Papo de Mãe
Papo de Mãe

Atenção mamães: olhos bem abertos na hora de comprar remédios!

pmadmin Publicado em 11/09/2013, às 00h00 - Atualizado em 19/09/2014, às 19h25

11 de setembro de 2013


Por Letícia Bragaglia

Quem tem filho pequeno sabe como é. Quando aparece aquele febrão, a bronquite ataca ou nossos pequenos são derrubados por alguma virose, somos capazes de qualquer coisa para vê-los melhorar. E de preferência, rápido! Nessas horas, aquela corridinha na farmácia é feita na afobação e ninguém tem cabeça pra pesquisar preço de remédio. Resultado: pagamos mais caro por um frasquinho que sairia pela metade em outra farmácia do bairro…

E o que é pior: nem mesmo quem apela para os genéricos escapa do abuso de preços! Uma pesquisa feita pelo Procon-SP em agosto, em 15 drogarias paulistanas, mostra que a diferença de preço entre genéricos chega a 1.132% de um estabelecimento para o outro.

Exemplo: o Diclofenaco Sódico (equivale ao Voltarem), de 50 mg, com 20 comprimidos, que custava R$ 1,00 em uma farmácia, em outra saia por R$ 12,32. Uma diferença absurda!

Portanto, fica o alerta: vale a pena montar com antecedência uma farmacinha em casa, com aqueles remédinhos básicos para combater febre, gripe, enjôo, vômito, enfim, doencinhas típicas de criança. Assim você economiza e evita o corre-corre na hora do aperto. É importante lembrar que, além de pesquisar o preço, é preciso prestar atenção também no prazo de validade dos remédios.

Veja abaixo mais algumas conclusões da pesquisa do Procon-SP:

Quanto aos medicamentos de referência, a maior diferença verificada foi de 364,29%. O Dexason (Acetato de Dexametasona), do laboratório Teuto, de 1mg/g (Creme derm 10g), estava à venda em um estabelecimento por R$ 2,10 e em outro, por R$ 9,75.

No interior do estado de São Paulo, a maior variação de preços entre os medicamentos genéricos verificada em 11 cidades foi de 938%. O medicamento Paracetamol, 200 mg/ml, gotas 15 ml, foi encontrado em um estabelecimento da cidade de São Vicente por R$ 0,89 e em outro, por R$ 9,24.

Entre os medicamentos de referência a maior variação também foi encontrada em São Vicente, o Amoxil (GlaxoSmithKline) 500mg, 21 cápsulas, apresentou variação de 300%. Em um estabelecimento, custava R$ 14,67 e em outro, R$ 58,68.

A média dos preços dos genéricos em comparação aos de referência nos municípios paulistas, teve a maior diferença, 60,82%, verificada em São José dos Campos. A menor diferença foi encontrada em Presidente Prudente, 46,44%.

A pesquisa, realizada em agosto, contou com a participação dos Procons municipais de Jundiaí, Campinas, Jacareí, Caçapava e São José dos Campos.Para mais dicas sobre orçamento doméstico, clique aqui:

Para assistir ao programa Papo de Mãe sobre orçamento doméstico, clique AQUI.