Papo de Mãe
Papo de Mãe

Avó excluída da convivência com os netos – relato de uma telespectadora

pmadmin Publicado em 17/02/2010, às 00h00 - Atualizado às 20h34

17 de fevereiro de 2010


Oi, pessoal!

Ontem, o Papo de Mãe reapresentou o programa sobre a deliciosa relação entre avós e netos.

É muito bom ver famílias entrosadas que, apesar das adversidades, fazem de tudo para permanecerem unidas, não concordam?

Infelizmente, nem todos vivem esta realidade. A família parece estar perdendo o sentido para muitas pessoas… Confiram o relato que recebemos de uma telespectadora (que pediu para não ser identificada) e como é difícil para ela ter que lidar com o fato de ser excluída da vida da família que ela mesma ajudou a contruir…“Olá, Papo de Mãe!Eu fiquei muito feliz ao saber que seria avó. Porém, quando meu primeiro neto nasceu minhas filhas morriam de ciúme ou seja lá o que for. Fato é que não me deixaram chegar perto dele. Num primeiro momento, elas até me chamaram, mas já me acusando por não estar em casa quando o menino nasceu. Era Natal e o menino nasceria em janeiro. Elas tinham sumido quando o pai delas se mandou e eu nunca ficava sabendo de nada. Tudo o que acontecia elas escondiam de mim como se quisessem me excluir ou como se eu fosse inimiga delas. Acho que foi influência do pai, muito vaidoso e egocêntrico.Eu gosto muito desse programa, pois nele descubro que ainda se “usa” ter família, o que para meu ex-marido é uma instituição falida. Ele sempre alardeava que a família estava se acabando (isso nos anos 80). Infelizmente, elas acreditaram nisso e até hoje eu não tenho acesso a elas nem aos meus 5 netos. Estranho muito este papo de quem considera obsoleto ter avós. Fico muito triste por ter que utilizar subterfúgios para ter contato com minhas filhas e meus netos. O resultado é que os meninos me tratam como uma estranha. A babá é mais importante para eles do que eu! Morro de vergonha quando me perguntam onde vou passar o Natal ou onde minhas filhas estão e não tenho resposta… Tenho pena do meu neto mais velho, que passa por problemas e eu não posso fazer nada por ser tratada como uma estranha! Minha netinha mais nova de 3 aninhos se queixa que ninguém liga para ela… Coitadinhos! São filhos terceirizados em creches caras e figuras substitutas! Tentei tudo. Hoje em dia creio que o melhor é esperar que me convidem – o que é raro! Mas não há outro jeito. Meu maior medo é que meus netos se tornem pessoas frágeis e desamparadas. E o que me dói é saber que tenho TUDO para ajudá-los, mas eles me excluem… Será que família existe ou na maioria é uma situação transitória assim como qualquer passarinho?Parabéns pelos Papos de Mãe, tão saudáveis!!!”—Em primeiro lugar, queremos agradecer à nossa telespectadora que mandou o relato e dizer que esperamos do fundo do coração que tudo melhore. É tão triste ver famílias espalhadas – não estamos falando de fronteiras geográficas, mas emocionais – e desestruturadas, onde as brigas, o ciúme e o rancor imperam…Acreditamos que por mais que os tempos passados tenham sido difíceis, sempre é hora de perdoar e recomeçar. Nossa passagem por esta vida é tão breve, não podemos perder tempo remoendo sentimentos negativos. Todos somos sujeitos a erros e acertos. Vale a pena dar e receber uma segunda chance – antes que seja tarde demais!!!Por hoje é isso, mas amanhã tem mais PAPO DE MÃE! Não percam nesta quinta-feira (18), 18h30, a última chance de assistir ao programa sobre como impor LIMITES aos filhos. E tem mais! Preparem-se porque que a partir do dia 25/02, tem programação inédita!!! Novos PAPOS e muita informação. O primeiro programa é sobre AMAMENTAÇÃO. Fiquem ligados!!!Um grande beijo,
Equipe Papo de Mãe