Papo de Mãe
Papo de Mãe

7 dicas para lidar com o fim de ano diferente

Este ano tudo está diferente. Como serão nossas festas?

Roberta Manreza Publicado em 13/12/2020, às 00h00 - Atualizado às 11h37

None
13 de dezembro de 2020


As comemorações na pandemia.

Este ano tudo está diferente.

Como serão nossas festas?

Além de não haver grandes encontros familiares e amigos, percebo que não haverá a habitual correria de festas, shows, festas de integração de fim de ano da empresa.

Vamos durante este último mês do ano, realmente parar, olhar para o que passou e para o que restou dentro de cada um de nós.

Reflita nos sentimentos que te afloraram nestes meses, nas emoções que te fizeram mudar a forma como lida com situações alegres ou desafiadoras, em como aquele amigo ou parente que ficou doente ou foi-se embora te trouxe ensinamentos que não quer deixar no esquecimento.

Vamos acolher tudo o que sentimos e vivemos em 2020.

Vamos olhar para as nossas intenções que vem do coração, aquelas que te aquecem o peito e te fazem vibrar, e não para as intenções da mente que são aquelas cheias de ilusão e medo.

Esse pode ser um momento maravilhoso de nos perguntarmos: “As escolhas que fiz refletem realmente quem eu sou e refletem os desejos do meu coração? “ As escolhas que fiz me expandiram ou me tornaram mais retraído?

Olhe para as suas experiências, elas foram fáceis, gostosas ou difíceis e pesadas? O que te foi leve é porque faz parte do teu Ser, o que te foi pesado é uma experiência que tua alma não deseja mais viver. Esse é um olhar e um balanço importante.

Será que temos abertura para comemorar de uma forma diferente?

O que as pessoas podem fazer para lidar com as mudanças nas festas de fim de ano?

  • Mudar a mentalidade sobre estas datas festivas: A mentalidade que escolhemos ter para entrar nestas datas pode fazer toda a diferença. Em vez de lastimar por não estar passando o Natal com seus 50 parentes ou reclamar por não levantar a taça de ano novo em Nova Iorque, vamos focar nesta nova oportunidade de gerar memórias afetivas diferentes e criar novas tradições.

  • Repense sobre os presentes: Quem sabe não sejam mais necessárias aquelas toneladas de presentes embaixo da árvore de Natal. Esse feriado traz consigo algumas emoções genuínas, que é dar ao outro um agrado e sentir essa satisfação de volta. Pesquisas mostram que gastar dinheiro com presentes para os outros lhe dará um impulso maior de felicidade do que comprar algo para si mesmo. Mas há uma desvantagem nessa troca, o estresse que vem junto com gastar grandes quantias de dinheiro, sentir a pressão de comprar para todos da sua lista, entrar em lojas lotadas, acompanhar o Black Friday e não perder a promoção.

  • Repense as bebidas de fim de ano: Afinal, você está mesmo comemorando e agradecendo ou está no piloto automático virando uma taça atrás da outra?

  • Crie uma tradição nova: Se você for se reunir com um pequeno grupo ou apenas com sua família domiciliar, pergunte às pessoas o que é importante para elas. Em vez de tentar recriar o que acontece todo ano, crie novas experiências. Algo novo que você fizer este ano pode se tornar uma tradição para a suas gerações.

Vou deixar aqui algumas dicas de como ajustar toda essa mudança:

  • Dê experiências em vez de objetos: as experiências ficam mais tempo na memória afetiva do que os objetos. Então que tal dar uma massagem, uma aula de pintura, uma sessão individual de numerologia.
  • Uma doação: faça do seu presente uma doação para uma instituição em que você acredite. Atos de altruísmo como esse são vinculados em pesquisas a melhor saúde, felicidade e um senso de propósito que fortalece o doador.
  • Pratique compras conscientes: ao escolher um presente preste atenção: você está comprando o que planejava ou saiu da sua rota, ou foi seduzido. Observe as mensagens materialistas dos anunciantes para que você compre aquele produto sem necessidade nenhuma. Compre o que vem do coração.
  • Não gaste mais do que você tem: porque depois vai te trazer mais ansiedade, mais estresse e você vai ter que lidar com isso sem lembrar como foi parar ali.
  • Ao dar e receber presentes pare um pouco, tire seus pensamentos da agitação, e sinta a verdadeira sensação positiva que é dar um presente e fazer a outra pessoa se sentir querida. Quando receber o presente sinta aquele momento, de gratidão profunda. Fique nesse sentimento de gratidão em vez de sair rasgando papel um atrás do outro.
  • No momento da refeição e das conversas evite os conflitos familiares tão comuns nessa época. Lembrem-se que estamos todos no mesmo barco e que a reação de um pode ser equilibrado pela compaixão do outro.
  • Aproveite todos ao redor da mesa para manifestar a presença, sem pressa, de olhar uns para os outros com calma e de simplesmente relaxar no momento.

Feliz fim de ano,

Pr Dra Renata Isa Santoro

@drarenataisasantoro

Médica pela faculdade de ciências médicas de Santos – UNILUS

Especialista em Pediatria pela AMB/SBP

Especialista na área de atuação em Cardiologia Pediátrica pela AMB/SBP/SBC

Especialista em Ecocardiografia fetal e pediátrica pela UNICAMP

Mestrado em Ciências pela UNICAMP

Atuou como Cardiologista Pediátrica, Ecocardiografista e na formação da residência médica em cardiologia pediátrica na UNICAMP de 2007 a 2018




ComportamentoConflitosDesafios / DilemasDesenvolvimentoDestaquesDicasDiversosDiversãoEducaçãoBebêCasalFamíliaMãe / PaiHome3 a 8 anos9 a 12 anosAdolescenteCriançaSaúde