Papo de Mãe
Papo de Mãe

Baixa produção de leite

Existem algumas situações que não somente iniciam como agravam o quadro de baixa produção de leite, são todas interligadas e fazem com que mãe e bebê entrem em um círculo vicioso ruim.

Roberta Manreza Publicado em 22/01/2021, às 00h00 - Atualizado às 12h48

None
22 de janeiro de 2021


Mãe e bebê em um círculo vicioso ruim. Como sair desta situação? 

Por Cinthia Calsinski, 

A sensação de baixa produção de leite é uma das principais causas de desmame precoce. Algumas vezes a sensação percebida não é a real, em outras vezes infelizmente é.

Existem algumas situações que não somente iniciam como agravam o quadro de baixa produção de leite, são todas interligadas e fazem com que mãe e bebê entrem em um círculo vicioso ruim.

Vamos começar pelo ponto mais importante de uma boa mamada, a pega correta. Quando a pega é inadequada, o bebê não consegue retirar um bom volume de leite, e além da possibilidade de machucar os mamilos causando dor e fissuras, pode haver baixo ganho de peso.

O baixo ganho de peso, acaba interferindo negativamente no emocional da mulher. Em algumas situações ainda há uma boa produção de leite, mas com a pega inadequada e a não retirada deste leite da mama, o organismo entende que a produção de leite necessária é a que é extraída de sua mama, assim a produção diminui ou deixa de aumentar.

O não ganho de peso, faz com que muitas mulheres se desestimulem, acreditem que sua produção é baixa, e acabem complementando o bebê com o uso da mamadeira.

A mamadeira assim como outros bicos artificias como a chupeta, faz com que ocorra a famosa confusão de bicos, onde o uso do bico estimula musculatura inadequada ao mamar no seio, gerando baixo estímulo que acarreta diminuição da produção de leite, aumento da oferta do complemento e uso de mamadeira.

Outro ponto é que um bebê que não pega corretamente o seio pode sentir fome e chorar em intervalos pequenos,e acabam recebendo chupeta, e esse círculo vicioso que compromete a produção de leite, favorece a pega incorreta, causa baixa ordenha de leite materno e aumento do uso de fórmulas se agrava ainda mais.

Não é fácil sair deste looping, nem sempre a produção está suficiente para a demanda do bebê, mas é muito importante deixar claro que muitos destes fatores podem ser resolvidos em uma consultoria de amamentação. Desde a pega incorreta, até a baixa produção de leite. Temos protocolos e estudos científicos que nos guiam para uma boa prática, tenha uma consultora, peça ajuda o quanto antes.

E lembre-se que está tudo associado: pega correta, conforto ao amamentar, boa extração de leite, bom ganho de peso, não usar bicos artificiais… A maternidade é feita de escolhas, não há certo ou errado desde que estas escolhas sejam conscientes e pautadas em informação de qualidade.

*Cinthia Calsinski, Enfermeira Obstetra

  • Enfermeira Graduada pela Universidade Federal de São Paulo-Unifesp
  • Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo-Unifesp
  • Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo-Unifesp
  • Enfermeira Obstetra pelo Centro Universitário São Camilo
  • Consultora do Sono Materno-Infantil formada pelo International Maternity e Parenting Institute (IMPI)

http://Facebook.com/cinthiacalsinskienfermeiraobstetra

@cinthia.calsinski

Assista ao vídeo: 

Veja também:

Os prós e contras dos tipos de parto

Dicas para identificar os diferentes choros do bebê




Amamentação / AlimentaçãoDesenvolvimentoDestaquesDicasDiversosBebêHome0 a 2 anosGravidezPrimeira InfânciaPós-partoSaúde