Papo de Mãe
Papo de Mãe

Alagados: Estamos enxugando gelo

Só transformando o nosso pensamento e fazendo um grande acordo nacional baseado totalmente na educação voltaremos a ver uma luz no fim do túnel.

Roberta Manreza Publicado em 05/03/2021, às 00h00 - Atualizado às 11h17

None
5 de março de 2021


Não dá  falar sobre fraldas e chupetas. Os grandes sofredores serão nossos pequenos que vão herdar um país destruído.

Por Vinicius Campos*, 

Cresci nos anos 80. Talvez você também. No Brasil faltava leite, faltava carne, de uma hora pra outra avisavam que ia ter aumento de gasolina e as filas dos postos iam até de madrugada. Lembra?

Depois acabou a ditadura, vieram as eleições, e o país parecia respirar esperança. Collor, Itamar, Fhc, Lula, Dilma. O país parecia que se recuperava, cada presidente, mesmo com erros, trazia ao país uma nova perspectiva. No governo Lula/Dilma chegamos a ser a sexta economia mundial. Nunca teve tanta gente na faculdade, as casas começaram a ter tv a cabo, aumentaram e muito as viagens ao exterior, tivemos pela primeira vez acesso a bens que pareciam exclusivos dos ricos.

Depois veio o golpe. A direita conservadora e assustadora achou que dar dinheiro e comida a pobres era um erro. Num acordão incluindo o supremo tiraram a Dilma, assumiu o vampiro Temer e como consequência natural, políticos disfarçados de justiça com Moro no comando, colocaram no poder a desgraça que hoje somos obrigados a chamar de presidente.

Mas por que falar disso numa coluna sobre paternidade?

Porque de verdade, depois de ler as notícias da semana, não consigo falar sobre fraldas e chupetas.

Tudo o que está acontecendo nos afeta, e vai nos afetar nas próximas décadas, e os grandes sofredores serão nossos pequenos que vão herdar um país destruído, sem floresta amazônica, sem empresas estatais fortes como a petrobras e a embraer, sem dinheiro no caixa, sem uma ciência forte capaz de fazer o país avançar, e o pior, sem uma população educada e preparada para superar os desafios que serão cada vez maiores.

O Brasil precisa de um novo acordão. Um acordo entre pais e mães que entendem que a educação é o único caminho pra gente voltar a ser uma potência. E não a educação do meu e do seu filho, mas sim a educação de todos os nossos filhos, de todas nossas crianças.

Tenho certeza que você trabalha duro para dar uma educação de qualidade a seus filhos, mas sinto lhe informar que isso é pouco. Precisamos de mais. Precisamos contribuir com ong’s que promovam educação de qualidade, precisamos usar nosso tempo livre e dar aulas a crianças carentes do bairro e ajudá-las com sua formação, precisamos escolher políticos que realmente trabalhem nesse setor e para esse setor. No Natal, aniversário, dia das crianças precisamos trocar os brinquedos por livros.

Só transformando o nosso pensamento e fazendo um grande acordo nacional baseado totalmente na educação voltaremos a ver uma luz no fim do túnel. Senão, pode ter certeza, continuaremos enxugando gelo com o perigo iminente de que tudo se derreta e o Brasil acabe alagado na ignorância humana.

*Por Vinicius Campos, escritor e pai de 3 adolescentes – Colunista do Papo de Mãe.



ColunistasVinicius CamposComportamentoCreche / BerçárioCuidadoresDesafios / DilemasDesenvolvimentoDestaquesDicasDiversosEducaçãoEnsino SuperiorBebêMãe / PaiHomeMercado de TrabalhoPandemia0 a 2 anos3 a 8 anos9 a 12 anosAdolescenteCriançaJovemPrimeira InfânciaSaúde