Papo de Mãe
Papo de Mãe
» PESQUISA

Com a flexibilização da pandemia, acidentes domésticos envolvendo eletricidade aumentam em 2021

Dados do primeiro semestre deste ano são maiores que os de 2020. Diretor executivo da Abracopel, Edson Martinho, comenta o comparativo

Redação Papo de Mãe* Publicado em 20/07/2021, às 18h59

Abracopel traz dados inéditos do 1º semestre de 2021, revelando os acidentes envolvendo choque elétrico e incêndios por sobrecarga
Abracopel traz dados inéditos do 1º semestre de 2021, revelando os acidentes envolvendo choque elétrico e incêndios por sobrecarga

Os números de acidentes envolvendo eletricidade cresceram no 1º semestre deste ano. É isso que mostra a recente pesquisa feita pela Abracopel (Associação Brasileira para a Conscientização dos Perigos da Eletricidade).

Dados inéditos divulgados em primeira mão nesta terça-feira (20) revelam que acidentes de choque elétrico e incêndios por sobrecarga aumentaram em comparação aos seis primeiros anos de 2020. Na opinião do diretor executivo e engenheiro Edson Marinho, a situação da pandemia da Covid-19 influenciou diretamente nesses casos.

"Nós fizemos uma análise e chegamos a conclusão que quando a pessoa está mais tempo em casa, ela observa mais situações de risco e se dá conta que precisa corrigi-las", explica o especialista.

Veja também:

Como o primeiro semestre de 2021 trouxe a flexibilização da pandemia e do isolamento, as pessoas estão passando mais tempo fora de casa, embora a Covid-19 ainda esteja em alta e a vacinação caminhando. Em 2020, por conta da novidade do coronavírus, o home office foi adotado por muitas empresas, e assim, foi possível se dar conta dos ajustes e reparos necessários.

"Trabalhando em casa, as pessoas começaram a olhar para os problemas. Por isso que os acidentes não aumentaram. Mas agora estamos voltando", diz Marinho, que alerta: é preciso prestar atenção em detalhes banais, como, por exemplo, tomadas, fios soltos, extensões, entre outros.

Crianças e idosos são as principais vítimas

Não é novidade que tomada é perigo para as crianças, principalmente para os bebês que estão nos primeiros meses de vida. No entanto, Edson Marinho traz uma informação interessante: idosos também são as principais vítimas de acidentes domésticos envolvendo eletricidade.

Dentro de nossas casas a atenção deve ser redobrada, principalmente com crianças pequenas e idosos. A situação das instalações elétricas das casas deve ser um ponto a ter prioridade na vida das pessoas: a maioria das casas construídas há mais de 20 anos não possuem capacidade para ‘aguentar’ a quantidade de equipamentos que temos", conta.

Outro dado que a pesquisa revela é que as mortes por choque elétrico no Brasil são maiores que as mortes por incêndios por sobrecarga. Os números de 2019 (pré-pandemia) e 2021 são mais altos que os de 2020.

choque
Mortes provocadas por choque elétrico caíram de 355 para 374, nos anos de 2019 e 2020. E em 2021, estabeleceram em 355.

O engenheiro Edson Marinho explica que um curto-circuito pode gerar um incêndio ou o choque elétrico. "Normalmente nos esquecemos ou deixamos passar situações em que o risco está ali e pode causar acidentes gravíssimos, às vezes até fatais. Todo esse material que você encontra precisa ser eliminado", reforça ele, que separou algumas dicas:

  • Utilize a extensão em um canto com pouco acesso;
  • Conserte tomadas soltas;
  • Mantenha as tomadas no padrão atual;
  • Evite fiação solta;
  • Certifique-se que as instalações elétricas possuam um DF (diferencial residual).
choque
Fios soltos são um risco para a casa!

Se inscreva no canal do Papo de Mãe no Youtube aqui:

DestaquesDiversosHomeNotíciasdestaquenoticia