Papo de Mãe
Papo de Mãe

BRINCAR – Dez razões para deixar a criança brincar

pmadmin Publicado em 16/01/2012, às 00h00 - Atualizado em 03/10/2014, às 20h11

None
16 de janeiro de 2012


Maria Angela Barbato Carneiro*

Brincar é uma atividade natural da infância, mas não é inato, aprende-se na interação, daí a importância dos espaços e dos tempos para realização da atividade lúdica infantil, além dos companheiros.

Hoje, se pensa que para brincar é necessário brinquedos e, sobretudo, objetos caros, frutos da indústria cultural. No entanto, embora eles tenham a sua importância, não são indispensáveis à realização da brincadeira. Ela pode se ocorrer sem eles, é necessário apenas um pouco de boa vontade e criatividade.

É fundamental que os pais, os professores e os responsáveis pelos pequenos se conscientizem do valor da brincadeira no processo de desenvolvimento e aprendizagem da criança, e que ela não é, como muitos pensam, uma grande perda de tempo. Deixar a criança brincar é dar a ela o direito de usufruir da sua infância.

Poderíamos elencar inúmeras razões para as crianças brincarem, mas neste particular artigo, escolhemos dez que consideramos as mais importantes:

a) Brincando a criança explora o mundo à sua volta estimulando seus sentidos, experimentando e descobrindo;

b) Brincando a criança viaja no mundo imaginário da fantasia, realizando ações e desejos que de outra forma não seria possível;

c) Brincando a criança pode errar e aprender com seus erros, discernindo o que é certo e errado;

d) Brincando a criança descobre coisas interessantes permitindo que esse conhecimento se torne significativo;

e) Brincando a criança aprende regras e com elas seus limites e possibilidades;

f) Brincando a criança desempenha papéis sociais, soluciona problemas, porque a atividade é uma ponte para a realidade;

g) Brincando a criança aprende a competir e cooperar e que, quando perde, o mundo não se acaba;

h) Brincando a criança aprende a se relacionar e desenvolve diferentes linguagens como formas de comunicação e expressão;

i) Brincando a criança constrói seu conhecimento e se torna autônoma; e,

j) Brincando a criança se diverte e, principalmente, aprende a ser mais humana.

*Maria Angela Barbato Carneiro é educadora e professora da PUC/SP. Participou como especialista convidada do Papo de Mãe sobre “adultização”, exibido em 07.08.2011 e reprisado em 15.01.2012.




Diversão