Papo de Mãe
Papo de Mãe

Colo de pai. Os homens sabem pegar o filho recém-nascido?

Dê uma boneca a seu filho, mostre como se pega um bebê, mostre que não há motivo de vergonha em dar carinho.

Roberta Manreza Publicado em 30/04/2021, às 00h00 - Atualizado às 10h03

None
30 de abril de 2021


Sempre achei triste. Um pai que não sabe carregar o próprio filho. Nós homens não sabemos pegar nossos bebês porque fomos impedidos de brincar de boneca, porque fomos distanciados da prática do carinho, do acolhimento e da proteção. 

Por Vinicius Campos*

Nada mais feliz que a chegada de um bebê. O evento ganha ainda mais importância quando se trata do primeiro filho do casal. Com a modernidade, maternidades particulares, caras, bem equipadas, permitem não só que o novato pai entre e acompanhe a chegada do bebê ao lado da esposa, como também é possível que a família assista tudo por uma janelinha estrategicamente posicionada. É um espetáculo completo. A emoção da mamãe, o jovem pai com seu celular registrando cada detalhe do bebê ainda sujinho e os sorrisos da equipe médica confirmando que a criança chegou com saúde.

Horas depois, todos no quarto, esperam ansiosos que o bebê chegue já banhado e trocado. É emocionante quando a enfermeira traz a criança e há um novo encontro com a mamãe. E então chega a vez do pai se aproximar de seu filho. Mas ele não sabe pegar o filho. Os sogros acham graça, os avós paternos garantem que é questão de prática. Todos riem. Tem sempre alguém com o celular registrando esse momento incômodo.

Carinho entre pai e filho.

Nunca entendi tanta risada. Vivi essa cena pelo menos três ou quatro vezes, com familiares e amigos. Sempre achei triste. Um pai que não sabe carregar o próprio filho. Todos achando graça sem nem ao menos pensar que nós homens não sabemos pegar nossos bebês porque fomos impedidos de brincar de boneca, porque fomos distanciados da prática do carinho, do acolhimento e da proteção.

A sociedade critica os pais ruins, cada vez mais tomamos consciência da importância de uma paternidade presente e amorosa, porém não ensinamos nossos pequenos a amar e a proteger, não permitimos que eles sejam livres para brincar, não preparamos nossos meninos para serem pais, para darem afeto.

Um humorista argentino contava numa entrevista que sempre que ele sai de turnê perguntam quais cidades ele visitará, o que gosta de fazer quando está na estrada, se sente falta de casa quando viaja. Já para a esposa, também humorista, quando ela conta que fará uma turnê, a primeira pergunta é: com quem você vai deixar as crianças?

Por que somos uma sociedade que cobra uma postura presente e maternal das mulheres, e ao mesmo tempo perdoamos e aceitamos pais ausentes?

A paternidade, a contenção, o acolhimento, tudo isso vem do treino, da prática. Se você tem um menino em casa, tem a chance de começar a trabalhar desde cedo para que esse garoto seja amoroso e protetor. Dê uma boneca a seu filho, mostre como se pega um bebê, mostre que não há motivo de vergonha em dar carinho. Tenho certeza que no futuro, quando chegar seu primeiro neto, te dará muito orgulho ver seu pequeno, transformado em homem, recebendo seu primeiro filho nos braços com segurança e afeto.

*Por Vinicius Campos, escritor e pai de 3 adolescentes – Colunista do Papo de Mãe.



ColunistasVinicius CamposComportamentoConflitosDestaquesDicasDiversãoEducaçãoFamíliaNovas FamíliasPapo de Pai3 a 8 anos9 a 12 anosCriançaSaúde