Papo de Mãe
Papo de Mãe

Primeira medalha de ouro do Brasil vem do judô. Saiba o que esta arte marcial pode ensinar ao seu filho.

Roberta Manreza Publicado em 09/08/2016, às 00h00 - Atualizado às 11h20

None
9 de agosto de 2016


A primeira medalha de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 veio do judô. A judoca brasileira Rafaela Silva derrotou a atleta Sumiya Dorjsuren, da Mongólia, na final na categoria até 57 kg feminino.  Conheça melhor esta modalidade esportiva e veja o que esta arte marcial pode ensinar ao seu filho.

Texto Lorena Villaça – Educar para Crescer / Edição: Clarissa Meyer – Portal Papo de Mãe

2016 Rio Olympics - Judo - Victory Ceremony - Women -57 kg Victory Ceremony - Carioca Arena 2 - Rio de Janeiro, Brazil - 08/08/2016. Rafaela Silva (BRA) of Brazil poses with her medal. REUTERS/Kai Pfaffenbach FOR EDITORIAL USE ONLY. NOT FOR SALE FOR MARKETING OR ADVERTISING CAMPAIGNS.

A judoca Rafaela Silva ganhou a primeira medalha de ouro para o Brasil. Foto: divulgação Estadão

O judô é uma arte marcial inventada no século XIX, no Japão. O criador, Jigoro Kano, se baseou nas próprias dificuldades para criar a modalidade de luta. Ele acreditava que a luta tradicional, o jiu-jitsu, exigia muita força física dos praticantes. Por isso, ele modificou a prática, transformando-a no judô. Foram criadas regras que deixaram o esporte mais disciplinado e educativo. Ele procurava um esporte com lógica e que pudesse ser usado também como um meio de melhorar o próprio corpo. O objetivo, de acordo com ele, não deveria ser derrubar o oponente, mas ter uma educação do próprio corpo.

A prática do judô não se limita ao exercício físico: é ensinada também a filosofia de Jigoro Kano. Ela se baseia na suavidade, na eficiência dos movimentos e no bem-estar e no benefício mútuos. No Brasil, o judô foi difundido com a imigração japonesa, no início do século XX.

Há escolas que oferecem o judô como atividade extracurricular. O especialista Mario Cesar Martins, da academia Atitude (SP), explica que isso é benéfico tanto para crianças quanto para os pais. “Talvez fora da escola algumas pessoas não fossem procurar o judô. Mas ele é oferecido pelas escolas para que o aluno, que já está lá, fique mais tempo e pratique uma atividade física”, explica. Ele também frisa que ainda há uma resistência dos pais ao matricular as crianças em uma arte marcial, mas que o esporte tem grandes vantagens. “Você inscreve seu filho no judô para que ele aprenda mais uma ferramenta para ter uma melhor qualidade de vida. Ele auxilia muito na convivência em sociedade”. O professor Eduardo Merino, da Universidade Federal de Pelotas, também vê vantagens na implantação do judô nas escolas: “É mais uma possibilidade de desenvolvimento integral para as crianças, pois trabalha aspectos físicos, mentais, cognitivos e sociais”.

RIO DE JANEIRO 08/08/2016 ESPORTES / OLIMPÍADAS RIO 2016 - JUDÔ FEMININO - ARENA CARIOCA 2 - PARQUE OLêMPICO - Fase classificat—ria do jud™ na categoria 57Kg.Na foto a brasileira Rafaela Silva (AZUL) enfrentando a alem‹, M Roper. Na foto o golpe da vit—ria. Alaor Filho//COB

Foto: divulgação Estadão

Veja como praticar judô pode ajudar seu filho:

1. Concentração: Um dos benefícios de prática do judô na idade escolar é o desenvolvimento da concentração. “As aulas têm muita informação e a criança tem de prestar atenção pra conseguir absorver o conteúdo. O judô auxilia na concentração e com isso você consegue ter um índice maior de aprendizado” explica Mario. Eduardo afirma que o judô “valoriza as conquistas pelo esforço, a disciplina e a organização”, ajudando a ensinar às crianças a importância de se concentrar nas atividades diárias.

2.  Autoestima: A prática do judô pode ser benéfica para autoestima das crianças: “É um excelente espaço para o autoconhecimento, conhecer suas fraquezas e qualidades, superar os medos e vencer desafios”, diz Eduardo Merino. “Nós colocamos crianças de várias idades treinando judô ao mesmo tempo. Mas qual é o objetivo disso? A criança maior saber respeitar os limites saber respeitar os limites da criança menor. E a criança menor ter a consciência de poder fazer aqueles exercícios, golpes e tudo mais sem medo ao lado da criança maior. É importante essa interação por equipe”, diz Mario.

3. Persistência: “Não é fácil chegar à faixa preta. Se a criança começa pequena e continuar praticando, só chega lá aos dezessete, dezoito anos”. Praticar judô requer persistência e força de vontade e os treinos ajudam a desenvolver esses traços nas crianças desde cedo.

4. Responsabilidade: O judô tem diversas regras e uma filosofia voltada para o equilíbrio. Durante as aulas, as crianças são encorajadas a praticar com disciplina e responsabilidade.

5. Respeito: O esporte pode ajudar com a agressividade das crianças e o bullying. “Como se acaba com o bullying? Indo na mão contrária. No bullying, você olha pras pessoas nos seus pontos negativos, suas fraquezas. E no judô, as crianças sabem respeitar as diferenças e, ao mesmo tempo, ter a humildade de reconhecer que todos nós temos nossas fraquezas e nossos defeitos”, diz Mario.

6. Saúde: “O judô ajuda na coordenação motora, porque é um esporte multiarticulado, você tem de mexer todo o corpo para fazer os movimentos” explica Mario. “Do ponto de vista da saúde promove a melhora dos sistemas circulatório, cardiorrespiratório e osteomuscular, combatendo o sedentarismo, obesidade, diabetes, hipertensão, depressão entre outras patologias, além dos aspectos do psíquicos” cita Eduardo.

Leia também: 

Assista:




ComportamentoDicasDiversãoHomeNotícias3 a 8 anos9 a 12 anosSaúde