Papo de Mãe
Papo de Mãe

A personalidade dos adolescentes

O adolescente funciona muito melhor em grupo e o processo de conscientização das crises de identidade fluem muito melhor quando percebem no outro as mesmas questões.

Roberta Manreza Publicado em 02/02/2021, às 00h00 - Atualizado às 10h05

None
2 de fevereiro de 2021


Do impulsivo irritado ao pouco comunicativo, é possível identificar a estrutura de algumas personalidades típicas desta fase e aprender como lidar com elas

Por Ana Café, 

A adolescência é um período importante na formação do caráter e início do momento em que se molda quem realmente somos, mas não há dúvidas de que se trata de um dos períodos mais conturbados na vida de uma pessoa.Com os hormônios à flor da pele, as relações sociais passam a ter um significado maior e o mundo passa a ser enxergado com outros olhos.

De acordo com a psicóloga Ana Café, “hoje os problemas são muito mais profundos, o jovem inicia sua vida sexual em idade muito precoce, com uma enorme confusão de gêneros estabelecida pelo contexto social em que vive. A ausência da noção de respeito às figuras parentais que acabam se colocando mais no lugar de amigos do que de autoridade parental, e o risco do uso precoce de drogas, são problemas que vem afetando diretamente nossos jovens.”, alerta a especialista.

Para Ana, o acompanhamento do adolescente, para que ele possa entender esse momento de mudanças sobre a sua própria personalidade, pode auxiliar na sua formação na vida adulta.  O adolescente funciona muito melhor em grupo e o processo de conscientização das crises de identidadefluem muito melhor quando percebem no outro as mesmas questões.”, ressalta Ana Café, que promove encontros em grupo para os jovens em seu Núcleo Integrado. “Há três anos, o núcleo atua com grupos de adolescentes na faixa dos 10 aos 18 anos de idade. São três grupos separados por faixa etária com terapeutas a disposição”, explica. 

Nesses encontros em grupo, os terapeutas focam asmudanças do corpo, no desenvolvimento docaráter, nas habilidades sociais de cada um e no processo de descoberta da sexualidade. “Em torno de duas horas para cada sessão, o adolescente passa por várias atividades que incluem até uma sessão de cinema”, finaliza a psicóloga.

*Ana Café é Psicóloga Clínica

Especializada na Prevenção e Tratamento da Dependência Química, Especializada em Saúde Mental da Infância e Adolescência e fundadora do Núcleo Integrado e do Instituto Ana Café pela Vida.

https://www.instagram.com/anacafepelavida/

Veja também:

Alerta para os sinais: Pais e mães demoram de 3 a 4 anos para descobrir que os filhos usam drogas

O suicídio na infância e adolescência – uma realidade que ainda não se mostra

Em tempos de coronavírus como lidar com filhos adolescentes?




ComportamentoDestaquesDicasDiversosEducaçãoHomeAdolescenteJovemSaúde