Papo de Mãe
Papo de Mãe

Bancos de leite e doação de leite materno

pmadmin Publicado em 01/03/2010, às 00h00 - Atualizado às 16h28

1 de março de 2010


Oi, gente!Esta semana estamos abordando o tema AMAMENTAÇÃO e agora falaremos um pouquinho sobre os BANCOS DE LEITE HUMANO e a DOAÇÃO DE LEITE MATERNO. Vocês sabiam que, segundo o Ministério da Saúde, o número de mães doadoras de leite no Brasil subiu 83% em cinco anos? É verdade. A quantidade de mulheres doadoras passou de 60 mil em 2004, para 110 mil em 2008 – ano em que 157 mil crianças foram beneficiadas com o alimento materno. Não é à toa que a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano* é considerada pela OMS a maior rede de bancos de leite do mundo. Além de coletar e distribuir, a rede orienta as mães com dificuldade para amamentar e repassa conhecimento sobre controle de qualidade e processamento de leite materno para mais 22 países.Mas como será que funciona a doação de leite na prática? Será que toda mulher está apta a doar? Confiram as dicas do site da REDE BLH sobre a doação de leite materno:Quem pode ser doadora de leite humano? Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano. De acordo com a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil (RDC Nº 171) a doadora, além de apresentar excesso de leite, deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.Como doar?Se você quer doar seu leite entre em contato com um Banco de Leite Humano. Clique aqui e veja o mais próximo de você. Como preparar o frasco para coletar o leite humano?– Escolha um frasco de vidro com tampa plástica, pode ser de café solúvel ou maionese;– Retire o rótulo e o papelão que fica sob a tampa e lave com água e sabão, enxaguando bem;– Em seguida coloque em uma panela o vidro e a tampa e cubra com água, deixando ferver por 15 minutos (conte o tempo a partir do início da fervura);– Escorra a água da panela e coloque o frasco e a tampa para secar de boca para baixo em um pano limpo;– Deixe escorrer a água do frasco e da tampa. Não enxugue;– Você poderá usar quando estiver seco.Como se preparar para retirar o leite humano (ordenhar)?O leite deve ser retirado depois que o bebê mamar ou quando as mamas estiverem muito cheias. Ao retirar o leite é importante que você siga algumas recomendações que fazem parte da garantia de qualidade do leite humano distribuído aos bebês hospitalizados:1- Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais;2- Prenda e cubra os cabelos com uma touca ou lenço;3- Evite conversar durante a retirada do leite ou utilize uma máscara ou fralda cobrindo o nariz e a boca;4- Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque em uma toalha limpa.Como retirar o leite humano (ordenhar)? Comece fazendo massagem suave e circular nas mamas. Massageie as mamas com as polpas dos dedos começando na aréola (parte escura da mama) e, de forma circular, abrangendo toda mama.É ideal que o leite seja retirado de forma manual: – Primeiro coloque os dedos polegar e indicador no local onde começa a aréola (parte escura da mama);– Firme os dedos e empurre para trás em direção ao corpo;– Comprima suavemente um dedo contra o outro, repetindo esse movimento várias vezes até o leite começar a sair;– Despreze os primeiros jatos ou gotas e inicie a coleta no frasco. Se você estiver com dificuldade de retirar seu leite, procure apoio no Banco de Leite Humano mais próximo de você. Como guardar o leite retirado para doação?O frasco com o leite retirado deve ser armazenado no congelador ou freezer. Na próxima vez que for retirar o leite, utilize outro recipiente esterilizado e ao terminar acrescente este leite no frasco que está no freezer ou congelador. O leite pode ficar armazenado congelado por até 15 dias.O leite humano doado, após passar por processo que envolve seleção, classificação e pasteurização, é distribuído com qualidade certificada aos bebês internados em unidades neonatais.* A Rede Nacional de Bancos de Leite Humano foi criada em 1998, por iniciativa conjunta do Ministério da Saúde e da Fundação Oswaldo Cruz. A consolidação da REDEBLH ocorre combinada com sua expansão e resulta de um processo histórico caracterizado pela busca da qualidade associado à experiência e conhecimentos acumulados pelo Banco de Leite do Instituto Fernandes Figueira. Para mais informações sobre os bancos de leite e os postos de coleta, o site da Fundação Oswaldo Cruz, parceira do Ministério da Saúde, é o www.fiocruz.br.Fiquem agora com o depoimento da nossa telespectadora Ayla Farias, de São José do Rio Preto/SP, mãe do pequeno Yuri. Ela nos conta como foi importante a participação do Banco de Leite no seu processo de amamentação.” Olá turma do papo de mãe!Primeiramente, parabéns. O programa está ótimo. Bom, sou jornalista, casada há quatro anos e acabo de ter nosso filhote. Yuri, está com sete meses, foi planejado, desejado, esperado e agora é vivido intensamente por toda a família. Sempre sonhei com meu filho e nestes momentos em que pensava nele pensava também na amamentação. Achava lindo ver as mulheres amamentando. No começo tive dificuldades, ele não conseguia mamar. Mas tudo deu certo graças ao Banco de Leite Humano de minha cidade, São José do Rio Preto (SP). Lá recebi todo o apoio que precisei para não desistir da amamentação. Depois, antes de voltar a trabalhar, tive novamente o apoio para manter as mamadas. Desde a ordenha até o armazenamento do leite. Tudo com acompanhamento e, mais importante, apoio profissional. Sabemos que muitas mães desistem de amamentar porque dói, o seio fica machucado, o bebê não consegue sugar… Depois, quando chega a hora de voltar ao trabalho, vem o novo desafio de manter a amamentação estando longe. Aí tem de ficar ordenhando, deixando leite, o bebê pode rejeitar, etc… Amamentar é um gesto de amor e muito empenho também. Acho que os Bancos de Leite tem sido fundamentais nessa batalha. É um trabalho bonito, de total dedicação dos profissionais e de graça. Bom, eu venci todas as etapas. Na volta ao trabalho, meu filho continuou mamando exclusivamente, tomando de copinho. Agora sou uma doadora e voluntária no banco de leite. Ele ainda mama, porém bem menos, pois já está comendo. E, todas as vezes que o vejo comendo, além de me emocionar por ver meu pequenino “parecendo gente”, já sinto aquela pontinha de saudade de tê-lo nos meus braços, olhando nos meus olhos e se alimentando de mim.Obrigada e mais sucesso!” Ayla—Muito obrigada por seu depoimento, Ayla! Muita saúde e felicidade para você e seu filhinho! Aproveitamos para deixar registrado o total apoio e admiração do Papo de Mãe pelo trabalho dos bancos de leite e pelas doadoras voluntárias. Parabéns a todos por este lindo gesto de amor ao próximo! Por hoje é isto, gente! Para quem não conseguiu assistir ao programa, nesta terça, 18h30, é a última chance. Portanto, não percam! Beijos da Equipe Papo de Mãe