pensa se vale a pena. Infelizmente tem algumas mulheres que sequer querem tentar um diálogo, porque já não acreditam mais.

Mas eu acho que ninguém deveria ser privada de prazer, eu acho que vale a pena sim você ir atrás, procurar ajuda e tentar, de uma forma ou de outra mudar isso. O sexo é algo muito bom, é muito prazeroso quando você tem o estímulo adequado, quando você tem o parceiro ou parceira que te entende e que sabe lidar com você, e principalmente, quando você conhece seu corpo e sabe aquilo que você gosta e pode indicar para essa pessoa qual que é o caminho.

E vocês podem contar suas histórias, pedir informações, falar a respeito, dividir um pouquinho, se vocês quiserem eu tô aqui a disposição, e até a próxima.

*Mensagens e perguntas para a Dra.Ligia Santos podem ser enviadas para o e-mail contato@papodemae.com.br

*Ligia Santos é ginecologista e obstetra e colunista do Papo de Mãe

ColunistasDra.Ligia Santos