Papo de Mãe
Papo de Mãe
» SUSTENTABILIDADE

Como é possível ser sustentável ao se vestir?

A moda sustentável é possível e faz parte de uma conscientização da sociedade

Redação Papo de Mãe Publicado em 06/04/2022, às 06h00

Moda sustentável está na moda - Foto: divulgação Malwee
Moda sustentável está na moda - Foto: divulgação Malwee
Uma famosa marca de roupas infantis acaba de fazer uma coleção inteiramente sustentável: as roupas foram feitas com tecidos remanescentes de outras coleções. A marca pegou essas sobras, utilizou o conceito color-block e fez aplicações livres de sobras de tecidos de texturas e cores diferentes e o resultado foi uma coleção amiga do planeta e muito muito colorida e divertida para as crianças!
O objetivo da Malwee Kids é falar de sustentabilidade para as crianças e pautar esse tema entre as famílias de uma forma lúdica e divertida. As roupas são lúdicas e as peças são para meninos e meninas. 
"A partir do color-block, queremos mostrar para as crianças que com criatividade podemos criar e recriar um futuro melhor, ajudando a preservar o meio ambiente", afirma Gregório Reis, novo Gerente Criativo da marca.
Como as roupas são feitas com retalhos, acabam não existindo peças repetidas, cada peça dessa coleção é única. 

Veja também

Também faz parte do uso sustentável de roupas a reutilização e o reaproveitamento. Não cabe mais? Doe para quem precisa. Uma limpeza nos armários das crianças é sempre bem vinda.

Menos consumo para um mundo mais sustentável: ensinando seu filho a cuidar do planeta

O Brasil vive neste momento a pior crise hídrica em quase um século. Há 91 anos os reservatórios de água não ficavam com um volume tão baixo. Entre muitos outros problemas, especialistas já apontam para o risco de que a escassez de água possa levar ao racionamento de energia e até mesmo a apagões no país.

Como se vê, as questões ambientais afetam a todos. 

Um outro exemplo de roupas sustentáveis é uma loja que aluga roupas para bebês. O sistema de aluguel resolveu um problema pelo qual toda mãe passa, que é fato dos bebês perderem roupas muito rapidamente.

Criadora da marca Tuga, a jornalista Graziela Sirtoli conta que a ideia de criar a loja surgiu quando ela passou a se interessar pelas questões de sustentabilidade. Em um primeiro momento, o propósito era produzir roupas para recém nascidos utilizando tecidos mais sustentáveis. Mas, pesquisando o tema, percebeu que poderia ir ainda além: criar uma maneira de aproveitar as roupas que já existiam.

“Por meio desse modelo, de aluguel de roupas, é possível que mães e pais vistam seus bebês de modo mais prático, econômico e sustentável, consumindo apenas as roupas que precisam no período que servem em seus filhos”, diz Daniel Perez, que responde pela comunicação da Tuga.

Para que se tenha uma ideia do tamanho do impacto causado pelo consumo exacerbado, em 2021 o Dia de Sobrecarga da Terra, momento em que a humanidade excede a cota anual de recursos regeneráveis, chegou quase um mês mais cedo que no ano anterior.

No entanto, a boa notícia é que, segundo o Instituto Akatu por um consumo consciente, levantamento realizado através das buscas no google mostra uma tendência de alta nos comportamentos de consumo consciente durante a pandemia. O aluguel de roupas e o reaproveitamento de recortes de tecido pode ser um começo.

Criança